1. A
  2. B
  3. C
  4. D
  5. E
  6. F
  7. G
  8. H
  9. I
  10. J
  11. K
  12. L
  13. M
  14. N
  15. O
  16. P
  17. Q
  18. R
  19. S
  20. T
  21. U
  22. V
  23. W
  24. Y
  25. Z

Israel 

O Senhor chamou de Israel a Jacó, filho de Isaque e neto de Abraão, conforme relata o Velho Testamento (Gên. 32:28; 35:10). O nome Israel pode referir-se ao próprio Jacó, a seus descendentes ou ao reino que esses descendentes vieram a possuir na época do Velho Testamento (2 Sam. 1:24; 23:3). Após Moisés tirar os filhos de Israel do cativeiro no Egito (Êx. 3–14), eles foram governados por juízes durante mais de trezentos anos. Começando com o rei Saul, Israel unida foi governada por reis até a morte de Salomão, época em que as dez tribos se rebelaram contra Roboão para formar uma nação independente. Depois que o reino de Israel foi dividido, as tribos do norte, sendo a parte maior, mantiveram o nome de Israel, ao passo que as do reino do sul tomaram o nome de Judá. Hoje em dia a terra de Canaã é também chamada de Israel. Em outro sentido, o nome de Israel também se aplica a um verdadeiro crente em Jesus Cristo (Rom. 10:1; 11:7; Gál. 6:16; Ef. 2:12).

Doze tribos de Israel

Jacó, neto de Abraão, cujo nome foi mudado para Israel, teve doze filhos. Seus descendentes tornaram-se conhecidos como as doze tribos de Israel ou o povo de Israel. São estas as doze tribos: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar e Zebulom (filhos de Jacó e Lia); Dã e Naftáli (filhos de Jacó e Bilha); Gade e Aser (filhos de Jacó e Zilpa); José e Benjamim (filhos de Jacó e Raquel) (Gên. 29:32–30:24; 35:16–18).

Antes de morrer, Jacó deu ao líder de cada tribo uma bênção (Gên. 49:1–28). Para mais informações, ver neste Guia o nome de cada um dos filhos de Jacó.

Rúben, o primogênito de Lia, primeira esposa de Jacó, perdeu a sua primogenitura e uma porção dupla da herança por causa de imoralidade (Gên. 49:3–4). A primogenitura então passou a José, o primogênito de Raquel, a segunda esposa de Jacó (1 Crôn. 5:1–2). Levi, cuja tribo o Senhor havia escolhido para servir como Seus ministros no sacerdócio, não recebeu uma herança, em virtude de seu chamado especial para ministrar a todas as tribos. Isso permitiu que a porção dupla de José fosse dividida entre os seus filhos, Efraim e Manassés (1 Crôn. 5:1; Jer. 31:9), que foram contados como tribos separadas de Israel (TJS, Gên. 48:5–6 [Apêndice da Bíblia]).

Os membros da tribo de Judá seriam os governantes até que viesse o Messias (Gên. 49:10; TJS, Gên. 50:24 [Apêndice da Bíblia]). Nos últimos dias a tribo de Efraim tem o privilégio de levar a mensagem da Restauração do evangelho ao mundo e de reunir a Israel dispersa (Deut. 33:13–17). Dia virá em que, por meio do evangelho de Jesus Cristo, Efraim desempenhará um papel de liderança na unificação de todas as tribos de Israel (Isa. 11:12–13; D&C 133:26–34).

Dispersão de Israel

O Senhor dispersou e afligiu as doze tribos de Israel, em virtude de sua iniquidade e rebeldia. Entretanto, o Senhor também usou esta dispersão do Seu povo escolhido entre as nações do mundo para abençoar essas nações.

Coligação de Israel

A casa de Israel será coligada nos últimos dias, antes da vinda de Cristo (RF 1:10). O Senhor reúne o Seu povo, Israel, quando estes O aceitam e guardam os Seus mandamentos.

Dez tribos perdidas

As dez tribos de Israel, que formaram o reino do norte (Israel), foram levadas cativas para a Assíria em 721 a.C. Naquela época elas foram para os países do norte e tornaram-se “perdidas” no que concerne ao conhecimento que temos delas, mas nos últimos dias elas retornarão.