CAPÍTULO 7

Convite para entrar no descanso do Senhor—Orai com verdadeiro intento—O Espírito de Cristo permite aos homens distinguirem o bem do mal—Satanás persuade os homens a negarem a Cristo e a praticarem o mal—Os profetas anunciam a vinda de Cristo—Pela fé são realizados milagres e anjos ministram—Os homens devem ter a esperança da vida eterna e apegar-se à caridade. Aproximadamente 401–421 d.C.

  E agora eu, Morôni, escrevo algumas das palavras ditas por meu pai, Mórmon, a respeito da a, esperança e caridade; pois desta maneira ele falou ao povo, ao ensiná-los na sinagoga que haviam construído como lugar de adoração.

  E agora eu, Mórmon, falo a vós, meus amados irmãos; e é pela graça de Deus, o Pai, e de nosso Senhor Jesus Cristo e sua santa vontade, devido ao dom do achamado que me fez, que me é permitido falar-vos neste momento.

  Portanto falarei a vós que sois da igreja, que sois os pacíficos seguidores de Cristo e que haveis recebido esperança suficiente para entrardes no adescanso do Senhor de agora em diante, até que descanseis com ele no céu.

  E agora, meus irmãos, julgo estas coisas a respeito de vós, devido a vossa aconduta pacífica para com os filhos dos homens.

  Porque me lembro da palavra de Deus, que diz que por suas obras os aconhecereis; porque, se suas obras forem boas, eles também serão bons.

  Pois eis que Deus disse que se um homem é amau, não pode praticar o bem; porque se ele oferece uma dádiva ou bora a Deus, a não ser que o faça com verdadeiro intento, nada lhe aproveitará.

  Porque eis que não lhe é imputado por justiça.

  Pois eis que se um homem, sendo amau, oferece uma dádiva, ele o faz de b vontade; portanto será considerado como se tivesse retido a dádiva; conseqüentemente é considerado mau perante Deus.

  E, igualmente, se um homem ora sem averdadeiro intento de coração, é considerado mau, sim, e de nada lhe aproveita, porque, a esse, Deus não recebe.

  10 Portanto um homem mau não pode fazer o bem; nem dará ele uma boa dádiva.

  11 Porque eis que de uma afonte amarga não pode brotar água boa; nem de uma boa fonte pode brotar água amarga; portanto, sendo um homem servo do diabo, não pode seguir a Cristo; e se ele bsegue a Cristo, não pode ser servo do diabo.

  12 Portanto todas as coisas aboas vêm de Deus; e o que é bmau vem do diabo; porque o diabo é inimigo de Deus e luta constantemente contra ele e convida e incita a cpecar e a fazer continuamente o mal.

  13 Eis, porém, que aquilo que é de Deus convida e impele a fazer o bem continuamente; portanto, tudo o que convida e aimpele a fazer o bem e a amar a Deus e a servi-lo, é binspirado por Deus.

  14 Portanto tende cuidado, meus amados irmãos, a fim de que não julgueis ser de Deus o que é amau; ou ser do diabo o que é bom e de Deus.

  15 Pois eis que, meus irmãos, dado vos é ajulgar, a fim de que possais distinguir o bem do mal; e a maneira de julgar, para que tenhais um conhecimento perfeito, é tão clara como a luz do dia comparada com as trevas da noite.

  16 Pois eis que o aEspírito de Cristo é concedido a todos os homens, para que eles possam bdistinguir o bem do mal; portanto vos mostro o modo de julgar; pois tudo o que impele à prática do bem e persuade a crer em Cristo é enviado pelo poder e dom de Cristo; por conseguinte podeis saber, com um conhecimento perfeito, que é de Deus.

  17 Mas tudo que persuade o homem a praticar o amal e a não crer em Cristo e a negá-lo e a não servir a Deus, podeis saber, com conhecimento perfeito, que é do diabo; porque é desta forma que o diabo age, pois não persuade quem quer que seja a fazer o bem; não, ninguém; tampouco o fazem seus anjos; nem o fazem os que a ele se sujeitam.

  18 E agora, meus irmãos, vendo que conheceis a luz pela qual podeis julgar, luz essa que é a aluz de Cristo, tende cuidado para não julgardes erradamente; porque com o mesmo bjuízo com que julgardes, sereis também julgados.

  19 Portanto vos suplico, irmãos, que procureis diligentemente, na aluz de Cristo, diferenciar o bem do mal; e se vos apegardes a tudo que é bom e não o condenardes, certamente sereis bfilhos de Cristo.

  20 E agora, meus irmãos, como será possível vos apegardes a tudo que é bom?

  21 E agora chegamos àquela fé sobre a qual prometi falar-vos; e dir-vos-ei qual o caminho que devereis seguir, para que vos apegueis a todas as coisas boas.

  22 Pois eis que Deus, aconhecendo todas as coisas, existindo de eternidade em eternidade, eis que enviou banjos para ministrarem entre os filhos dos homens e darem-lhes instruções relativas à vinda de Cristo; e em Cristo virão todas as coisas boas.

  23 E Deus declarou também aos profetas, pela própria boca, que Cristo viria.

  24 E eis que, de diversas maneiras, manifestou coisas aos filhos dos homens; e eram boas; e todas as coisas boas vêm de Cristo; de outro modo os homens estariam adecaídos e nada de bom lhes poderia advir.

  25 Portanto, pelo ministério de aanjos e por toda palavra que procedia da boca de Deus, começaram os homens a exercer fé em Cristo; e assim, pela fé, apegaram-se a todas as coisas boas; e assim foi até a vinda de Cristo.

  26 E depois que ele veio, os homens também foram salvos pela fé em seu nome; e pela fé tornam-se os filhos de Deus. E tão certo como Cristo vive, falou ele a nossos pais, dizendo: aTudo o que for bom, se pedirdes ao Pai em meu nome, com fé e crendo que recebereis, eis que vos será concedido.

  27 Portanto, meus amados irmãos, cessaram os amilagres porque Cristo subiu aos céus e sentou-se à mão direita de Deus para breclamar do Pai os direitos de misericórdia que tem sobre os filhos dos homens?

  28 Porque satisfez às exigências da lei e reivindica todos os que nele têm fé; e os que nele têm fé se aapegarão a tudo que é bom; portanto ele badvoga a causa dos filhos dos homens; e ele habita eternamente nos céus.

  29 E por ter ele feito isto, meus amados irmãos, cessaram os milagres? Eis que vos digo que não; tampouco os anjos cessaram de ministrar entre os filhos dos homens.

  30 Pois eis que a ele estão sujeitos, para ministrarem de acordo com a palavra de sua ordem, manifestando-se aos que têm uma fé vigorosa e uma mente firme em toda forma de santidade.

  31 E o ofício de seu ministério é chamar os homens ao arrependimento e cumprir e realizar a obra dos convênios que o Pai fez com os filhos dos homens, a fim de preparar o caminho entre os filhos dos homens, declarando a palavra de Cristo aos vasos escolhidos do Senhor, para que dêem testemunho dele.

  32 E assim fazendo, o Senhor Deus prepara o caminho para que o resto dos homens tenham a em Cristo, a fim de que o Espírito Santo tenha lugar no coração deles segundo seu poder; e desta maneira cumpre o Pai os convênios que fez com os filhos dos homens.

  33 E Cristo disse: aSe tiverdes fé em mim, tereis poder para fazer tudo quanto me parecer bconveniente.

  34 E ele disse: aArrependei-vos todos vós, confins da Terra; e vinde a mim e sede batizados em meu nome e tende fé em mim, para que sejais salvos.

  35 E agora, meus amados irmãos, se estas coisas sobre as quais vos falei forem verdadeiras—e Deus vos mostrará com apoder e grande glória, no último bdia, que elas são verdadeiras—e se elas são verdadeiras, cessaram os dias de milagres?

  36 Ou deixaram os anjos de aparecer aos filhos dos homens? Ou anegou-lhes ele o poder do Espírito Santo? Ou fará ele isso enquanto durar o tempo ou existir a Terra ou existir na face da Terra um homem para ser salvo?

  37 Eis que vos digo: Não; porque é pela fé que os amilagres são realizados; e é pela fé que os anjos aparecem e ministram entre os homens; portanto, ai dos filhos dos homens se estas coisas tiverem cessado, porque é por causa da bdescrença; e tudo é vão.

  38 Porque, de acordo com as palavras de Cristo, nenhum homem pode ser salvo, a não ser que tenha fé em seu nome; portanto, se estas coisas houverem cessado, então a fé também cessou; e terrível é o estado do homem, pois é como se não tivesse havido redenção.

  39 Mas eis, meus amados irmãos, que espero coisas melhores de vós, pois julgo que tendes fé em Cristo em virtude da vossa humildade; pois se nele não tendes fé, não sois adignos de ser contados com o povo de sua igreja.

  40 E novamente, meus amados irmãos, gostaria de falar-vos sobre a aesperança. Como podeis alcançar a fé a não ser que tenhais esperança?

  41 E o que é que deveis aesperar? Eis que vos digo que deveis ter besperança de que, por intermédio da expiação de Cristo e do poder da sua ressurreição, sereis ressuscitados para a cvida eterna; e isto por causa da vossa fé nele, de acordo com a promessa.

  42 Portanto, se um homem tem a, ele btem que ter esperança; porque sem fé não pode haver qualquer esperança.

  43 E novamente, eis que vos digo que ele não pode ter fé nem esperança sem que seja amanso e humilde de coração.

  44 Sem isso sua a e esperança são vãs, porque ninguém é aceitável perante Deus, a não ser os humildes e brandos de coração; e se um homem é humilde e brando de coração e bconfessa, pelo poder do Espírito Santo, que Jesus é o Cristo, ele precisa ter caridade; pois se não tem caridade, nada é; portanto ele precisa ter caridade.

  45 E a acaridade é sofredora e é benigna e não é binvejosa e não se ensoberbece; não busca seus interesses, não se irrita facilmente, não suspeita mal e não se regozija com a iniqüidade, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

  46 De modo que, meus amados irmãos, se não tendes caridade, nada sois, porque a caridade nunca falha. Portanto, apegai-vos à caridade, que é, de todas, a maior, porque todas as coisas hão de falhar—

  47 Mas a acaridade é o puro bamor de Cristo e permanece para sempre; e para todos os que a possuírem, no último dia tudo estará bem.

  48 Portanto, meus amados irmãos, arogai ao Pai, com toda a energia de vosso coração, que sejais cheios desse amor que ele concedeu a todos os que são verdadeiros bseguidores de seu Filho, Jesus Cristo; que vos torneis os filhos de Deus; que quando ele aparecer, csejamos como ele, porque o veremos como ele é; que tenhamos esta esperança; que sejamos dpurificados, como ele é puro. Amém.