• Home
  • Recursos para Deficiência
  • Respeitar as Pessoas com Necessidades Especiais

Respeitar as Pessoas com Necessidades Especiais


“O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Romanos 8:16).

Assim como nenhuma pessoa é igual a outra, nenhuma pessoa com necessidade especial é igual a outra, mesmo se eles tiverem a mesma deficiência. Uma deficiência é uma limitação funcional que pode interferir na capacidade que a pessoa tem de andar, ouvir, falar, ver, pensar e aprender, mas não afeta todas as pessoas da mesma maneira. Além disso, algumas pessoas têm deficiências múltiplas em vários níveis.

Quando falar ou relacionar-se com uma pessoa com necessidades especiais:

  • Sorria; seja natural.
  • Concentre-se nas habilidades da pessoa. Não fique tão concentrado na deficiência de modo a impedi-lo de ver a pessoa.
  • Converse com a pessoa com necessidade especial — ou com o prestador de cuidados da pessoa, quando adequado — para saber como você pode incluí-la nas atividades e com o que ela se sente à vontade.
  • Seja respeitoso. Ofereça ajuda se solicitado ou se a necessidade for óbvia. Não mova cadeiras de rodas ou outros andadores sem a permissão do dono.
  • Fale lenta e diretamente ao conversar com uma pessoa com deficiência auditiva. Não presuma que a pessoa com deficiência auditiva ou de fala tenha deficiência intelectual.
  • Seja paciente.
  • Tenha consideração pelos sentimentos daquela pessoa quando fala com os outros. Você iria querer que aquilo que você está prestes a dizer fosse dito a seu respeito?

Lembre-se de falar com mansidão a menos que a pessoa tenha uma deficiência auditiva. Falar alto não melhora a compreensão.

Termos que Demonstram Respeito pelas Pessoas

Os termos considerados adequados geralmente diferem de um grupo para o outro e de uma geração para a outra. Uma boa regra é levar em consideração a pessoa antes de pensar na deficiência. Uma pessoa com necessidade especial, por exemplo, não é uma “deficiente” ou “inválida”. Nem a irmã Silva é “deficiente” ou “inválida”. Devemos dizer que “a irmã Silva tem uma deficiência” ou “o irmão Smith usa cadeira de rodas”.

Para Membros com Necessidades Especiais, Suas Famílias ou Àqueles Que Lhes Prestam Cuidados

Seja paciente enquanto os outros membros aprendem sobre os aspectos da deficiência e vencem percepções errôneas. Perceba que a maioria dos membros da Igreja está aberta à orientação sobre como ajudar e incluir as pessoas com necessidades especiais. Reconheça que outras pessoas que se importam podem também ser inspiradas a saber como ajudar. O Espírito Santo pode ajudar a família, os professores e líderes a estender a mão e ser úteis.