Livro de Mosias

Mosias 

Capítulo 1

O rei Benjamim ensina a seus filhos o idioma e as profecias de seus pais — Sua religião e civilização foram preservadas por causa dos registros gravados nas várias placas — Mosias é escolhido rei e recebe a custódia dos registros e de outras coisas. Aproximadamente 130–124 a.C.

Capítulo 2

O rei Benjamim fala a seu povo — Relata a equidade, justiça e espiritualidade de seu reinado — Aconselha o povo a servir a seu Rei Celestial — Aqueles que se rebelarem contra Deus sofrerão angústia semelhante a um fogo inextinguível. Aproximadamente 124 a.C.

Capítulo 3

O rei Benjamim continua seu discurso — O Senhor Onipotente ministrará entre os homens num tabernáculo de barro — De todos os seus poros sairá sangue quando Ele expiar os pecados do mundo — Seu nome é o único pelo qual se alcança a salvação — Os homens podem despojar-se do homem natural e tornar-se santos, por meio da Expiação — O tormento dos iníquos será como um lago de fogo e enxofre. Aproximadamente 124 a.C.

Capítulo 4

O rei Benjamim continua seu discurso — A salvação é concedida por causa da Expiação — Crede em Deus para serdes salvos — Continuai fiéis para conservardes a remissão de vossos pecados — Reparti vosso sustento com os pobres — Fazei todas as coisas com sabedoria e ordem. Aproximadamente 124 a.C.

Capítulo 5

Os santos tornam-se filhos e filhas de Cristo por meio da fé — Passam a ser chamados pelo nome de Cristo — O rei Benjamim exorta-os a serem firmes e imutáveis nas boas obras. Aproximadamente 124 a.C.

Capítulo 6

O rei Benjamim registra os nomes das pessoas e designa sacerdotes para ensiná-las — Mosias reina como um rei justo. Aproximadamente 124–121 a.C.

Capítulo 7

Amon descobre a terra de Leí-Néfi, onde Lími é rei — O povo de Lími está sob o jugo dos lamanitas — Lími relata a história deles — Um profeta (Abinádi) testificara que Cristo é o Deus e Pai de todas as coisas — Aqueles que semeiam imundície colhem vendaval; e aqueles que põem sua confiança no Senhor serão libertados. Aproximadamente 121 a.C.

Capítulo 8

Amon ensina o povo de Lími — Toma conhecimento das vinte e quatro placas jareditas — Registros antigos podem ser traduzidos por videntes — Nenhum dom é maior do que a vidência. Aproximadamente 121 a.C.

Registro de Zênife — Um relato sobre seu povo, desde a ocasião em que deixaram a terra de Zaraenla até a época em que foram libertados das mãos dos lamanitas.

Abrange os capítulos 9 a 22.

Capítulo 9

Zênife conduz um grupo de Zaraenla para ocupar a terra de Leí-Néfi — O rei lamanita permite-lhes tomar posse da terra — Há guerra entre os lamanitas e o povo de Zênife. Aproximadamente 200–187 a.C.

Capítulo 10

Morre o rei Lamã — Seu povo é selvagem e feroz e crê em falsas tradições — Zênife e seu povo prevalecem contra eles. Aproximadamente 187–160 a.C.

Capítulo 11

O rei Noé governa iniquamente — Deleita-se numa vida devassa com suas esposas e concubinas — Abinádi profetiza que o povo cairá em cativeiro — O rei Noé procura tirar-lhe a vida. Aproximadamente 160–150 a.C.

Capítulo 12

Abinádi é aprisionado por profetizar a destruição do povo e a morte do rei Noé — Os falsos sacerdotes citam as escrituras e alegam guardar a lei de Moisés — Abinádi começa a ensinar-lhes os Dez Mandamentos. Aproximadamente 148 a.C.

Capítulo 13

Abinádi é protegido pelo poder divino — Ele ensina os Dez Mandamentos — Não se alcança a salvação apenas pela lei de Moisés — O próprio Deus fará uma expiação e redimirá o Seu povo. Aproximadamente 148 a.C.

Capítulo 14

Isaías fala sobre o Messias — Menciona-se a humilhação e os sofrimentos do Messias — Ele faz de Sua alma uma oferta pelo pecado e intercede pelos transgressores — Comparar com Isaías 53. Aproximadamente 148 a.C.

Capítulo 15

Como Cristo é tanto o Pai como o Filho — Ele intercederá por Seu povo e tomará sobre Si as transgressões deles — Eles e todos os santos profetas são Sua semente — Ele efetua a Ressurreição — As criancinhas têm vida eterna. Aproximadamente 148 a.C.

Capítulo 16

Deus redime os homens de seu estado de perdição e queda — Aqueles que são carnais permanecem como se não houvesse redenção — Cristo efetua a ressurreição para a vida eterna ou para a condenação eterna. Aproximadamente 148 a.C.

Capítulo 17

Alma crê nas palavras de Abinádi e escreve-as — Abinádi morre queimado — Ele profetiza enfermidades e morte por fogo para seus assassinos. Aproximadamente 148 a.C.

Capítulo 18

Alma prega secretamente — Expõe o convênio do batismo e batiza nas águas de Mórmon — Organiza a Igreja de Cristo e ordena sacerdotes — Eles trabalham para seu próprio sustento e ensinam o povo — Alma e seu povo fogem do rei Noé, indo para o deserto. Aproximadamente 147–145 a.C.

Capítulo 19

Gideão procura matar o rei Noé — Os lamanitas invadem aquela terra — O rei Noé morre queimado — Lími governa como monarca tributário. Aproximadamente 145–121 a.C.

Capítulo 20

Filhas dos lamanitas são raptadas pelos sacerdotes de Noé — Os lamanitas fazem guerra contra Lími e seu povo — Eles são repelidos e pacificados. Aproximadamente 145–123 a.C.

Capítulo 21

O povo de Lími é ferido e derrotado pelos lamanitas — Eles encontram Amon e são convertidos — Falam a Amon sobre as vinte e quatro placas jareditas. Aproximadamente 122–121 a.C.

Capítulo 22

Feitos planos para o povo escapar do cativeiro lamanita — Os lamanitas são embebedados — O povo escapa, volta a Zaraenla e submete-se ao rei Mosias. Aproximadamente 121–120 a.C.

Relato de Alma e do povo do Senhor, que foram impelidos para o deserto pelo povo do rei Noé.

Abrange os capítulos 23 e 24.

Capítulo 23

Alma recusa-se a ser rei — Ele serve como sumo sacerdote — O Senhor castiga Seu povo e os lamanitas conquistam a terra de Helã — Amulon, chefe dos iníquos sacerdotes do rei Noé, governa sujeito ao monarca lamanita. Aproximadamente 145–121 a.C.

Capítulo 24

Amulon persegue Alma e seu povo — Se orarem, deverão ser mortos — O Senhor faz com que seus fardos pareçam leves — Livra-os do cativeiro e eles voltam para Zaraenla. Aproximadamente 145–120 a.C.

Capítulo 25

Os do povo de Zaraenla (os mulequitas) tornam-se nefitas — Eles tomam conhecimento do povo de Alma e de Zênife — Alma batiza Lími e todo o seu povo — Mosias autoriza Alma a organizar a Igreja de Deus. Aproximadamente 120 a.C.

Capítulo 26

Muitos membros da Igreja são guiados ao pecado por incrédulos — Alma recebe a promessa de vida eterna — Aqueles que se arrependem e são batizados recebem perdão — Membros da Igreja, em pecado, que se arrependerem e se confessarem a Alma e ao Senhor, serão perdoados; do contrário, serão excomungados. Aproximadamente 120–100 a.C.

Capítulo 27

Mosias proíbe a perseguição e ordena a igualdade — Alma, o filho, e os quatro filhos de Mosias procuram destruir a igreja — Um anjo aparece e ordena-lhes que abandonem o mau caminho — Alma perde a fala — Toda a humanidade deve nascer de novo para obter salvação — Alma e os filhos de Mosias declaram boas novas. Aproximadamente 100–92 a.C.

Capítulo 28

Os filhos de Mosias vão pregar aos lamanitas — Usando as duas pedras de vidente, Mosias traduz as placas jareditas. Aproximadamente 92 a.C.

Capítulo 29

Mosias propõe que sejam escolhidos juízes em lugar de um rei — Reis injustos levam o povo ao pecado — Alma, o filho, é escolhido como juiz supremo pela voz do povo — Ele também é o sumo sacerdote da igreja — Alma, o pai, e Mosias morrem. Aproximadamente 92–91 a.C.