Doutrina e Convênios

SEÇÃO 98

Revelação dada por intermédio de Joseph Smith, o Profeta, em Kirtland, Estado de Ohio, em 6 de agosto de 1833 ( History of the Church 1:403–406). Esta revelação foi dada em conseqüência da perseguição aos santos no Estado de Missouri. Era natural que os santos de Missouri, tendo sofrido fisicamente e perdido propriedades, estivessem propensos a retaliar e vingar-se. Por esse motivo o Senhor deu esta revelação. Embora algumas notícias sobre os problemas em Missouri tivessem, sem dúvida alguma, chegado ao Profeta em Kirtland (a cerca de 1. 450 quilômetros de distância), ele só poderia ter tido conhecimento da seriedade da situação, naquela data, por meio de revelação.

1–3, As aflições dos santos são para o seu bem; 4–8, Os santos devem apoiar a lei constitucional do país; 9–10, Devem ser apoiados homens honestos, prudentes e bons para o governo secular; 11–15, Os que perderem a vida na causa do Senhor terão vida eterna; 16–18, Renunciai à guerra e proclamai a paz; 19–22, Os santos de Kirtland são repreendidos e ordena-se que se arrependam; 23–32, O Senhor revela suas leis com respeito às perseguições e aflições impostas a seu povo; 33–38, A guerra é justificada apenas quando o Senhor a ordena; 39–48, Os santos devem perdoar seus inimigos, os quais, caso se arrependam, escaparão à vingança do Senhor.

  EM verdade vos digo, meus amigos: aNão temais; que se console vosso coração; sim, regozijai-vos sempre e em tudo dai bgraças;

  aEsperando pacientemente no Senhor, porque vossas orações chegaram aos ouvidos do Senhor de Sabaote e estão registradas com este selo e testamento—o Senhor jurou e decretou que serão atendidas.

  Portanto ele vos faz essa promessa, com um convênio imutável de que serão cumpridas; e todas as coisas que vos tiverem aafligido reverterão para o vosso bem e para a glória do meu nome, diz o Senhor.

  E agora, em verdade vos digo com respeito às leis do país: É minha vontade que meu povo procure fazer todas as coisas que eu lhe mandar.

  E aa lei do país, que for bconstitucional, que apoiar o princípio da liberdade na observância de direitos e privilégios, pertencerá a toda a humanidade e será justificável perante mim.

  Portanto eu, o Senhor, vos justifico, vós e vossos irmãos de minha igreja, no apoio à lei que é a lei constitucional do país;

  E quanto às leis dos homens, o que for mais ou menos do que isso provém do mal.

  Eu, o Senhor Deus, aliberto-vos; portanto sois verdadeiramente livres. E a lei também vos liberta.

  Mas quando os ainíquos governam, o povo pranteia.

  10 Deve-se, portanto, procurar diligentemente ahomens honestos e homens prudentes; e homens bons e homens prudentes devereis apoiar; pois o que for menos do que isto provém do mal.

  11 E dou-vos o mandamento de renunciardes a todo mal e vos apegardes a todo o bem e viverdes por toda apalavra que sai da boca de Deus.

  12 Pois ele adará ao fiel linha sobre linha, preceito sobre preceito; e com isso vos btestarei e provarei.

  13 E quem aperder a vida na minha causa, por amor a meu nome, tornará a encontrá-la, sim, a vida eterna.

  14 Portanto não atemais vossos inimigos, pois decretei em meu coração, diz o Senhor, que vos bprovarei em todas as coisas para ver se permanecereis em meu convênio, mesmo até a cmorte, para que sejais considerados dignos.

  15 Porque se não permanecerdes em meu convênio, não sereis dignos de mim.

  16 Portanto arenunciai à bguerra e proclamai a cpaz; e procurai diligentemente dvoltar o coração dos filhos para seus pais e o coração dos pais para os filhos;

  17 E também o coração dos ajudeus para os profetas e os profetas para os judeus; para que eu não venha e fira toda a Terra com uma maldição e toda carne seja consumida diante de mim.

  18 Não se inquiete vosso coração, pois na casa de meu Pai há amuitas moradas e preparar-vos-ei um lugar; e onde meu Pai e eu estivermos, aí estareis também.

  19 Eis que eu, o Senhor, não estou satisfeito com muitos da igreja de Kirtland;

  20 Porque não abandonam seus pecados nem seus caminhos iníquos, o orgulho de seu coração, nem sua cobiça nem todas as suas coisas detestáveis; e não observam as palavras de sabedoria e vida eterna que lhes dei.

  21 Em verdade vos digo que eu, o Senhor, os acastigarei e farei o que me aprouver, se eles não se arrependerem e observarem todas as coisas que eu lhes disse.

  22 E também vos digo: Se afizerdes o que vos ordeno, eu, o Senhor, desviarei de vós toda ira e indignação; e as bportas do inferno não prevalecerão contra vós.

  23 Agora vos falo com respeito a vossas famílias: Se os homens vos aferirem ou a vossas famílias uma vez e suportardes isso pacientemente e não os injuriardes nem procurardes vingança, sereis recompensados;

  24 Mas se não suportardes isso pacientemente, será considerado uma amedida justa contra vós.

  25 E também, se vosso inimigo vos ferir a segunda vez e não injuriardes vosso inimigo e suportardes isso pacientemente, vossa recompensa será centuplicada.

  26 E também, se ele vos ferir a terceira vez e suportardes isso apacientemente, vossa recompensa será quatro vezes duplicada;

  27 E estes três testemunhos levantar-se-ão contra vosso inimigo, se ele não se arrepender; e não serão anulados.

  28 E agora, em verdade vos digo: Se esse inimigo escapar a minha vingança, de modo que não seja levado a julgamento perante mim, então o aadvertireis em meu nome, para que não mais vos ataque, nem vossa família, nem mesmo os filhos de vossos filhos até a terceira e a quarta geração.

  29 E então, se ele vos atacar, vós, vossos filhos ou os filhos de vossos filhos até a terceira e a quarta geração, entregá-lo-ei em vossas mãos;

  30 E então, se o poupardes, sereis recompensados por vossa retidão; e também vossos filhos e os filhos de vossos filhos até a terceira e a quarta geração.

  31 Contudo, vosso inimigo está em vossas mãos; e se o recompensardes de acordo com suas obras, estareis justificados; e se ele procurou tirar-vos a vida e vossa vida estiver em perigo por causa dele, vosso inimigo encontra-se em vossas mãos e estais justificados.

  32 Eis que essa é a lei que dei a meu servo Néfi e a vossos apais, José e Jacó e Isaque e Abraão, e a todos os meus antigos profetas e apóstolos.

  33 E também, esta é a alei que dei a meus antigos: Que não saíssem para batalhar contra nenhuma nação, tribo, língua ou povo, a não ser que eu, o Senhor, lhes ordenasse.

  34 E se qualquer nação, língua ou povo declarasse guerra contra eles, deveriam primeiro mostrar um estandarte de apaz a esse povo, nação ou língua;

  35 E se esse povo não aceitasse a oferta de paz, nem a segunda nem a terceira vez, eles deveriam levar esses testemunhos ao Senhor;

  36 Então eu, o Senhor, lhes daria um mandamento e justificaria os que saíssem para batalhar contra essa nação, língua ou povo.

  37 E eu, o Senhor, alutaria suas batalhas e as batalhas de seus filhos e as dos filhos de seus filhos, até que se tivessem vingado de todos os seus inimigos até a terceira e a quarta geração.

  38 Eis que isto é um exemplo para todos, diz o Senhor vosso Deus, de justificativa perante mim.

  39 E também, em verdade vos digo: Se depois de vosso inimigo vos ter atacado a primeira vez ele se arrepender e implorar vosso perdão, perdoá-lo-eis e já não usareis isso como testemunho contra vosso inimigo—

  40 E assim por diante, até a segunda e a terceira vez; e tantas vezes quantas vosso inimigo se arrepender das ofensas com que vos tiver ofendido, aperdoá-lo-eis, até setenta vezes sete.

  41 E se vos ofender e não se arrepender a primeira vez, mesmo assim o perdoareis.

  42 E se vos ofender a segunda vez e não se arrepender, mesmo assim o perdoareis.

  43 E se vos ofender a terceira vez e não se arrepender, também o perdoareis.

  44 Mas se vos ofender a quarta vez, não o perdoareis, mas trareis esses testemunhos diante do Senhor; e não serão anulados até que ele se tenha arrependido e vos recompensado quatro vezes mais de todas as coisas com que vos tiver ofendido.

  45 E se fizer isso, perdoá-lo-eis de todo o coração; e se ele não fizer isso, eu, o Senhor, me avingarei por vós de vosso inimigo cem vezes mais;

  46 E sobre seus filhos e sobre os filhos dos filhos de todos os que me odeiam, até a aterceira e a quarta geração.

  47 Mas se os filhos se arrependerem, ou os filhos dos filhos, e se avoltarem para o Senhor seu Deus de todo o coração e com todo o poder, mente e força, e repararem ao quádruplo todas as ofensas com que tiverem ofendido, ou com que seus pais ou os pais de seus pais tiverem ofendido, então vossa indignação findará;

  48 E a avingança já não cairá sobre eles, diz o Senhor vosso Deus, e suas ofensas jamais serão apresentadas como testemunho contra eles perante o Senhor. Amém.