SEÇÃO 88

Revelação dada por intermédio de Joseph Smith, o Profeta, em Kirtland, Estado de Ohio, em 27 de dezembro de 1832 ( History of the Church 1:302–312). Chamada pelo Profeta de ” ‘folha de oliveira’ (. . . ) tirada da Árvore do Paraíso, a mensagem de paz do Senhor para nós” ( History of the Church 1:316). Parece, pelos registros históricos, que partes desta revelação foram recebidas em 27 e 28 de dezembro de 1832 e 3 de janeiro de 1833.

1–5, Os santos fiéis recebem aquele Consolador, que é a promessa de vida eterna; 6–13, Todas as coisas são controladas e governadas pela Luz de Cristo; 14–16, A Ressurreição vem por meio da Redenção; 17–31, A obediência à lei celestial, terrestre ou telestial prepara os homens para os reinos e glórias respectivos; 32–35, Os que desejarem permanecer no pecado continuarão imundos; 36–41, Todos os reinos são governados por lei; 42–45, Deus deu uma lei para todas as coisas; 46–50, O homem compreenderá até o próprio Deus; 51–61, A parábola do homem que enviou seus servos para o campo e depois os visitou, um por um; 62–73, Aproximai-vos do Senhor e ver-lhe-eis a face; 74–80, Santificai-vos e ensinai-vos uns aos outros as doutrinas do reino; 81–85, Todo homem que tiver sido advertido deverá advertir seu próximo; 86–94, Sinais, convulsão dos elementos e anjos preparam o caminho para a vinda do Senhor; 95–102, Trombetas de anjos chamam os mortos na sua ordem; 103–116, Trombetas de anjos proclamam a restauração do evangelho, a queda de Babilônia e a batalha do grande Deus; 117–126, Buscai conhecimento, estabelecei uma casa de Deus (um templo) e revesti-vos do vínculo da caridade; 127–141, É estabelecida a ordem da Escola dos Profetas, inclusive a ordenança de lava-pés.

  EM verdade assim vos diz o Senhor, a vós que vos reunistes para saber sua vontade quanto a vós:

  Eis que isto é agradável a vosso Senhor e os anjos aregozijam-se por vossa causa; as besmolas de vossas orações subiram aos ouvidos do Senhor de cSabaote e estão registradas no dlivro de nomes dos santificados, sim, os do mundo celestial.

  Portanto, agora vos envio outro aConsolador, sim, a vós, meus amigos, para que habite em vosso coração, sim, o bSanto Espírito da promessa; esse outro Consolador é o mesmo que prometi a meus discípulos, como registrado no testemunho de João.

  Esse Consolador é a promessa de avida eterna que vos faço, sim, a bglória do reino celestial;

  Cuja glória é a da igreja do aPrimogênito, sim, de Deus, o mais santo de todos, por intermédio de Jesus Cristo, seu Filho—

  aAquele que subiu ao alto, como também bdesceu abaixo de todas as coisas, no sentido de que ccompreendeu todas as coisas, para que fosse em tudo e através de todas as coisas, a dluz da verdade;

  Verdade essa que brilha. Essa é a aluz de Cristo. Como também ele está no sol e é a luz do sol e o poder pelo qual foi bfeito.

  Como também ele está na lua e é a luz da lua e o poder pelo qual foi feita;

  Como também a luz das estrelas e o poder pelo qual foram feitas;

  10 E também a Terra e seu poder, sim, a Terra sobre a qual aestais.

  11 E a luz que brilha, que vos ilumina, vem por meio daquele que ilumina vossos olhos; e é a mesma luz que vivifica vosso aentendimento;

  12  aLuz essa que procede da presença de Deus para bencher a imensidade do espaço—

  13 A luz que está em atodas as coisas, que dá bvida a todas as coisas, que é a clei pela qual todas as coisas são governadas, sim, o poder de Deus, que se assenta em seu trono, que está no seio da eternidade, que está no meio de todas as coisas.

  14 Ora, em verdade vos digo que por meio da aredenção que foi feita por vós realiza-se a ressurreição dos mortos.

  15 E o aespírito e o bcorpo são a calma do homem.

  16 E a aressurreição dos mortos é a redenção da alma.

  17 E a redenção da alma realiza-se por meio daquele que vivifica todas as coisas, em cujo seio está decretado que os apobres e os bmansos da cTerra a herdarão.

  18 Portanto é necessário que seja santificada de toda a injustiça, a fim de ser preparada para a aglória celestial;

  19 Pois após ter cumprido o propósito de sua criação, será coroada com aglória, sim, com a presença de Deus, o Pai;

  20 Para que os corpos que forem do reino celestial apossuam-na para todo o sempre; porque com este bintento foi feita e criada e com este intento são eles csantificados.

  21 E os que não forem santificados por meio da lei que vos dei, sim, a lei de Cristo, herdarão outro reino, sim, um reino terrestre ou um reino telestial.

  22 Porque aquele que não consegue viver a alei de um reino celestial não consegue suportar uma glória celestial.

  23 E aquele que não consegue viver a lei de um reino terrestre não consegue suportar uma aglória terrestre.

  24 E aquele que não consegue viver a lei de um reino telestial não consegue suportar uma aglória telestial; portanto não é digno de um reino de glória. Portanto deve permanecer num reino que não seja um reino de glória.

  25 E também, em verdade vos digo que a aTerra vive a lei de um reino celestial, porque cumpre o propósito de sua criação e não transgride a lei—

  26 Portanto será asantificada; sim, embora vá bmorrer, tornará a ser vivificada e suportará o poder pelo qual será vivificada; e os cjustosdherdá-la-ão.

  27 Pois, apesar de morrerem, também tornarão a alevantar-se, um bcorpo espiritual.

  28 Aqueles que forem de um espírito celestial receberão o mesmo corpo que era um corpo natural; sim, recebereis vosso corpo e vossa aglória será a glória pela qual vosso corpo é bvivificado.

  29 Vós, que fordes vivificados por uma porção da aglóriabcelestial, recebereis sua plenitude.

  30 E aqueles que forem vivificados por uma porção da aglória terrestre receberão sua plenitude.

  31 E também aqueles que forem vivificados por uma porção da aglória telestial receberão sua plenitude.

  32 E os que restarem também serão avivificados; contudo, regressarão a seu próprio lugar para usufruir aquilo que estiverem bdispostos a receber, porque não estavam dispostos a usufruir aquilo que poderiam ter recebido.

  33 Pois de que vale a um homem ser-lhe conferida uma dádiva e não a receber? Eis que ele não se regozija no que lhe foi dado nem se regozija naquele que faz a doação.

  34 E também, em verdade vos digo que o que é governado pela lei é também preservado pela lei e é por ela aperfeiçoado e asantificado.

  35 Aquilo que atransgride uma lei e não obedece à lei, mas procura tornar-se uma lei para si mesmo e prefere permanecer no pecado, nele permanecendo inteiramente, não pode ser santificado por lei nem por bmisericórdia, cjustiça ou julgamento. Portanto permanece dimundo ainda.

  36 A todos os reinos se deu uma lei;

  37 E há muitos areinos; pois não existe espaço em que não haja reino; e não existe reino em que não haja espaço, seja um reino maior ou um reino menor.

  38 E a todo reino é dada uma alei; e toda lei também tem certos limites e condições.

  39 Todos os seres que não se conformam a essas acondições não são bjustificados.

  40 Pois a ainteligência apega-se à inteligência; a bsabedoria recebe a sabedoria; a cverdade abraça a verdade; a dvirtude ama a virtude; a eluz se apega à luz; a misericórdia se fcompadece da misericórdia e reclama o que é seu; a justiça segue seu curso e reclama o que é seu; o julgamento vai ante a face daquele que se assenta no trono e governa e executa todas as coisas.

  41 Ele acompreende todas as coisas e todas as coisas estão diante dele e todas as coisas estão ao seu redor; e ele está acima de todas as coisas e em todas as coisas e através de todas as coisas e ao redor de todas as coisas; e todas as coisas existem por ele e dele, sim, Deus, para todo o sempre.

  42 E também, em verdade vos digo: Ele deu uma lei para todas as coisas, pela qual se movem em seu atempo e em suas estações;

  43 E seus cursos são fixos, sim, os cursos dos céus e da Terra, que abrangem a Terra e todos os planetas.

  44 E transmitem aluz uns aos outros em seu tempo e em suas estações, em seus minutos, em suas horas, em seus dias, em suas semanas, em seus meses e em seus anos—e tudo isto é bum ano para Deus, mas não para o homem.

  45 A Terra gira em suas asas e o asol dá sua luz de dia e a lua dá sua luz à noite e as estrelas também dão sua luz, ao girarem em suas asas, em sua glória, no meio do bpoder de Deus.

  46 A que compararei estes reinos, para que compreendais?

  47 Eis que todos estes são reinos; e qualquer homem que tiver visto um deles, ou o menor deles, aviu Deus movendo-se em sua majestade e poder.

  48 Digo-vos: Ele viu-o; entretanto, aquele que veio para os aseus não foi compreendido.

  49 A aluz brilha nas trevas e as trevas não a compreendem; contudo, dia virá em que bcompreendereis até o próprio Deus, sendo vivificados nele e por ele.

  50 Então sabereis que me vistes, que eu sou e que sou a verdadeira luz que está em vós e que vós estais em mim; caso contrário, não poderíeis prosperar.

  51 Eis que compararei estes reinos a um homem que tem um campo e que a ele enviou seus servos para nele cavar.

  52 E disse ao primeiro: Vai e trabalha no campo; e na primeira hora procurar-te-ei e contemplarás a alegria de meu semblante.

  53 E disse ao segundo: Vai também para o campo e, na segunda hora, visitar-te-ei com a alegria de meu semblante.

  54 E também ao terceiro disse: Visitar-te-ei;

  55 E ao quarto e assim por diante, até o décimo segundo.

  56 E o senhor do campo foi até o primeiro na primeira hora e permaneceu com ele toda aquela hora; e ele alegrou-se com a luz do semblante de seu senhor.

  57 E então apartou-se do primeiro a fim de visitar também o segundo e o terceiro e o quarto e assim por diante, até o décimo segundo.

  58 E assim todos eles receberam a luz do semblante de seu senhor, cada homem em sua hora e em seu tempo e em sua estação—

  59 Começando pelo primeiro e assim por diante, até o aúltimo; e do último ao primeiro e do primeiro ao último;

  60 Cada homem em sua própria ordem até que sua hora terminasse, de acordo com o que seu senhor lhe ordenara, para que seu senhor fosse nele glorificado e ele em seu senhor, a fim de que todos fossem glorificados.

  61 Portanto a esta parábola compararei todos estes reinos e seus ahabitantes—cada reino em sua hora e em seu tempo e em sua estação, de acordo com o decreto de Deus.

  62 E também, em verdade vos digo, meus aamigos: Deixo-vos estas palavras para que bpondereis em vosso coração com este mandamento que vos dou de que me cinvoqueis enquanto estou perto—

  63  aAchegai-vos a mim e achegar-me-ei a vós; bprocurai-me diligentemente e cachar-me-eis; pedi e recebereis; batei e ser-vos-á aberto.

  64 Tudo o que apedirdes ao Pai em meu nome vos será dado, se for para vosso bbem;

  65 E se pedirdes alguma coisa que não seja para o vosso abem, tornar-se-á em vossa bcondenação.

  66 Eis que o que ouvis é como a avoz de alguém clamando no deserto—no deserto porque não o podeis ver—minha voz, porque minha voz é bEspírito; meu Espírito é verdade; a cverdade persiste e não tem fim; e, se estiver em vós, prosperará.

  67 E se vossos olhos estiverem afitos em minha bglória, todo o vosso corpo se encherá de luz e em vós não haverá trevas; e o corpo que é cheio de luz ccompreende todas as coisas.

  68 Portanto asantificai-vos, para que vossa bmente concentre-se em Deus; e dias virão em que o cvereis, porque ele vos desvendará sua face; e será em seu próprio tempo e a seu próprio modo e de acordo com sua própria vontade.

  69 Lembrai-vos da grande e última promessa que vos fiz; rechaçai vossos pensamentos aociosos e vossos brisos excessivos.

  70 Permanecei, permanecei neste lugar e convocai uma assembléia solene, sim, daqueles que são os primeiros trabalhadores deste último reino.

  71 E que aqueles a quem aadvertiram em suas viagens invoquem o Senhor e ponderem por algum tempo, em seu coração, a advertência que receberam.

  72 Eis que cuidarei de vossos rebanhos e levantarei élderes e enviá-los-ei a eles.

  73 Eis que apressarei minha obra a seu tempo.

  74 E dou a vós, que sois os primeiros atrabalhadores deste último reino, um mandamento de que vos reunais e vos organizeis e vos prepareis e vos bsantifiqueis; sim, purificai o coração e clavai as mãos e os pés perante mim, para que eu vos torne dlimpos;

  75 Para que eu testifique a vosso aPai e vosso Deus e meu Deus, que estais limpos do sangue desta geração iníqua; para que, quando eu desejar, cumpra esta promessa, esta grande e última promessa que vos fiz;

  76 Também vos dou um mandamento de que continueis em aoração e bjejum a partir de agora.

  77 E dou-vos um mandamento de que vos aensineis a bdoutrina do reino uns aos outros.

  78 Ensinai diligentemente e minha agraça acompanhar-vos-á, para que sejais binstruídos mais perfeitamente em teoria, em princípio, em doutrina, na lei do evangelho, em todas as coisas pertinentes ao reino de Deus, que vos convém compreender;

  79 Tanto as coisas do acéu como da Terra e de debaixo da Terra; coisas que foram, coisas que são, coisas que logo hão de suceder; coisas que estão em casa, coisas que estão no estrangeiro; as bguerras e complexidades das nações e os julgamentos que estão sobre a terra; e também um conhecimento de países e reinos—

  80 Para que estejais preparados em todas as coisas, quando eu vos enviar outra vez para magnificardes o chamado com o qual vos chamei e a missão com a qual vos comissionei.

  81 Eis que vos enviei para atestificar e advertir o povo, e todo aquele que for advertido deverá badvertir seu próximo.

  82 Portanto não têm desculpa e seus pecados estão sobre sua própria cabeça.

  83 Aquele que acedo me bbuscar achar-me-á e não será abandonado.

  84 Portanto permanecei e trabalhai diligentemente, a fim de que sejais aperfeiçoados em vosso ministério, para irdes aos agentios pela última vez—todos os que a boca do Senhor nomear—com o fim de bligar a lei e selar o testemunho e preparar os santos para a hora do julgamento que está para vir;

  85 Para que suas almas escapem à ira de Deus, a aruína da abominação que espera os iníquos, tanto neste mundo como no mundo futuro. Em verdade vos digo que aqueles que não são os primeiros élderes continuem na vinha até que a boca do Senhor os bchame, porque ainda não é chegada a sua hora; suas vestes não estão climpas do sangue desta geração.

  86 Permanecei na aliberdade que vos faz blivres; cnão vos embaraceis no dpecado, mas que se conservem elimpas as vossas mãos até que venha o Senhor.

  87 Pois em pouco tempo a aTerrabestremecerá e cambaleará de um lado para outro, como um homem embriagado; e o csol esconderá sua face e recusará sua luz; e a lua será banhada em dsangue; e as eestrelas tornar-se-ão muito zangadas e lançar-se-ão para baixo como o figo que cai de uma figueira.

  88 E depois de vosso testemunho vêm ira e indignação sobre o povo.

  89 Pois depois de vosso testemunho vem o testemunho de aterremotos, que farão gemer a Terra em seu âmago; e homens cairão por terra e não poderão ficar de pé.

  90 E vem também o testemunho da avoz de trovões e da voz de relâmpagos e da voz de tempestades e da voz das ondas do mar, arremessando-se além de seus limites.

  91 E todas as coisas estarão atumultuadas; e certamente o coração dos homens lhes falhará; pois o temor tomará conta de todos.

  92 E aanjos voarão pelo meio do céu, clamando em alta voz, soando a trombeta de Deus, dizendo: Preparai-vos, preparai-vos, ó habitantes da Terra; pois é chegado o julgamento do nosso Deus. Eis que vem o bEsposo; saí para encontrá-lo.

  93 E imediatamente aparecerá um agrande sinal no céu e todo o povo o verá juntamente.

  94 E outro anjo soará sua trombeta, dizendo: Aquela agrandebigreja, a cmãe das abominações, que fez com que todas as nações bebessem do vinho da ira de sua dfornicação, que persegue os santos de Deus, que derramou seu sangue—aquela que se assenta sobre muitas águas e sobre as ilhas do mar—eis que ela é o ejoio da Terra; está amarrada em feixes; seus laços são fortalecidos, nenhum homem os pode desatar; portanto está pronta para ser fqueimada. E ele soará sua trombeta longa e fortemente; e todas as nações a ouvirão.

  95 E haverá asilêncio no céu pelo espaço de meia hora; e imediatamente depois a cortina do céu se desenrolará, como um brolo se desenrola depois de ter sido enrolado, e a cface do Senhor será revelada;

  96 E os santos que estiverem na Terra, que estiverem vivos, serão vivificados e aarrebatados para encontrá-lo.

  97 E os que tiverem dormido em sua sepultura se alevantarão, pois sua cova será aberta; e eles também serão arrebatados para encontrá-lo no meio do pilar do céu—

  98 Eles são de Cristo, as aprimícias, os que descerão com ele primeiro, e os que estão na Terra e em suas sepulturas, que serão os primeiros a serem arrebatados para encontrá-lo; e tudo isto pela voz do soar da trombeta do anjo de Deus.

  99 E depois disto um outro anjo soará, que é a segunda trombeta; e então virá a redenção daqueles que forem de Cristo na sua vinda; os que receberam sua parte naquela aprisão preparada para eles, a fim de receberem o evangelho e serem bjulgados de acordo com os homens na carne.

  100 E também uma outra trombeta soará, que é a terceira trombeta; e aí virão aos espíritos de homens que deverão ser julgados e que se encontram sob bcondenação;

  101 E esses são os remanescentes dos amortos; e não tornarão a viver até que os bmil anos se acabem, nem até o fim da Terra.

  102 E uma outra trombeta soará, que é a quarta trombeta, dizendo: Entre os que hão de permanecer até o grande e último dia, sim, o fim, acham-se aqueles que hão de permanecer aimundos ainda.

  103 E uma outra trombeta soará, que é a quinta trombeta, que é o quinto anjo que, voando no meio do céu, entrega o aevangelho eterno a todas as nações, tribos, línguas e povos;

  104 E este será o som de sua trombeta, falando a todos, tanto no céu como na Terra e aos que estão debaixo da Terra; pois atodo ouvido o ouvirá e todo joelho se bdobrará e toda língua confessará, ao ouvirem eles o som da trombeta, dizendo: cTemei a Deus e dai glória a ele, que se assenta em seu trono para todo o sempre; pois chegada é a hora de seu juízo.

  105 E também outro anjo, que é o sexto anjo, soará sua trombeta, dizendo: aCaiu aquela que fez com que todas as nações bebessem do vinho da ira de sua fornicação; ela caiu, caiu!

  106 E também outro anjo, que é o sétimo anjo, soará sua trombeta, dizendo: Está consumado, está consumado! O aCordeiro de Deus bvenceu e sozinho cpisou o lagar, sim, o lagar do furor da ira do Deus Todo-Poderoso.

  107 E então os anjos serão coroados com a glória de seu poder e os asantos encher-se-ão com sua bglória e receberão sua cherança e serão digualados a ele.

  108 E então o primeiro anjo tornará a soar sua trombeta aos ouvidos de todos os viventes e arevelará os atos secretos dos homens e as obras grandiosas de Deus no bprimeiro milênio.

  109 E então o segundo anjo soará sua trombeta e revelará os atos secretos dos homens e os pensamentos e intentos de seus corações e as obras grandiosas de Deus no segundo milênio—

  110 E assim por diante, até que o sétimo anjo soe sua trombeta; e ele colocar-se-á sobre a terra e sobre o mar e jurará, pelo nome daquele que se assenta em seu trono, que o atempo já não existe; e bSatanás, aquela velha serpente que é chamada diabo, será amarrado e não será solto pelo espaço de cmil anos.

  111 E então será asolto por algum tempo a fim de reunir seus exércitos.

  112 E aMiguel, o sétimo anjo, sim, o arcanjo, reunirá seus exércitos, sim, as hostes dos céus.

  113 E o diabo reunirá seus exércitos; sim, as hostes do inferno, e subirá para batalhar contra Miguel e seus exércitos.

  114 E então vem a abatalha do grande Deus; e o diabo e seus exércitos serão arremessados em seu próprio lugar para que já não tenham poder sobre os santos.

  115 Porque Miguel lutará as batalhas deles e vencerá aquele que abusca o trono do que se assenta no trono, sim, o Cordeiro.

  116 Esta é a glória de Deus e dos asantificados; e eles já não verão a bmorte.

  117 Portanto, em verdade vos digo, meus aamigos: Convocai vossa assembléia solene, como vos ordenei.

  118 E como nem todos têm fé, buscai diligentemente e aensinai-vos uns aos outros palavras de bsabedoria; sim, nos melhores clivros buscai palavras de sabedoria; procurai conhecimento, sim, pelo estudo e também pela fé.

  119 Organizai-vos; preparai todas as coisas necessárias e estabelecei uma acasa, sim, uma casa de oração, uma casa de jejum, uma casa de fé, uma casa de aprendizado, uma casa de glória, uma casa de ordem, uma casa de Deus.

  120 Para que nela entreis em nome do Senhor; para que dela saiais em nome do Senhor; para que todas as vossas saudações sejam em nome do Senhor, com mãos elevadas ao Altíssimo.

  121 Portanto acessai todas as vossas conversas levianas, todo briso, todas as vossas cconcupiscências, todo dorgulho e frivolidade e todas as vossas ações iníquas.

  122 Dentre vós designai um professor e não falem todos ao mesmo tempo; mas cada um fale a seu tempo e todos ouçam suas palavras, para que quando todos houverem falado, todos sejam edificados por todos, para que todos tenham privilégios iguais.

  123 Vede que vos aameis uns aos outros; cessai de ser bcobiçosos; aprendei a repartir uns com os outros, como requer o evangelho.

  124 Cessai de ser aociosos; cessai de ser impuros; cessai de bachar faltas uns nos outros; cessai de dormir mais do que o necessário; recolhei-vos cedo, para que não vos canseis; levantai-vos cedo, para que vosso corpo e vossa mente sejam fortalecidos.

  125 E sobretudo, como que com um manto, revesti-vos do vínculo da acaridade, que é o vínculo da perfeição e bpaz.

  126  aOrai sempre, para que não desfaleçais, até que eu bvenha. Eis que depressa venho e vos receberei para mim mesmo. Amém.

  127 E também, a ordem da casa preparada para a presidência da aescola dos profetas, estabelecida para sua instrução em todas as coisas que lhes convém, sim, para todos os boficiais da igreja ou, em outras palavras, os que são chamados para o ministério da igreja, a começar pelos sumos sacerdotes, até os diáconos—

  128 E esta será a ordem da casa da presidência da escola: Aquele que for designado para presidente ou professor deverá estar em seu lugar, na casa que lhe será preparada.

  129 Portanto será o primeiro na casa de Deus, num lugar em que a congregação da casa possa ouvir-lhe as palavras atenta e distintamente, sem que ele tenha de falar alto.

  130 E quando ele entrar na casa de Deus, pois deverá ser o primeiro a chegar—eis que isto é belo, para que ele sirva de exemplo—

  131 Que se aofereça a si mesmo em oração, de joelhos perante Deus, em sinal ou lembrança do convênio eterno.

  132 E quando alguém entrar depois dele, que o professor se levante e, com mãos elevadas aos céus, sim, diretamente, saúde seu irmão ou irmãos com estas palavras:

  133 És irmão ou sois irmãos? Saúdo-vos em nome do Senhor Jesus Cristo, em sinal ou lembrança do convênio eterno, convênio esse no qual vos recebo na afraternidade, com a determinação fixa, inamovível e imutável de ser vosso amigo e birmão pela graça de Deus, nos laços do amor, para caminhar em todos os mandamentos de Deus, imaculado, com ação de graças, para todo o sempre. Amém.

  134 E o que for considerado indigno desta saudação não terá lugar entre vós; porque não permitireis que minha casa seja por ele acontaminada.

  135 E aquele que entrar e for fiel perante mim e for um irmão, ou se forem irmãos, saudarão o presidente ou professor com mãos elevadas ao céu, com essa mesma oração e convênio, ou dizendo Amém em sinal de acordo.

  136 Eis que em verdade vos digo: Isto vos é um exemplo de saudação na casa de Deus, na escola dos profetas.

  137 E sois chamados para fazer isso por meio de oração e ação de graças, como o Espírito vos levará a dizer em tudo o que fizerdes na casa do Senhor, na escola dos profetas, para que ela se torne um santuário, um tabernáculo do Santo Espírito para vossa aedificação.

  138 E a ninguém recebereis entre vós nessa escola, a não ser que esteja limpo do asangue desta geração;

  139 E ele será recebido pela ordenança do alava-pés, pois para esse fim foi instituída a ordenança do lava-pés.

  140 E também, a ordenança do lava-pés deve ser administrada pelo presidente, ou seja, o élder presidente da igreja.

  141 Deverá começar com oração; e depois de aparticipar do pão e do vinho, ele deverá cingir-se de acordo com o bmodelo dado no décimo terceiro capítulo do testemunho de João concernente a mim. Amém.