Doutrina e Convênios

SEÇÃO 121

Oração e profecias escritas por Joseph Smith, o Profeta, enquanto prisioneiro na cadeia de Liberty, Estado de Missouri, datadas de 20 de março de 1839 ( History of the Church 3:289–300). O Profeta e vários companheiros estavam na prisão havia meses. Suas solicitações e apelos, dirigidos aos representantes dos poderes executivo e judiciário, não haviam resolvido a situação.

1–6, O Profeta suplica ao Senhor em favor dos santos que estão sofrendo; 7–10, O Senhor transmite-lhe paz; 11–17, Amaldiçoados são os que levantam falsas acusações de transgressão contra o povo do Senhor; 18–25, Não terão direito ao sacerdócio e serão amaldiçoados; 26–32, Prometem-se gloriosas revelações aos que perseverarem valentemente; 33–40, Porque muitos são chamados e poucos escolhidos; 41–46, O sacerdócio deve ser usado apenas em retidão.

  Ó DEUS, onde estás? E onde está o pavilhão que cobre teu aesconderijo?

  aAté quando tua mão será retida e teu olho, sim, teu olho puro, contemplará dos eternos céus os agravos contra teu povo e contra teus servos e teu ouvido será penetrado por seus lamentos?

  Sim, ó Senhor, aaté quando suportarão esses agravos e essas opressões ilícitas, antes que se abrande teu coração e tuas entranhas deles se compadeçam?

  Ó Senhor Deus aTodo-Poderoso, criador do céu, da Terra e dos mares e de tudo o que neles há; e que controlas e sujeitas o diabo e o escuro e tenebroso domínio de Seol—estende tua mão; que teu olho penetre; que se erga teu pavilhão; que já não se cubra teu besconderijo; que teu ouvido se incline; que se abrande teu coração e que se compadeçam de nós tuas entranhas.

  Que se acenda tua ira contra nossos inimigos; e, na fúria de teu coração, com tua espada avinga-nos dos agravos que sofremos.

  Lembra-te de teus santos que estão sofrendo, ó nosso Deus; e teus servos regozijar-se-ão em teu nome para sempre.

  Meu filho, paz seja com tua alma; tua aadversidade e tuas aflições não durarão mais que um momento;

  E então, se as asuportares bem, Deus te exaltará no alto; triunfarás sobre todos os teus inimigos.

  Teus aamigos apóiam-te e tornarão a saudar-te com coração caloroso e com mãos amistosas.

  10 Ainda não estás como a; teus amigos não discutem contigo nem te acusam de transgressão, como fizeram a Jó.

  11 A esperança dos que te acusam de transgressão será destruída e suas expectativas derreter-se-ão como a ageada branca se derrete aos raios ardentes do sol nascente;

  12 E Deus também pôs a mão e o seu selo para mudar os atempos e as estações e para cegar-lhes a mente, a fim de que não compreendam suas obras maravilhosas; também para que os possa provar e surpreender em sua própria astúcia;

  13 Também porque seu coração é corrupto; e que as coisas que desejam causar aos outros e que se deleitam em que os outros sofram recaiam sobre aeles mesmos em alto grau;

  14 Para que também se desapontem e desvaneçam-se suas esperanças;

  15 E daqui a alguns anos, que eles e sua posteridade sejam varridos de debaixo do céu, diz Deus; que não reste qualquer deles para permanecer junto à muralha.

  16 Amaldiçoados são todos os que levantarem o calcanhar contra meus aungidos, diz o Senhor; e proclamarem terem eles bpecado quando não pecaram perante mim, diz o Senhor, mas fizeram o que era agradável a meus olhos e que eu lhes ordenara.

  17 Mas os que clamam transgressão, fazem-no porque são, eles mesmos, servos do pecado e afilhos da desobediência.

  18 E os que juram falsamente contra meus servos, para levá-los à escravidão e à morte—

  19 Ai deles; porque aofenderam meus pequeninos serão separados das bordenanças de minha casa.

  20 Suas acestas não se encherão, suas casas e seus celeiros perecerão e eles próprios serão desprezados por aqueles que os lisonjeavam.

  21 Eles não terão direito ao asacerdócio nem sua posteridade depois deles, de geração em geração.

  22  aMelhor lhes fora que uma pedra de moinho lhes tivesse sido amarrada ao pescoço, afogando-os no fundo do mar.

  23 Ai de todos os que afligem meu povo e expulsam-nos e matam e testificam contra eles, diz o Senhor dos Exércitos; uma ageração de víboras não escapará à condenação do inferno.

  24 Eis que meus olhos avêem e conhecem todas as suas obras; e tenho em reserva um bjulgamento rápido, a seu próprio tempo, para todos eles;

  25 Pois cada homem tem um atempo designado, de acordo com suas bobras.

  26 Deus vos dará aconhecimento, por seu bSanto Espírito, sim, pelo indescritível cdom do Espírito Santo, conhecimento esse que não foi revelado desde a fundação do mundo até agora;

  27 O qual nossos antepassados aguardaram com ansiedade que se revelasse nos últimos tempos e que lhes foi indicado pelos anjos como estando reservado para a plenitude de sua glória;

  28 Um tempo futuro, no qual anada será retido—se há um Deus ou muitos bdeuses, eles serão manifestados.

  29 Todos os tronos e domínios, principados e poderes serão arevelados e concedidos a todos os que tiverem perseverado valentemente por causa do evangelho de Jesus Cristo.

  30 E também, se existem alimites determinados para os céus ou para os mares, ou para a terra seca, ou para o sol, lua, ou estrelas—

  31 Todos os tempos de suas revoluções, todos os dias, meses e anos designados; e todos os dias de seus dias, meses e anos; e todas as suas glórias, leis e tempos determinados serão revelados nos dias da adispensação da plenitude dos tempos—

  32 De acordo com o que foi determinado, no meio do aConselho do Eterno bDeus de todos os outros deuses, antes que este mundo existisse, que seria reservado para seu cumprimento e fim, quando todo homem entrar em sua cpresença eterna e em seu ddescanso imortal.

  33 Até quando podem águas correntes permanecer impuras? Que poder deterá os céus? Seria tão inútil o homem estender seu braço débil para deter o rio Missouri em seu curso ou fazê-lo ir correnteza acima, como o seria impedir que o Todo-Poderoso derramasse aconhecimento do céu sobre a cabeça dos santos dos últimos dias.

  34 Eis que muitos são achamados, mas poucos são bescolhidos. E por que não são escolhidos?

  35 Porque seu coração está tão fixo nas coisas deste amundo e aspiram tanto às bhonras dos homens, que eles não aprendem esta lição:

  36 Que os adireitos do sacerdócio são inseparavelmente ligados com os bpoderes do céu e que os poderes do céu não podem ser controlados nem exercidos a não ser de acordo com os princípios da cretidão.

  37 Que eles nos podem ser conferidos, é verdade; mas quando nos propomos a aencobrir nossos bpecados ou satisfazer nosso corgulho, nossa vã ambição ou exercer controle ou domínio ou coação sobre a alma dos filhos dos homens, em qualquer grau de iniqüidade, eis que os céus se dafastam; o Espírito do Senhor se magoa e, quando se afasta, amém para o sacerdócio ou a autoridade desse homem.

  38 Eis que, antes de o perceber, é abandonado a si mesmo, para arecalcitrar contra os aguilhões, bperseguir os santos e lutar contra Deus.

  39 Aprendemos, por tristes experiências, que é a anatureza e índole de quase todos os homens, tão logo suponham ter adquirido um pouco de autoridade, começar a exercer imediatamente domínio injusto.

  40 Portanto muitos são chamados, mas poucos são escolhidos.

  41 Nenhum poder ou influência pode ou deve ser mantido em virtude do sacerdócio, a não ser com apersuasão, com blonganimidade, com brandura e mansidão e com amor não fingido;

  42 Com bondade e conhecimento puro, que grandemente expandirão a alma, sem ahipocrisia e sem bdolo

  43  aReprovando prontamente com firmeza, quando movido pelo Espírito Santo; e depois, mostrando então um bamor maior por aquele que repreendeste, para que ele não te julgue seu inimigo;

  44 Para que ele saiba que tua fidelidade é mais forte que os laços da morte.

  45 Que tuas entranhas também sejam cheias de caridade para com todos os homens e para com a família da fé; e que a avirtude adorne teus bpensamentos incessantemente; então tua confiança se fortalecerá na presença de Deus; e a doutrina do sacerdócio destilar-se-á sobre tua alma como o corvalho do céu.

  46 O aEspírito Santo será teu companheiro constante, e teu cetro, um cetro imutável de retidão e verdade; e teu bdomínio será um domínio eterno e, sem ser compelido, fluirá para ti eternamente.