CAPÍTULO 7

(Dezembro de 1830)

Enoque ensina, guia o povo e move montanhas—Estabelecida a cidade de Sião—Enoque prevê a vinda do Filho do Homem, seu sacrifício expiatório e a ressurreição dos santos—Ele prevê a Restauração, a Coligação, a Segunda Vinda e o retorno de Sião.

  E aconteceu que Enoque continuou a falar, dizendo: Eis que nosso pai Adão ensinou estas coisas e muitos acreditaram e tornaram-se afilhos de Deus; e muitos não acreditaram e pereceram em seus pecados e esperam com btemor, em tormento, que a ardente indignação da ira de Deus se derrame sobre eles.

  E daquele tempo em diante Enoque começou a profetizar, dizendo ao povo: Quando eu estava viajando e me encontrava no lugar chamado Maúja e clamei ao Senhor, veio do céu uma voz que dizia: Volta-te e sobe ao Monte Simeon.

  E aconteceu que eu me voltei e subi ao monte; e enquanto estava no monte, vi os céus se abrirem e fui revestido de aglória;

  E vi o Senhor; e ele pôs-se diante de minha face e falou comigo, sim, como um homem fala com outro, aface a face; e ele disse-me: bOlha e mostrar-te-ei o mundo pelo espaço de muitas gerações.

  E aconteceu que olhei para o Vale de Sum e eis um grande povo que habitava em tendas, que era o povo de Sum.

  E o Senhor tornou a dizer-me: Olha; e olhei para o norte e vi o povo de Canaã, que habitava em tendas.

  E o Senhor disse-me: Profetiza; e eu profetizei, dizendo: Eis que o povo de Canaã, que é numeroso, irá batalhar contra o povo de Sum e matá-los-á até destruí-los por completo; e o povo de Canaã dividir-se-á na terra e a terra será estéril e infecunda; e nenhum outro povo viverá ali, a não ser o povo de Canaã;

  Pois eis que o Senhor amaldiçoará a terra com muito calor e a sua esterilidade continuará para sempre; e uma cor anegra desceu sobre todos os filhos de Canaã, de modo que foram desprezados entre todos os povos.

  E aconteceu que o Senhor me disse: Olha; e olhei e vi a terra de Saron e a terra de Enoque e a terra de Ômner e a terra de Heni e a terra de Sem e a terra de Haner e a terra de Hananias e os habitantes de todas elas;

  10 E o Senhor disse-me: Dirige-te a esse povo e dize-lhes que se aarrependam, para que eu não venha e os açoite com uma maldição e eles pereçam.

  11 E ele me deu um mandamento de que eu abatizasse em nome do Pai e do Filho, que é cheio de bgraça e verdade, e do cEspírito Santo, que presta testemunho do Pai e do Filho.

  12 E aconteceu que Enoque continuou a chamar todo o povo, com exceção do povo de Canaã, ao arrependimento;

  13 E tão grande era a a que possuía Enoque, que ele conduziu o povo de Deus; e seus inimigos saíram para batalhar contra ele e ele proferiu a palavra do Senhor e a terra tremeu e as bmontanhas fugiram, sim, de acordo com sua ordem; e os crios de água desviaram-se de seu curso e o rugido dos leões fez-se ouvir no deserto; e todas as nações temeram grandemente, tão dpoderosa era a palavra de Enoque e tão grande era o poder da linguagem que Deus lhe dera.

  14 Subiu também uma terra, das profundezas do mar, e tão grande era o temor dos inimigos do povo de Deus que eles fugiram e foram para longe, para a terra que subira das profundezas do mar.

  15 E os agigantes da terra também foram para longe; e caiu uma maldição sobre todo o povo que lutava contra Deus;

  16 E daquele tempo em diante, houve guerras e derramamento de sangue entre eles; mas o Senhor veio habitar com seu povo e eles viveram em retidão.

  17 O atemor do Senhor estava sobre todas as nações, tão grande era a glória do Senhor que se achava sobre seu povo. E o Senhor babençoou a terra e eles foram abençoados sobre as montanhas e sobre os lugares elevados; e floresceram.

  18 E o Senhor chamou seu povo aSião, porque eram bunos de coração e vontade e viviam em retidão; e não havia pobres entre eles.

  19 E Enoque continuou pregando em retidão ao povo de Deus. E aconteceu em seus dias que ele edificou uma cidade que foi chamada Cidade da Santidade, sim, Sião.

  20 E aconteceu que Enoque falou com o Senhor; e ele disse ao Senhor: Certamente aSião habitará em segurança para sempre. O Senhor, porém, disse a Enoque: Sião eu abençoei, mas o restante do povo eu amaldiçoei.

  21 E aconteceu que o Senhor mostrou a Enoque todos os habitantes da Terra; e ele olhou e eis que Sião, com o correr do tempo, foi aarrebatada ao céu. E o Senhor disse a Enoque: Eis minha morada para sempre.

  22 E Enoque também viu os remanescentes do povo que eram os filhos de Adão; e eram uma mistura de toda a semente de Adão, exceto a de Caim, pois a semente de Caim era anegra e não tinha lugar entre eles.

  23 E depois que Sião foi arrebatada ao acéu, Enoque bolhou e eis que ctodas as nações da Terra estavam diante dele;

  24 E geração sucedia a geração; e Enoque foi elevado e aarrebatado, sim, ao seio do Pai e do Filho do Homem; e eis que o poder de Satanás estava sobre toda a face da Terra.

  25 E ele viu anjos descendo do céu; e ouviu uma alta voz, dizendo: Ai, ai dos habitantes da Terra.

  26 E ele viu Satanás; e este tinha uma grande acorrente na mão, que cobria de btrevas toda a face da Terra; e ele olhou para cima e riu; e seus canjos rejubilaram-se.

  27 E Enoque viu aanjos que desciam do céu, prestando btestemunho do Pai e do Filho; e o Espírito Santo desceu sobre muitos e eles foram arrebatados, pelos poderes do céu, a Sião.

  28 E aconteceu que o Deus do céu olhou o restante do povo e chorou; e Enoque prestou testemunho disso, dizendo: Como é que os céus choram e derramam suas lágrimas como a chuva sobre as montanhas?

  29 E Enoque disse ao Senhor: Como é que podes achorar, sendo que és santo e de toda eternidade para toda eternidade?

  30 E se fosse possível ao homem contar as partículas da Terra, sim, de milhões de aterras como esta, não seria sequer o princípio do número de tuas bcriações; e tuas cortinas ainda estão estiradas; e, contudo, estás ali e teu seio está ali; e também és justo; tu és misericordioso e bondoso para sempre;

  31 E tomaste Sião para teu próprio seio, de todas as tuas criações, de toda eternidade para toda eternidade; e nada a não ser apaz, bjustiça e cverdade é a habitação de teu trono; e a misericórdia irá adiante de tua face e não terá fim; como é que podes chorar?

  32 O Senhor disse a Enoque: Olha estes teus irmãos; eles são a obra de minhas próprias amãos e eu dei-lhes seu bconhecimento no dia em que os criei; e no Jardim do Éden dei ao homem seu carbítrio;

  33 E a teus irmãos disse eu e também dei mandamento que se aamassem uns aos outros e que escolhessem a mim, seu Pai; mas eis que eles não têm afeição e odeiam seu próprio sangue.

  34 E o afogo de minha indignação está aceso contra eles; e em meu ardente descontentamento enviarei bdilúvios sobre eles, pois minha ardente ira está acesa contra eles.

  35 Eis que eu sou Deus; aHomem de Santidade é o meu nome; Homem de Conselho é o meu nome; e Infinito e Eterno é o meu bnome também.

  36 Portanto posso estender minhas mãos e segurar todas as criações minhas; e meus aolhos podem trespassá-las também e, entre todas as obras de minhas mãos, jamais houve tanta bmaldade como entre teus irmãos.

  37 Mas eis que seus pecados cairão sobre a cabeça de seus pais; Satanás será seu pai e angústia, seu destino; e todo o céu chorará sobre eles, sim, toda a obra de minhas mãos; portanto não deverão os céus chorar, vendo que eles sofrerão?

  38 Mas eis que estes que teus olhos contemplam perecerão nos dilúvios; e eis que os encarcerarei; uma aprisão preparei para eles.

  39 E aaquele que escolhi implorou diante da minha face; portanto ele sofre pelos pecados deles, desde que se arrependam no dia em que meu bEscolhido voltar para mim; e até esse dia eles estarão em ctormento;

  40 Por esse motivo, pois, chorarão os céus, sim, e toda a obra de minhas mãos.

  41 E aconteceu que o Senhor falou a Enoque e contou a Enoque todos os feitos dos filhos dos homens; portanto Enoque sabia e contemplou as iniqüidades e a angústia deles; e chorou; e estendeu os braços e dilatou-se-lhe o acoração, como a eternidade; e comoveram-se-lhe as entranhas e toda a eternidade tremeu.

  42 E Enoque também viu aNoé e sua bfamília; que a posteridade de todos os filhos de Noé seria salva com uma salvação física.

  43 Portanto Enoque viu que Noé construiu uma aarca e que o Senhor sorriu diante dela e segurou-a em sua própria mão; mas, sobre o restante dos iníquos, vieram as enchentes e tragaram-nos.

  44 E quando Enoque viu isso, ficou com a alma amargurada e chorou por seus irmãos; e disse aos céus: aRecusar-me-ei a ser consolado; mas o Senhor disse a Enoque: Anima-te e alegra-te; e olha.

  45 E aconteceu que Enoque olhou; e, a partir de Noé, ele viu todas as famílias da Terra; e clamou ao Senhor, dizendo: Quando chegará o dia do Senhor? Quando se derramará o sangue do Justo para que todos os que choram sejam asantificados e tenham vida eterna?

  46 E o Senhor disse: Será no ameridiano dos tempos, nos dias de iniqüidade e vingança.

  47 E eis que Enoque viu o dia da vinda do Filho do Homem na carne; e sua alma rejubilou-se, dizendo: O Justo é levantado e o aCordeiro, morto desde a fundação do mundo; e pela fé eu estou no seio do Pai e eis que bSião está comigo.

  48 E aconteceu que Enoque olhou a aTerra; e ele ouviu uma voz que vinha de suas entranhas, dizendo: Ai, ai de mim, a mãe dos homens; estou aflita, estou fatigada por causa da iniqüidade de meus filhos. Quando bdescansarei e serei purificada da cimundície que saiu de mim? Quando me santificará o meu Criador, para que eu descanse e a justiça permaneça sobre minha face por algum tempo?

  49 E quando Enoque ouviu o lamento da Terra, ele chorou e clamou ao Senhor, dizendo: Ó Senhor, não terás compaixão da Terra? Não abençoarás os filhos de Noé?

  50 E aconteceu que Enoque continuou a clamar ao Senhor, dizendo: Rogo-te, ó Senhor, em nome de teu Unigênito, sim, Jesus Cristo, que tenhas misericórdia de Noé e sua semente, para que a Terra nunca seja coberta pelas enchentes.

  51 E o Senhor não pôde negar; e fez aliança com Enoque e jurou-lhe, com um juramento, que deteria as aenchentes; que visitaria os filhos de Noé;

  52 E ele expediu um decreto inalterável de que um aremanescente de sua semente seria sempre encontrado entre todas as nações enquanto a Terra subsistisse;

  53 E o Senhor disse: Bendito é aquele por meio de cuja semente o Messias virá; pois ele diz: Eu sou o aMessias, o bRei de Sião, a cRocha do Céu, que é extensa como a eternidade; quem entrar pela porta e dsubir por meu intermédio, jamais cairá; portanto benditos são aqueles de quem falei, porque virão com ecanções de alegria eterna.

  54 E aconteceu que Enoque clamou ao Senhor, dizendo: Quando o Filho do Homem vier na carne, descansará a Terra? Rogo-te que me mostres essas coisas.

  55 E o Senhor disse a Enoque: Olha; e ele olhou e viu o aFilho do Homem levantado na bcruz, segundo o costume dos homens;

  56 E ele ouviu uma alta voz; e os céus foram cobertos; e todas as criações de Deus choraram; e a Terra agemeu; e as rochas partiram-se; e os santos blevantaram-se e foram ccoroados à ddireita do Filho do Homem, com coroas de glória;

  57 E todos os aespíritos que estavam na bprisão saíram e puseram-se à direita de Deus; e o restante foi retido em cadeias de trevas até o julgamento do grande dia.

  58 E Enoque tornou a chorar e a clamar ao Senhor, dizendo: Quando descansará a Terra?

  59 E Enoque viu o Filho do Homem ascender ao Pai; e clamou ao Senhor, dizendo: Não virás outra vez à Terra? Pois tu és Deus e conheço-te; e juraste-me e ordenaste-me que eu pedisse em nome do teu Unigênito; fizeste-me e deste-me direito a teu trono; e não por mim mesmo, mas por meio de tua própria graça; portanto te pergunto se não virás outra vez à Terra.

  60 E o Senhor disse a Enoque: Como eu vivo, assim virei nos aúltimos dias, nos dias de iniqüidade e vingança, para cumprir o juramento que te fiz concernente aos filhos de Noé;

  61 E chegará o dia em que a Terra adescansará, mas antes desse dia os céus bescurecerão e um cvéu de trevas cobrirá a Terra; e os céus tremerão, assim como a Terra; e haverá grandes tribulações entre os filhos dos homens, mas meu povo eu dpreservarei;

  62 E ajustiça enviarei dos céus; e bverdade farei brotar da cterra para prestar dtestemunho do meu Unigênito; de sua eressurreição dentre os mortos; sim, e também da ressurreição de todos os homens; e justiça e verdade farei varrerem a Terra, como um dilúvio, a fim de freunir meus eleitos dos quatro cantos da Terra em um lugar que prepararei, uma Cidade Santa, para que meu povo cinja os lombos e anseie pelo tempo da minha vinda; pois ali estará meu tabernáculo e chamar-se-á Sião, uma gNova Jerusalém.

  63 E o Senhor disse a Enoque: Então irás com toda a tua acidade encontrá-los lá; e recebê-los-emos em nosso seio e eles ver-nos-ão; e debruçar-nos-emos sobre seu colo e eles debruçar-se-ão sobre nossos ombros; e beijaremos um ao outro;

  64 E lá será a minha morada e será Sião, a qual sairá dentre todas as criações minhas; e pelo espaço de amil anos a Terra bdescansará.

  65 E aconteceu que Enoque viu o dia da avinda do Filho do Homem nos últimos dias, para habitar na Terra, em justiça, pelo espaço de mil anos;

  66 Mas antes desse dia ele viu grandes tribulações entre os iníquos; e também viu o mar, que se agitava, e o coração dos homens, que adesfalecia, esperando com temor os bjulgamentos do Deus Todo-Poderoso, os quais haveriam de cair sobre os iníquos.

  67 E o Senhor mostrou a Enoque todas as coisas, sim, até o fim do mundo; e ele viu o dia dos justos, a hora de sua redenção; e recebeu uma plenitude de aalegria;

  68 E todos os dias de aSião, nos dias de Enoque, foram trezentos e sessenta e cinco anos.

  69 E Enoque e todo o seu povo aandavam com Deus e ele habitou no meio de Sião; e aconteceu que Sião já não existia, porque Deus a recebeu em seu próprio seio; e daí em diante se começou a dizer: Sião Fugiu.