SEÇÃO 133

Revelação dada por intermédio de Joseph Smith, o Profeta, em Hiram, Estado de Ohio, em 3 de novembro de 1831 ( History of the Church 1:229–234). Prefaciando esta revelação, o Profeta escreveu: “Nessa ocasião havia muitas coisas que os élderes desejavam saber com respeito à pregação do evangelho aos habitantes da Terra e com respeito à coligação; e a fim de andar pela verdadeira luz e ser instruído do alto, em 3 de novembro de 1831 inquiri o Senhor e recebi a importante revelação seguinte” ( History of the Church 1:229). Esta seção foi inicialmente acrescentada ao livro de Doutrina e Convênios como apêndice e mais tarde recebeu um número.

1–6, É ordenado que os santos se preparem para a Segunda Vinda; 7–16, É ordenado que todos os homens fujam de Babilônia, venham para Sião e preparem-se para o grande dia do Senhor; 17–35, Ele aparecerá no Monte Sião, os continentes tornar-se-ão uma só terra e as tribos perdidas de Israel retornarão; 36–40, O evangelho foi restaurado por intermédio de Joseph Smith para ser pregado em todo o mundo; 41–51, O Senhor descerá com vingança sobre os iníquos; 52–56, Será o ano de seus remidos; 57–74, O evangelho será pregado para salvar os santos e para a destruição dos iníquos.

  ESCUTAI, ó povo da minha igreja, diz o Senhor vosso Deus, e ouvi a voz do Senhor no que concerne a vós—

  O Senhor, que subitamente virá ao seu templo; o Senhor, que descerá sobre o mundo com maldição, para julgar; sim, sobre todas as nações que se esqueceram de Deus e sobre todos os ímpios dentre vós.

  Pois ele desnudará o santo braço aos olhos de todas as nações e todos os confins da Terra verão a salvação de seu Deus.

  Portanto preparai-vos, preparai-vos, ó meu povo; santificai-vos; reuni-vos, ó povo da minha igreja, na terra de Sião; todos vós a quem não foi ordenado que permanecessem.

  Deixai Babilônia. Sede puros, vós que portais os vasos do Senhor.

  Convocai vossas assembléias solenes e falai freqüentemente uns aos outros. E que todo homem invoque o nome do Senhor.

  Sim, em verdade torno a dizer-vos que chegada é a hora em que a voz do Senhor se dirige a vós: Deixai Babilônia; reuni-vos dentre as nações, dos quatro ventos, de um extremo do céu até o outro.

  Enviai os élderes de minha igreja às nações longínquas; às ilhas do mar; enviai-os às nações estrangeiras; clamai a todas as nações, primeiro aos gentios e depois aos judeus.

  E eis que este será seu clamor e a voz do Senhor a todo o povo: Ide à terra de Sião, para que as fronteiras de meu povo se expandam e suas estacas se fortaleçam e para que Sião se estenda pelas regiões circunvizinhas.

  10 Sim, que o clamor alcance todos os povos: Despertai e erguei-vos e saí ao encontro do Esposo; eis que o Esposo vem; saí para encontrá-lo. Preparai-vos para o grande dia do Senhor.

  11  Vigiai, portanto, porque não sabeis o dia nem a hora.

  12 Portanto, os que estiverem no meio dos gentios, fujam para Sião.

  13 E os que forem de Judá fujam para Jerusalém, para as montanhas da casa do Senhor.

  14 Saí dentre as nações, sim, de Babilônia, do meio da iniqüidade, que é a Babilônia espiritual.

  15 Mas em verdade assim diz o Senhor: Que vossa fuga não seja às pressas, mas que se preparem todas as coisas com antecedência; e o que for não olhe para trás, para que não lhe sobrevenha uma destruição repentina.

  16 Escutai e ouvi, ó habitantes da Terra. Escutai juntos, vós, élderes da minha igreja, e ouvi a voz do Senhor; porque ele clama a todos os homens e ordena que todos os homens, em todas as partes, se arrependam.

  17 Pois eis que o Senhor Deus enviou o anjo clamando no meio do céu, dizendo: Preparai o caminho do Senhor e endireitai as suas veredas, porque a hora de sua vinda está próxima—

  18 Quando o Cordeiro aparecer no Monte Sião e, com ele, cento e quarenta e quatro mil, tendo o nome de seu Pai escrito na testa.

  19 Portanto preparai-vos para a vinda do Esposo; saí, saí para encontrá-lo.

  20 Pois eis que ele estará de pé sobre o Monte das Oliveiras e sobre o grandioso oceano, sim, o grande abismo, e sobre as ilhas do mar e sobre a terra de Sião.

  21 E sua voz sairá de Sião e ele falará de Jerusalém; e ouvir-se-á sua voz entre todo o povo;

  22 E será uma voz como a voz de muitas águas e como a voz de um grande trovão, que abaterá as montanhas; e não se acharão os vales.

  23 Ele ordenará ao grande abismo e este será empurrado para os países do norte e as ilhas se tornarão uma só terra;

  24 E a terra de Jerusalém e a terra de Sião voltarão para seu próprio lugar; e a Terra será como era antes de sua divisão.

  25 E o Senhor, sim, o Salvador, permanecerá no meio de seu povo e reinará sobre toda a carne.

  26 E aqueles que estiverem nos países do norte serão lembrados pelo Senhor; e seus profetas ouvirão sua voz e não mais se conterão; e ferirão as pedras e o gelo se derreterá diante deles.

  27 E erguer-se-á uma estrada no meio do grande abismo.

  28 Seus inimigos tornar-se-ão uma presa para eles;

  29 E nos desertos estéreis surgirão poços de água viva; e o solo ressequido já não será uma terra sedenta.

  30 E trarão seus ricos tesouros para os filhos de Efraim, meus servos.

  31 E as extremidades dos outeiros eternos estremecerão em sua presença.

  32 E lá cairão e serão coroados de glória, sim, em Sião, pelas mãos dos servos do Senhor, os filhos de Efraim.

  33 E encher-se-ão de cânticos de alegria eterna.

  34 Eis que essa é a bênção do Deus Eterno sobre as tribos de Israel e a mais rica bênção sobre a cabeça de Efraim e seus companheiros.

  35 E também os da tribo de Judá, após sua dor, serão santificados em santidade perante o Senhor, para habitar em sua presença dia e noite, para todo o sempre.

  36 E agora, em verdade diz o Senhor, para que estas coisas sejam conhecidas entre vós, ó habitantes da Terra: Enviei meu anjo voando pelo meio do céu, com o evangelho eterno, e ele apareceu a alguns e entregou-o ao homem e aparecerá a muitos que habitam na Terra.

  37 E este evangelho será pregado a toda nação e tribo e língua e povo.

  38 E os servos de Deus irão avante, dizendo em alta voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, porque chegada é a hora de seu julgamento;

  39 E adorai aquele que fez o céu e a Terra e o mar e as fontes das águas—

  40 Clamando ao nome do Senhor dia e noite, dizendo: Oh! Que fendas os céus; que desças; que os montes se escoem diante de tua face!

  41 E isso se cumprirá sobre sua cabeça; pois a presença do Senhor será como o fogo de fundição que queima e como o fogo que faz ferver as águas.

  42 Ó Senhor, tu descerás para tornar conhecido teu nome a teus adversários; e todas as nações tremerão em tua presença—

  43 Quando fizeres coisas terríveis, coisas que eles não esperam;

  44 Sim, quando desceres e as montanhas se escoarem em tua presença, encontrarás aquele que se regozija e pratica justiça, que se lembra de ti em teus caminhos.

  45 Pois desde o princípio do mundo homem algum ouviu nem percebeu pelo ouvido, nem olho algum viu, ó Deus, além de ti, quão grandiosas são as coisas que preparaste para aquele que espera por ti.

  46 E dir-se-á: Quem é este que vem de Deus, no céu, com vestes tingidas; sim, das regiões desconhecidas, vestido com seu traje glorioso, andando na grandiosidade de sua força?

  47 E ele dirá: Eu sou o que fala com justiça, que tem poder para salvar.

  48 E o Senhor estará vestido de vermelho e suas vestes serão como a do que pisa no lagar de vinho.

  49 E tão grandiosa será a glória de sua presença, que o sol esconderá a face de vergonha e a lua reterá sua luz e as estrelas serão arremessadas de seus lugares.

  50 E ouvir-se-á sua voz: Eu sozinho pisei no lagar e sobre todos os povos trouxe julgamento; e ninguém estava comigo;

  51 E esmaguei-os no meu furor e pisei-os em minha ira e seu sangue salpiquei em minhas vestes e manchei toda a minha vestidura; pois esse era o dia da vingança que estava em meu coração.

  52 E agora, chegado é o ano de meus remidos; e eles mencionarão a bondade amorosa de seu Senhor e tudo que ele lhes conferiu de acordo com sua benignidade e de acordo com sua bondade amorosa, para todo o sempre.

  53 Em todas as suas aflições ele afligiu-se. E o anjo de sua presença salvou-os; e, em seu amor e em sua piedade redimiu-os e sustentou-os e carregou-os em todos os dias da antigüidade;

  54 Sim, e também Enoque e os que estavam com ele; os profetas que existiram antes dele; e também Noé e os que existiram antes dele; e também Moisés e os que existiram antes dele;

  55 E de Moisés a Elias, o profeta, e de Elias a João, os quais estavam com Cristo em sua ressurreição; e os santos apóstolos, com Abraão, Isaque e Jacó, estarão na presença do Cordeiro.

  56 E as sepulturas dos santos serão abertas; e surgirão, pondo-se à direita do Cordeiro quando ele aparecer no Monte Sião e na cidade santa, a Nova Jerusalém; e entoarão o canto do Cordeiro, noite e dia, para todo o sempre.

  57 E por essa razão, para que os homens se tornassem participantes das glórias que seriam reveladas, o Senhor enviou a plenitude do seu evangelho, o seu convênio eterno, arrazoando com clareza e simplicidade—

  58 A fim de preparar os fracos para as coisas que advirão à Terra, como também para o trabalho do Senhor, no dia em que os fracos confundirem os sábios e o pequeno se tornar uma nação poderosa e dois puserem em fuga dezenas de milhares.

  59 E com as coisas fracas do mundo o Senhor açoitará as nações pelo poder de seu Espírito.

  60 E por esse motivo deram-se estes mandamentos; ordenou-se que fossem escondidos do mundo no dia em que foram dados, mas agora devem ser enviados a toda carne—

  61 E isto segundo a mente e a vontade do Senhor, que reina sobre toda a carne.

  62 E ao que se arrepende e se santifica diante do Senhor será dada a vida eterna.

  63 E sobre os que não dão ouvidos à voz do Senhor cumprir-se-á o que foi escrito pelo profeta Moisés, que disse que eles seriam afastados dentre o povo.

  64 E também o que foi escrito pelo profeta Malaquias: Porque eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos e todos os que cometem impiedade serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo.

  65 Portanto esta será a resposta do Senhor a eles:

  66 No dia em que vim aos meus, nenhum de vós me recebeu e fostes expulsos.

  67 Quando tornei a chamar, nenhum de vós me respondeu; contudo, meu braço não se encolheu de modo algum, de maneira que eu não pudesse remir, nem meu poder para livrar.

  68 Eis que, com minha repreensão, seco o mar. Transformo os rios em deserto; seus peixes cheiram mal e morrem de sede.

  69 Visto de escuridão os céus e faço de saco sua vestidura.

  70 E isso recebereis de minha mão—em tormento jazereis.

  71 Eis que não haverá quem vos livre; pois não obedecestes a minha voz quando dos céus vos chamei; não crestes em meus servos e, quando vos foram enviados, não os recebestes.

  72 Portanto selaram o testemunho e ligaram a lei; e fostes entregues às trevas.

  73 Estes irão para as trevas exteriores, onde há choro e pranto e ranger de dentes.

  74 Eis que o Senhor vosso Deus o disse. Amém.