CAPÍTULO 3

O rei Benjamim continua seu discurso—O Senhor Onipotente ministrará entre os homens num tabernáculo de barro—De todos os seus poros sairá sangue quando ele expiar os pecados do mundo—O seu nome é o único pelo qual se alcança a salvação—Os homens podem despojar-se do homem natural e tornar-se santos, por meio da Expiação—O tormento dos iníquos será como um lago de fogo e enxofre. Aproximadamente 124 a.C.

  E quero chamar a vossa atenção mais uma vez, meus irmãos, porque ainda tenho algo mais para vos dizer; pois eis que tenho coisas para vos dizer sobre o que deverá acontecer.

  E as coisas que vos direi foram-me dadas a conhecer por um aanjo de Deus. E ele disse-me: Desperta; e eu despertei e eis que ele estava diante de mim.

  E ele disse-me: Desperta e ouve as palavras que te direi; pois eis que vim para anunciar-te as aboas novas de grande alegria.

  Pois o Senhor ouviu tuas orações e julgou tua retidão; e enviou-me para anunciar-te que podes regozijar-te e que podes anunciá-las a teu povo, a fim de que eles também se encham de alegria.

  Pois eis que o tempo se aproxima e não está muito longe, em que, com poder, o aSenhor Onipotente que reina, que era e é de toda a eternidade para toda a eternidade, descerá dos céus no meio dos filhos dos homens e habitará num btabernáculo de barro; e fará grandes cmilagres entre os homens, como curar os enfermos, levantar os mortos, fazer andar os coxos, dar vista aos cegos, fazer ouvir os surdos e curar toda espécie de enfermidades.

  E expulsará ademônios, ou seja, os espíritos malignos que habitam no coração dos filhos dos homens.

  E eis que sofrerá atentações e dores corporais, bfome, sede e cansaço maiores do que o homem pode csuportar sem morrer; eis que sairá dsangue de cada um de seus poros, tão grande será a sua eangústia pelas iniqüidades e abominações de seu povo.

  E ele chamar-se-á aJesus Cristo, o bFilho de Deus, o cPai dos céus e da Terra, o Criador de todas as coisas desde o princípio; e sua dmãe chamar-se-á eMaria.

  E eis que vem aos seus para que a asalvação seja concedida aos filhos dos homens pela b em seu nome; e mesmo depois de tudo isso, considerá-lo-ão um homem e dirão que está cendemoninhado; e daçoitá-lo-ão e ecrucificá-lo-ão.

  10 E no aterceiro dia bressuscitará dentre os mortos; e eis que ele cjulga o mundo; e eis que todas estas coisas são feitas para que recaia um julgamento justo sobre os filhos dos homens.

  11 Pois eis também que seu asanguebexpia os pecados dos que ccaíram pela transgressão de Adão, que morreram sem conhecer a vontade de Deus acerca de si mesmos ou que pecaram por dignorância.

  12 Mas ai daquele que sabe que se arebela contra Deus! Porque a nenhum desses será concedida salvação, a não ser pelo arrependimento e fé no bSenhor Jesus Cristo.

  13 E o Senhor Deus enviou seus santos profetas a todos os filhos dos homens para declararem estas coisas a toda tribo, nação e língua, para que, assim, todo aquele que acreditar na vinda de Cristo receba a aremissão de seus pecados e regozije-se com grande alegria, bcomo se ele já tivesse vindo a eles.

  14 Contudo o Senhor Deus viu que seu povo era obstinado e deu-lhe uma lei, sim, a alei de Moisés.

  15 E mostrou a eles muitos sinais e maravilhas e asímbolos e figuras concernentes a sua vinda; e também os santos profetas lhes falaram sobre sua vinda; e, apesar disso, endureceram o coração e não compreenderam que a blei de Moisés de nada serviria se não fosse pela expiação de seu sangue.

  16 E mesmo se fosse possível que as acriancinhas pecassem, não poderiam ser salvas; mas digo-vos que elas são babençoadas; pois eis que como em Adão, ou seja, pela natureza, elas caem, assim também o sangue de Cristo expia os seus pecados.

  17 E digo-vos ainda mais, que anenhum outro nome se dará, nenhum outro caminho ou meio pelo qual a bsalvação seja concedida aos filhos dos homens, a não ser em nome e pelo nome de cCristo, o Senhor Onipotente.

  18 Pois eis que ele julga e seu julgamento é justo; e a criança que morre ainda na infância não perece; mas os homens bebem condenação para sua própria alma, a não ser que se humilhem e atornem-se como criancinhas; e acreditem que a salvação veio e vem e virá no sangue e pelo sangue bexpiatório de Cristo, o Senhor Onipotente.

  19 Porque o ahomem natural é inimigo de Deus e tem-no sido desde a bqueda de Adão e sê-lo-á para sempre; a não ser que cceda ao influxo do Santo dEspírito e despoje-se do homem natural e torne-se esanto pela expiação de Cristo, o Senhor; e torne-se como uma fcriança, submisso, manso, humilde, paciente, cheio de amor, disposto a submeter-se a tudo quanto o Senhor achar que lhe deva infligir, assim como uma criança se submete a seu pai.

  20 E além disso, digo-vos que chegará o tempo em que o aconhecimento de um Salvador se espalhará por btoda nação, tribo, língua e povo.

  21 E eis que, quando chegar esse tempo, ninguém será declarado ainocente diante de Deus, salvo as criancinhas, a não ser por meio de arrependimento e fé no nome do Senhor Deus Onipotente.

  22 E mesmo nestes dias, depois de haveres ensinado aos de teu povo as coisas que o Senhor teu Deus te ordenou, eles não mais são considerados sem culpa à vista de Deus, a não ser que ajam de acordo com as palavras que te disse.

  23 E agora eu disse as palavras que o Senhor Deus me ordenou.

  24 E assim diz o Senhor: Elas serão como resplandecente testemunho contra os deste povo no dia do julgamento; por elas serão julgados, cada homem segundo suas obras, sejam elas boas ou sejam más.

  25 E se forem más, eles serão condenados a uma avisão terrível de sua própria culpa e abominações, que os fará recuar da presença do Senhor para um estado de bmiséria e tormento sem fim, de onde não poderão mais voltar; portanto beberam condenação para suas próprias almas.

  26 Beberam, portanto, do cálice da ira de Deus, o qual a justiça não lhes poderia negar, como não poderia negar que aAdão caísse por haver participado do bfruto proibido; portanto a cmisericórdia nunca mais poderia reclamá-los.

  27 E o seu atormento é como um blago de fogo e enxofre, cujas chamas são inextinguíveis e cuja fumaça ascende para sempre e sempre. Assim me ordenou o Senhor. Amém.