Jó 

Capítulo 1

Jó, homem justo e íntegro, é abençoado com grandes riquezas — Satanás recebe permissão do Senhor para tentar e para pôr Jó à prova — As propriedades e os filhos de Jó são destruídos, mas ele ainda assim louva e bendiz o Senhor.

Capítulo 2

Satanás recebe permissão do Senhor para afligir Jó fisicamente — Jó é acometido de úlceras — Elifaz, Bildade e Zofar vão consolá-lo.

Capítulo 3

Jó amaldiçoa as circunstâncias de seu nascimento — Ele pergunta: Por que não morri eu desde a madre?

Capítulo 4

Elifaz repreende Jó, fazendo perguntas como: São os retos destruídos? Seria porventura o homem mais puro do que o seu Criador?

Capítulo 5

Elifaz aconselha Jó, dizendo: O homem nasce para a tribulação, busca a Deus, e bem-aventurado é o homem que Deus castiga.

Capítulo 6

Jó lamenta seu pesar — Ele ora pedindo a Deus que atenda a suas súplicas — Deve-se ter compaixão dos aflitos — Quão fortes são as palavras da boa razão!

Capítulo 7

Jó pergunta: Porventura não é a vida do homem uma luta sobre a terra? Que é o homem, para que o engrandeças? Por que não perdoas a minha transgressão?

Capítulo 8

Bildade pergunta: Porventura perverteria Deus o direito? — Bildade diz: Nossos dias sobre a terra são como a sombra, e Deus não rejeitará o homem reto.

Capítulo 9

Jó reconhece a justiça e a grandiosidade de Deus, concluindo que o homem não pode contender com Ele.

Capítulo 10

Jó fica entediado da vida — Ele argumenta com Deus sobre suas aflições — Jó pergunta: Por que, pois, me tiraste da madre?

Capítulo 11

Zofar pergunta: Porventura alcançarás os caminhos de Deus? — Zofar diz que a esperança dos iníquos desvanecerá como se tivesse morrido.

Capítulo 12

Jó diz que a alma de todas as coisas está nas mãos do Senhor, que com os idosos está a sabedoria e que o Senhor governa em todas as coisas.

Capítulo 13

Jó presta testemunho de sua confiança no Senhor e diz: Ainda que Ele me matasse, Nele esperarei, e também Ele será a minha salvação.

Capítulo 14

Jó testifica que a vida é curta, que a morte é certa e que a ressurreição é garantida — Ele pergunta: Morrendo o homem, porventura tornará a viver? — Jó responde que esperará o chamado do Senhor para sair do sepulcro.

Capítulo 15

Elifaz descreve a inquietação dos iníquos — Eles não acreditam que voltarão das trevas nem que serão ressuscitados.

Capítulo 16

Jó fala contra os iníquos que se opõem a ele — Embora até seus amigos zombem dele, ele testifica que sua testemunha está no céu e que seu testemunho está nas alturas.

Capítulo 17

Jó fala da tristeza da morte e da sepultura no dia em que o corpo retornar ao pó.

Capítulo 18

Bildade explica o estado de condenação dos iníquos que não conhecem a Deus.

Capítulo 19

Jó explica os males que se acometeram sobre ele e testifica: Eu sei que vive meu Redentor — Jó profetiza que ressuscitará e que em sua carne verá Deus.

Capítulo 20

Zofar mostra a condição dos iníquos — Ele diz: O júbilo dos ímpios é breve, e a alegria dos hipócritas, como de um momento.

Capítulo 21

Jó admite que os iníquos às vezes prosperam nesta vida — Em seguida, ele testifica que o julgamento deles será depois desta vida, no dia da ira e da destruição.

Capítulo 22

Elifaz acusa Jó de vários pecados e o exorta a arrepender-se.

Capítulo 23

Jó busca o Senhor e afirma sua própria retidão — Ele diz: Pondo-me à prova o Senhor, sairei como o ouro.

Capítulo 24

Os assassinos, os adúlteros, os opressores dos pobres, e as pessoas iníquas em geral, muitas vezes, ficam por um breve tempo sem punição.

Capítulo 25

Bildade lamenta o estado decaído do homem e o classifica como um verme.

Capítulo 26

Jó repreende a falta de empatia de Bildade — Jó ressalta o poder, a grandiosidade e a força do Senhor.

Capítulo 27

Jó afirma sua retidão — Quando os iníquos são sepultados na morte, o terror se apodera deles.

Capítulo 28

A riqueza procede da terra — A sabedoria não pode ser comprada — O temor do Senhor é sabedoria, e o apartar-se do mal, inteligência.

Capítulo 29

Jó relembra sua antiga prosperidade e grandeza — Ele era abençoado por causa de sua retidão, de sua caridade e de suas boas obras.

Capítulo 30

Os filhos de homens vis e iníquos riem-se de Jó — Em seu estado de aflição, ele clama ao Senhor — Jó diz que chorou pelos que estavam aflitos.

Capítulo 31

Jó pede um julgamento para que Deus reconheça sua integridade — Se agiu mal, Jó aceita de boa vontade o castigo por tê-lo feito.

Capítulo 32

Eliú, irado, responde a Jó e a seus três amigos — Eliú diz: Há um espírito no homem, e a inspiração do Todo-Poderoso os faz entender — Ele também diz que os grandes homens nem sempre são sábios.

Capítulo 33

Eliú diz: Maior é Deus do que o homem, Ele fala ao homem em sonhos e visões, resgata os que foram lançados na cova, salva-lhes a alma e dá-lhes vida.

Capítulo 34

Eliú ensina que Deus não pode ser injusto nem cometer iniquidade nem perverter o juízo nem fazer acepção de pessoas — O homem deve suportar a repreensão e não cometer mais iniquidade.

Capítulo 35

Eliú contrasta a fraqueza do homem com o poder de Deus — Nossa iniquidade prejudica outros homens, e nossa retidão os ajuda — O homem deve confiar no Senhor.

Capítulo 36

Eliú diz: Os justos se tornam prósperos — Os iníquos perecem e morrem sem conhecimento — Eliú louva a grandiosidade de Deus.

Capítulo 37

Eliú conclui, dizendo: O Senhor controla as leis da natureza — Deus reina em tremenda majestade.

Capítulo 38

Deus pergunta a Jó onde ele estava quando foram estabelecidos os fundamentos da Terra, quando as estrelas da manhã cantavam juntas e quando todos os filhos de Deus bradavam de alegria — Os fenômenos da natureza mostram a grandiosidade de Deus e a fraqueza do homem.

Capítulo 39

A fraqueza e a ignorância do homem são comparadas com as grandiosas obras de Deus — Acaso sabe o homem como funcionam as leis da natureza?

Capítulo 40

O Senhor desafia Jó, e este responde com humildade — O Senhor fala a Jó sobre Seu poder — Ele pergunta: Tens braço como Deus? — Ele dá mostra de Seu poder no beemote.

Capítulo 41

O Senhor dá mostra de Seu poder no leviatã — Todas as coisas debaixo de todo o céu são do Senhor.

Capítulo 42

Jó se arrepende no pó e na cinza — Ele vê o Senhor com seus olhos — O Senhor repreende os amigos de Jó, aceita Jó, abençoa-o e faz com que seus últimos dias sejam melhores do que os primeiros.