Imprimir
Compartilhar

O Primeiro Livro dos Reis

Capítulo 19

Jezabel procura matar Elias, o profeta — Um anjo envia Elias a Horebe — O Senhor fala a Elias, não no vento nem no terremoto nem no fogo, mas com uma voz mansa e delicada — Eliseu passa a acompanhar Elias, o profeta.

1 E Acabe fez saber a aJezabel tudo quanto Elias havia feito, e como totalmente matara todos os bprofetas à espada.

2 Então Jezabel mandou um mensageiro a Elias, para dizer-lhe: Assim me façam os deuses, e outro tanto, se decerto amanhã a estas horas não fizer a tua vida como a de um deles.

3 O que vendo ele, se levantou, e para escapar com vida, se foi, e chegou a Berseba, que é de Judá, e deixou ali o seu moço.

4 E ele se foi ao deserto, caminho de um dia, e chegou, e se assentou debaixo de um azimbro; e pediu para si a morte, e disse: Já basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais.

5 E deitou-se, e dormiu debaixo de um zimbro; e eis que então um aanjo o tocou, e lhe disse: Levanta-te, come.

6 E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se.

7 E o anjo do Senhor voltou uma segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque muito comprido te será o caminho.

8 Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força daquela comida caminhou aquarenta dias e quarenta noites até bHorebe, o monte de Deus.

9 E ali entrou numa caverna e passou ali a noite; e eis que a palavra do Senhor veio a ele, e lhe disse: Que fazes aqui, Elias?

10 E ele disse: Tenho sido muito azeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram o teu convênio, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem.

11 E ele lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte perante a face do Senhor. E eis que passava o Senhor, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante da face do Senhor; porém o Senhor não estava no vento; e depois do vento, um terremoto; também o Senhor não estava no terremoto;

12 E depois do terremoto, um fogo; porém também o Senhor não estava no fogo; e depois do fogo, uma voz amansa e delicada.

13 E sucedeu que, ouvindo-a Elias, envolveu o seu rosto no seu manto, e saiu para fora, e pôs-se à entrada da caverna; e eis que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias?

14 E ele disse: Eu tenho sido em extremo zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram o teu convênio, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu afiquei; e buscam a minha vida para ma tirarem.

15 E o Senhor lhe disse: Vai, retorna pelo teu caminho para o deserto de Damasco; e vai, e aunge Hazael brei sobre a Síria.

16 Também Jeú, afilho de Ninsi, ungirás rei de Israel; e também bEliseu, filho de Safate de Abel-Meolá, ungirás cprofeta em teu lugar.

17 E há de ser que o que escapar da espada de Hazael, mata-lo-á Jeú; e o que escapar da espada de Jeú, mata-lo-á Eliseu.

18 Também eu fiz ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda a boca que não o beijou.

19 Partiu, pois, Elias dali, e achou Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele, e ele estava com a duodécima; e Elias passou por ele, e lançou o seu manto sobre ele.

20 Então deixou ele os bois, e correu após Elias, e disse: Deixa-me beijar meu pai e minha mãe, e então te aseguirei. E ele lhe disse: Vai, e volta; pois, que te fiz eu?

21 Voltou, pois, de seguí-lo, e tomou uma junta de bois, e os matou, e com os aparelhos dos bois cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram; então se levantou e seguiu Elias, e o servia.