SEÇÃO 64

Revelação dada por intermédio de Joseph Smith, o Profeta, aos élderes da Igreja, em Kirtland, Estado de Ohio, em 11 de setembro de 1831 ( History of the Church 1:211–214). O Profeta preparava-se para mudar-se para Hiram, Ohio, a fim de retomar seu trabalho na tradução da Bíblia, que havia sido posto de lado enquanto ele se encontrava no Estado de Missouri. Um grupo de irmãos que recebera ordem de ir para Sião (Missouri) preparava-se zelosamente para partir em outubro. Nessa época muito atarefada, foi recebida esta revelação.

1–11, Ordena-se que os santos se perdoem uns aos outros, para que não permaneça neles o pecado maior; 12–22, Os que não se arrependerem serão levados perante a Igreja; 23–25, O que paga o dízimo não será queimado na vinda do Senhor; 26–32, Adverte-se aos santos que não tenham dívidas; 33–36, Os rebeldes serão expulsos de Sião; 37–40, A Igreja julgará as nações; 41–43, Sião florescerá.

  EIS que assim vos diz o Senhor vosso Deus: Ó élderes da minha igreja, atendei e ouvi e recebei minha vontade concernente a vós.

  Pois em verdade vos digo: Desejo que vençais o mundo; portanto terei compaixão de vós.

  Há entre vós aqueles que pecaram; mas em verdade eu digo que, por esta vez, para minha glória e para a salvação das almas, perdoei-vos vossos pecados.

  Serei misericordioso convosco, pois a vós dei o reino.

  E as chaves dos mistérios do reino não serão tiradas de meu servo Joseph Smith Júnior pelos meios que designei, enquanto ele viver, caso obedeça a minhas ordenanças.

  Há os que, sem razão, procuraram falhas nele;

  Contudo, ele pecou; mas em verdade vos digo: Eu, o Senhor, perdôo os pecados daqueles que confessam seus pecados perante mim e pedem perdão, se não pecaram para morte.

  Meus discípulos, nos dias antigos, procuraram pretextos uns contra os outros e em seu coração não se perdoaram; e por esse mal foram afligidos e severamente repreendidos.

  Portanto digo-vos que vos deveis perdoar uns aos outros; pois aquele que não perdoa a seu irmão suas ofensas está em condenação diante do Senhor; pois nele permanece o pecado maior.

  10 Eu, o Senhor, perdoarei a quem desejo perdoar, mas de vós é exigido que perdoeis a todos os homens.

  11 E devíeis dizer em vosso coração: Que julgue Deus entre mim e ti e te recompense de acordo com teus feitos.

  12 E aquele que não se arrepender de seus pecados e não os confessar, trareis perante a igreja e fareis com ele conforme vos dizem as escrituras, seja por mandamento ou por revelação.

  13 E isso fareis para que Deus seja glorificado—não porque não os perdoais, não tendo compaixão, mas para que sejais justificados aos olhos da lei, para que não ofendais aquele que é vosso legislador.

  14 Em verdade eu vos digo: Por esse motivo fareis estas coisas.

  15 Eis que eu, o Senhor, estava zangado com aquele que foi meu servo, Ezra Booth, e também com meu servo Isaac Morley, porque não guardaram a lei nem o mandamento;

  16 Em seu coração procuraram o mal e eu, o Senhor, retive meu Espírito. Condenaram como mau aquilo em que não havia mal; contudo perdoei meu servo Isaac Morley.

  17 E também meu servo Edward Partridge—eis que ele pecou e Satanás procura destruir-lhe a alma; mas quando estas coisas se lhes tornarem conhecidas e eles se arrependerem do mal, serão perdoados.

  18 E agora, em verdade eu digo que me é conveniente que meu servo Sidney Gilbert, dentro de algumas semanas, retorne a seus negócios e a sua função de agente na terra de Sião;

  19 E aquilo que viu e ouviu seja dado a conhecer a meus discípulos, para que não pereçam. E por essa razão disse eu estas coisas.

  20 E também vos digo que, para que meu servo Isaac Morley não seja tentado além do que lhe seja possível suportar e aconselhe erradamente, em vosso prejuízo, ordenei que sua fazenda fosse vendida.

  21 Não desejo que meu servo Frederick G. Williams venda sua fazenda, porque eu, o Senhor, desejo manter na terra de Kirtland uma posição firme pelo espaço de cinco anos, nos quais não derrubarei os iníquos, a fim de, assim, poder salvar alguns.

  22 E depois disso eu, o Senhor, não considerarei culpado qualquer que vá à terra de Sião com o coração aberto; pois eu, o Senhor, exijo o coração dos filhos dos homens.

  23 Eis que o tempo presente se chama hoje até a vinda do Filho do Homem e, em verdade, é um dia de sacrifício e um dia para o dízimo de meu povo; pois aquele que paga o dízimo não será queimado na sua vinda.

  24 Porque depois de hoje vem a queima—falando à maneira do Senhor—pois em verdade eu digo que amanhã todos os soberbos e os que praticam iniqüidade serão como o restolho; e queimá-los-ei, pois sou o Senhor dos Exércitos, e não pouparei quem permanecer em Babilônia.

  25 Portanto, se credes em mim, trabalhareis enquanto é hoje.

  26 E não é conveniente que meus servos Newel K. Whitney e Sidney Gilbert vendam sua loja e os bens que aqui possuem, porque isso não é prudente até que o restante da igreja que aqui se encontra suba para a terra de Sião.

  27 Eis que minhas leis dizem, ou seja, proíbem contrair dívidas com vossos inimigos;

  28 Mas eis que em tempo algum se diz que o Senhor não poderá tomar quando quiser e pagar como lhe aprouver.

  29 Portanto, como sois agentes, estais a serviço do Senhor; e tudo o que fazeis de acordo com a vontade do Senhor é negócio do Senhor.

  30 E ele escolheu-vos para suprirdes a seus santos nestes últimos dias, a fim de que obtenham uma herança na terra de Sião.

  31 E eis que eu, o Senhor, vos declaro—e minhas palavras são certas e não falharão—que eles irão obtê-la.

  32 Todas as coisas, porém, deverão realizar-se a seu tempo.

  33 Portanto não vos canseis de fazer o bem, porque estais lançando o alicerce de uma grande obra. E de pequenas coisas provém aquilo que é grande.

  34 Eis que o Senhor requer o coração e uma mente solícita; e os que são solícitos e obedientes comerão do bem da terra de Sião nestes últimos dias.

  35 E os rebeldes serão cortados da terra de Sião e afastados e não herdarão a terra.

  36 Pois em verdade eu digo que os rebeldes não são do sangue de Efraim; portanto serão extirpados.

  37 Eis que eu, o Senhor, fiz minha igreja, nestes últimos dias, semelhante a um juiz sentado sobre um monte ou um lugar alto para julgar as nações.

  38 Pois acontecerá que os habitantes de Sião julgarão todas as coisas pertinentes a Sião.

  39 E por eles pôr-se-ão à prova os mentirosos e hipócritas e conhecer-se-ão os que não forem apóstolos e profetas.

  40 E até o bispo, que é um juiz, e seus conselheiros, se não forem fiéis em suas mordomias, serão condenados; e outros serão postos em seu lugar.

  41 Pois eis que vos digo que Sião florescerá e a glória do Senhor estará sobre ela;

  42 E será um estandarte para o povo e a ela virão de todas as nações debaixo do céu.

  43 E chegará o dia em que as nações da Terra estremecerão por causa dela e temerão por causa de seus homens terríveis. O Senhor disse-o. Amém.