Declaração Oficial

Declaração Oficial 

Declaração Oficial 1
A Bíblia e o Livro de Mórmon ensinam que a monogamia é o padrão de Deus para o casamento, a menos que Ele declare algo diferente (ver 2 Samuel 12:7–8 e Jacó 2:27, 30). A partir de uma revelação ao Profeta Joseph Smith, a prática do casamento plural foi instituída entre os membros da Igreja no início da década de 1840 (ver seção 132). Entre as décadas de 1860 e de 1880, o governo dos Estados Unidos aprovou leis que tornaram ilegal essa prática religiosa. Mais tarde, essas leis foram sancionadas pela Suprema Corte dos Estados Unidos. Após receber uma revelação, o Presidente Wilford Woodruff emitiu o seguinte Manifesto, que foi aceito pela Igreja como oficial e obrigatório em 6 de outubro de 1890. Isso levou ao fim da prática do casamento plural na Igreja.
Declaração Oficial 2
O Livro de Mórmon ensina que “todos são iguais perante Deus,” o que inclui “negro e branco, escravo e livre, homem e mulher” (2 Néfi 26:33). Ao longo da história da Igreja, pessoas de todas as raças e etnias, em muitos países, têm sido batizadas e têm vivido na condição de membros fiéis da Igreja. Durante o tempo de vida de Joseph Smith, alguns homens negros membros da Igreja foram ordenados ao sacerdócio. No começo de sua história, os líderes da Igreja cessaram de conferir o sacerdócio a homens negros de descendência africana. Os registros da Igreja não contêm informações claras referentes à origem dessa prática. Os líderes da Igreja acreditavam que seria necessária uma revelação de Deus para que a prática fosse alterada, e buscaram orientação fervorosamente. A revelação veio ao Presidente da Igreja, Spencer W. Kimball, e foi confirmada a outros líderes da Igreja no Templo de Salt Lake, em 1º de junho de 1978. Com a revelação, foram removidas todas as restrições, no tocante à raça, que anteriormente diziam respeito ao sacerdócio.