Doutrina e Convênios

SEÇÃO 101

Revelação dada a Joseph Smith, o Profeta, em Kirtland, Estado de Ohio, em 16 de dezembro de 1833 ( History of the Church 1:458–464). Nessa ocasião, os santos que se haviam reunido no Estado de Missouri sofriam grandes perseguições. Foram expulsos de suas casas, no Condado de Jackson, por turbas; alguns dos santos tentaram estabelecer-se no Condado de Van Buren, mas continuaram a sofrer perseguições. O corpo principal da Igreja achava-se, nessa época, no Condado de Clay, Missouri. Eram muitas as ameaças de morte contra pessoas da Igreja. O povo perdera mobília, roupas, animais e outros bens pessoais e muitas de suas lavouras haviam sido destruídas.

1–8, Os santos são repreendidos e afligidos por causa de suas transgressões; 9–15, A indignação do Senhor cairá sobre as nações, mas seu povo será reunido e consolado; 16–21, Sião e suas estacas serão estabelecidas; 22–31, Explica-se a natureza da vida durante o Milênio; 32–42, Nessa época os santos serão abençoados e recompensados; 43–62, A parábola do nobre e das oliveiras significa os problemas e a redenção final de Sião; 63–75, Os santos devem continuar a reunir-se; 76–80, O Senhor estabeleceu a Constituição dos Estados Unidos; 81–101, Os santos devem pleitear compensação das injustiças sofridas, como na parábola da mulher e do juiz injusto.

  EM verdade eu te digo, em relação a teus irmãos que foram afligidos, aperseguidos e bexpulsos da terra de sua herança—

  Eu, o Senhor, permiti que lhes sobreviessem aaflições que os afligiram em conseqüência de suas btransgressões;

  Contudo possuí-los-ei e serão ameus no dia em que eu vier para reunir minhas jóias.

  Portanto é necessário que sejam acorrigidos e provados, assim bcomo Abraão, a quem foi ordenado oferecer o único filho.

  Pois todos os que não querem suportar a correção, mas anegam-me, não podem ser bsantificados.

  Eis que eu te digo: Havia desarmonias e acontendas e binvejas e disputas e cconcupiscência e cobiça entre eles; portanto, com essas coisas, corromperam suas heranças.

  Foram vagarosos em aatender à voz do Senhor seu Deus; portanto o Senhor seu Deus é vagaroso em atender a suas orações, em responder-lhes no dia de suas tribulações.

  No dia de sua paz, trataram com leviandade meus conselhos; mas, no dia de suas atribulações, bbuscaram-me por necessidade.

  Em verdade eu te digo: Apesar de seus pecados, minhas entranhas estão cheias de acompaixão por eles. Não os bexpulsarei totalmente; e no dia da cira, lembrar-me-ei da misericórdia.

  10 Eu jurei e decretei, num mandamento que vos dei anteriormente, que deixaria cair a aespada de minha indignação em favor de meu povo; e assim como eu disse, acontecerá.

  11 Minha indignação logo se derramará sem medida sobre todas as nações; e isso farei quando estiver acheio o cálice de sua iniqüidade.

  12 E nesse dia, todo aquele que se achar de aatalaia, ou, em outras palavras, todo o meu Israel, será salvo.

  13 E os que foram dispersos serão areunidos.

  14 E todos os que aprantearam serão consolados.

  15 E todos os que deram a avida pelo meu nome serão coroados.

  16 Portanto, que se console vosso coração no que diz respeito a Sião; pois toda carne está em minhas amãos; aquietai-vos e bsabei que eu sou Deus.

  17  aSião não será removida de seu lugar, apesar de seus filhos estarem dispersos.

  18 Os que permanecerem e forem puros de coração retornarão para suas aheranças, eles e seus filhos, com bcânticos de eterna alegria, para cedificar os lugares desolados de Sião—

  19 E todas estas coisas para que os profetas se cumpram.

  20 E eis que não há outro alugar designado além daquele que designei; nem haverá outro lugar designado além daquele que designei para a reunião de meus santos—

  21 Até chegar o dia em que não haja mais lugar para eles; e então lhes designarei outros lugares que tenho e serão chamados aestacas, para as cortinas ou a força de Sião.

  22 Eis que é meu desejo que todos os que invocam meu nome e me adoram, de acordo com meu evangelho eterno, se areúnam e bpermaneçam em lugares santos;

  23 E preparem-se para a revelação que virá quando o avéu que cobre meu templo, em meu tabernáculo, que oculta a Terra, for retirado; e toda carne juntamente me bverá.

  24 E toda coisa acorruptível, seja do homem ou dos animais do campo ou das aves do céu ou dos peixes do mar, que habita na face da Terra, será bconsumida;

  25 E também o que for de elementos aderreter-se-á com calor fervente; e todas as coisas tornar-se-ão bnovas, para que meu conhecimento e minha cglória habitem em toda a Terra.

  26 E nesse dia, a ainimizade do homem e a inimizade das bestas, sim, a inimizade de toda carne terá bfim de diante de minha face.

  27 E nesse dia, qualquer coisa que o homem pedir, ser-lhe-á dada;

  28 E nesse dia aSatanás não terá poder para tentar homem algum.

  29 E não haverá apranto, porque não haverá morte.

  30 Nesse dia uma acriança não morrerá antes de envelhecer; e sua vida será como a idade de uma árvore.

  31 E quando morrer, não dormirá, isto é, na terra, mas será atransformada num piscar de olhos e será barrebatada; e seu descanso será glorioso.

  32 Sim, em verdade vos digo: No adia em que o Senhor vier, ele brevelará todas as coisas—

  33 Coisas passadas e coisas aocultas que nenhum homem conheceu, coisas da Terra pelas quais foi feita e seu propósito e seu fim—

  34 Coisas muito preciosas, coisas que estão no alto e coisas que estão em baixo, coisas que estão dentro da terra e sobre a terra e nos céus.

  35 E todos os que sofrerem aperseguição pelo meu nome e perseverarem com fé, ainda que lhes seja requerido dar a vida por minha bcausa, participarão de toda esta glória.

  36 Portanto não temais nem mesmo a amorte; porque neste mundo vossa alegria não é completa, mas em mim vossa balegria é completa.

  37 Portanto não vos preocupeis com o corpo nem com a vida do corpo; mas preocupai-vos com a aalma e com a vida da alma.

  38 E abuscai sempre a face do Senhor para que, em bpaciência, possuais vossa alma; e tereis vida eterna.

  39 Quando os homens são chamados ao meu aevangelho eterno e fazem um convênio eterno, são considerados como o bsal da Terra e o sabor dos homens;

  40 São chamados para ser o sabor dos homens; portanto, se esse sal da Terra perder seu sabor, eis que, daí em diante, para nada mais presta senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens.

  41 Eis que aqui há sabedoria no tocante aos filhos de Sião, sim, muitos, mas não todos; eles foram considerados transgressores e portanto precisam ser acorrigidos

  42 Aquele que a si mesmo se aexaltar será humilhado; e aquele que a si mesmo se bhumilhar será exaltado.

  43 E agora vos narrarei uma parábola, para que conheçais minha vontade concernente à redenção de Sião.

  44 Um certo anobre possuía um pedaço de terra muito bom; e disse a seus servos: Ide a minha bvinha, sim, a esse pedaço de terra muito bom, e plantai doze oliveiras;

  45 E colocai aatalaias ao seu redor e construí uma torre, para que se possa vigiar a redondeza; e um fique de atalaia na torre, a fim de que minhas oliveiras não sejam derrubadas quando vier o inimigo para saquear e tomar para si o fruto de minha vinha.

  46 Ora, os servos do nobre fizeram o que seu senhor lhes ordenara e plantaram as oliveiras e construíram uma sebe ao redor e colocaram atalaias e começaram a construir uma torre.

  47 E enquanto ainda estavam pondo seus alicerces, começaram a dizer entre si: E que necessidade tem meu senhor desta torre?

  48 E consultaram-se por longo tempo, dizendo entre si: Que necessidade tem meu senhor desta torre, sendo que é tempo de paz?

  49 Não poderia este dinheiro ser dado aos banqueiros? Pois não há necessidade destas coisas.

  50 E enquanto discordavam entre si, tornaram-se muito preguiçosos e não deram ouvidos às ordens de seu senhor.

  51 E durante a noite chegou o inimigo e derrubou a asebe; e os servos do nobre levantaram-se atemorizados e fugiram; e o inimigo destruiu o trabalho deles e derrubou as oliveiras.

  52 Então, eis que o nobre, o senhor da vinha, chamou seus servos e perguntou-lhes: Ora, qual a causa deste grande mal?

  53 Não devíeis ter feito o que vos mandei e—depois de haverdes plantado a vinha e construído a sebe ao redor e posto atalaias sobre seus muros—construído também a torre e posto um atalaia na torre e vigiado minha vinha, sem adormecer, para que o inimigo não vos atacasse?

  54 E eis que o atalaia da torre teria visto o inimigo enquanto ainda estava distante; e então poderíeis ter-vos preparado e evitado que o inimigo derrubasse a sebe, salvando minha vinha da mão do destruidor.

  55 E o senhor da vinha disse a um de seus servos: Vai reunir o restante de meus servos e toma atoda a força de minha casa, que são meus guerreiros, meus jovens e também os de meia-idade entre meus servos, que são a força de minha casa, salvo apenas os que designei para ficarem;

  56 E ide imediatamente à terra de minha vinha e resgatai-a; pois é minha; comprei-a com dinheiro.

  57 Portanto ide imediatamente a minha terra; derrubai os muros de meus inimigos; derrubai sua torre e dispersai seus atalaias.

  58 E caso se reúnam contra vós, avingai-me de meus inimigos para que logo eu venha com o restante de minha casa e ocupe a terra.

  59 E o servo disse a seu senhor: Quando acontecerão essas coisas?

  60 E ele respondeu ao servo: Quando eu desejar; vai imediatamente e faze todas as coisas que te mandei;

  61 E este será meu selo e minha bênção sobre ti—um mordomo fiel e aprudente em minha casa, um bgovernante em meu reino.

  62 E seu servo foi imediatamente e fez todas as coisas que seu senhor lhe mandara; e adepois de muitos dias, todas as coisas se cumpriram.

  63 Também, em verdade vos digo: Mostrar-vos-ei o que me é prudente em relação a todas as igrejas, se estiverem dispostas a ser guiadas de uma forma reta e adequada para sua salvação—

  64 Para que a obra da reunião de meus santos continue a fim de que eu os edifique ao meu nome em alugares santos; porque é chegado o tempo da bceifa e minha palavra precisa ccumprir-se.

  65 Portanto preciso reunir meu povo, segundo a parábola do trigo e do ajoio, para que o trigo seja recolhido nos celeiros a fim de possuir a vida eterna e ser coroado de bglória celestial quando eu vier no reino de meu Pai para recompensar cada homem de acordo com suas obras;

  66 Enquanto que o joio será atado em feixes e suas amarraduras, fortalecidas, para que se aqueime em fogo inextinguível.

  67 Portanto um mandamento dou a todas as igrejas, de que continuem a reunir-se nos lugares que designei.

  68 Contudo, como vos disse num mandamento anterior, que vossa areunião não seja feita às pressas, nem por meio de fuga; mas que se preparem todas as coisas com antecedência.

  69 E para que se preparem todas as coisas com antecedência, observai o mandamento que vos dei concernente a estas coisas—

  70 O qual diz, ou seja, ensina a acomprar com dinheiro todas as terras, que puderem ser compradas com dinheiro, na região que circunda a terra que designei como terra de Sião, para o início da reunião de meus santos;

  71 Todas as terras que puderem ser compradas no Condado de Jackson e nos condados das redondezas, deixando o resto em minhas mãos.

  72 Ora, em verdade vos digo: Que todas as igrejas juntem todo o seu dinheiro; que estas coisas sejam feitas a seu tempo, mas não às apressas; e preparai todas as coisas com antecedência.

  73 E que sejam designados homens honrados, sim, homens prudentes; e enviai-os para comprarem essas terras.

  74 E se as igrejas da região leste, quando forem organizadas, derem ouvidos a este conselho, poderão comprar terras e reunir-se nelas; e desta forma estabelecer Sião.

  75 Já há uma reserva suficiente, sim, em abundância, para redimir Sião e estabelecer seus lugares desolados, a fim de que já não sejam abatidos, caso as igrejas que levam meu nome estejam adispostas a atender a minha voz.

  76 E também vos digo: É minha vontade que aqueles que foram dispersos por seus inimigos continuem a exigir compensação e redenção das mãos daqueles que foram colocados como governantes e que têm autoridade sobre vós—

  77 De acordo com as leis e a aconstituição do povo, que permiti fossem estabelecidas e que devem ser mantidas para os bdireitos e a proteção de toda carne, segundo princípios justos e santos;

  78 Para que todo homem aja, em doutrina e princípio relativos ao futuro, de acordo com o aarbítrio moral que lhe dei, para que todo homem seja bresponsável por seus próprios pecados no dia do cjuízo.

  79 Portanto não é certo que homem algum seja escravo de outro.

  80 E com este propósito estabeleci a aConstituição deste país, pelas mãos de homens prudentes que levantei para este propósito; e redimi a terra pelo bderramamento de sangue.

  81 Ora, a que compararei os filhos de Sião? Compará-los-ei à aparábola da mulher e do juiz injusto, porque os homens devem borar sempre e não desfalecer, a qual diz—

  82 Havia, numa cidade, um juiz que não temia a Deus nem respeitava os homens.

  83 E havia naquela cidade uma viúva e ela procurou-o, dizendo: Vinga-me de meu adversário.

  84 E por algum tempo ele não o fez, mas depois disse consigo: Ainda que não tema a Deus nem respeite os homens, contudo, como esta viúva me importuna, vingá-la-ei para que não me importune vindo aqui continuamente.

  85 Assim compararei os filhos de Sião.

  86 Que insistam aos pés do juiz;

  87 E se ele não lhes der ouvidos, que insistam aos pés do governador;

  88 E se o governador não lhes der ouvidos, que insistam aos pés do presidente;

  89 E se o presidente não lhes der ouvidos, o Senhor se erguerá e sairá de seu aesconderijo e, em sua fúria, afligirá a nação;

  90 E em seu intenso desagrado e em sua ardente ira, a seu tempo, cortará os amordomos iníquos, infiéis e injustos e designar-lhes-á sua porção entre os hipócritas e bincrédulos.

  91 Sim, nas trevas exteriores, onde há apranto e gemido e ranger de dentes.

  92 Orai, portanto, para que seus ouvidos se abram a vossos clamores, para que eu possa ser amisericordioso com eles, para que estas coisas não lhes sobrevenham.

  93 O que vos disse precisa acontecer, para que homem algum tenha adesculpa;

  94 Para que homens prudentes e governantes ouçam e compreendam o que nunca haviam aconsiderado;

  95 Para que eu execute o meu ato, o meu aestranho ato, e execute a minha obra, a minha estranha obra, para que os homens bdiscirnam os retos dos iníquos, diz vosso Deus.

  96 E também vos digo: É contrário a meu mandamento e a minha vontade que meu servo Sidney Gilbert venda a meus inimigos meu aarmazém que designei para meu povo.

  97 Que o que designei não seja profanado por meus inimigos com o consentimento daqueles que alevam meu nome;

  98 Porque esse é um sério e grave pecado contra mim e contra meu povo, em conseqüência das coisas que decretei e que logo cairão sobre as nações.

  99 Portanto é minha vontade que meu povo reivindique e mantenha seus direitos sobre o que lhes designei, embora não se lhes permita ali habitar.

  100 Contudo, não digo que lá não habitarão; porque se produzirem frutos e obras dignos de meu reino, ali habitarão.

  101 Edificarão e outros não aherdarão; plantarão vinhas e comerão de seu fruto. Assim seja. Amém.