• Home
  • Recursos para Deficiência
  • Perda de Memória

Perda de Memória

três mulheres sentadas junto a uma mesa, estudando o evangelho juntas

Compreender a Perda de Memória

Às vezes, além do processo normal de envelhecimento, ocorre perda de memória decorrente de doença ou traumatismo cerebral. Certas doenças cerebrais como a doença de Alzheimer podem causar maior perda de memória. Derrames são outra causa comum.

Depois de uma vida inteira de independência, conhecimento, confiança e autoestima, a pessoa pode sentir que a perda de memória inesperadamente traz confusão, distúrbios emocionais e mudanças na personalidade e no comportamento.

A Memória de Curto Prazo, as Rotinas Diárias e as Habilidades Intelectuais São Afetadas

A cada dia a capacidade de encontrar objetos de valor, reconhecer familiares e amigos ou controlar os sentimentos pode diminuir. Pode ser difícil lidar com pensamentos e comportamentos repetitivos. A perda das funções resulta no isolamento e na perda da independência. Concepções errôneas comuns sobre a perda da memória podem trazer medo e ansiedade tanto à pessoa que sofre quanto a seus entes queridos.

A Perda da Memória Requer Ajustes aos Padrões de Vida

Os membros da família, amigos, as pessoas do convívio e outros prestadores de cuidados podem ajustar-se para atender às necessidades da pessoa afetada. Os padrões de vida da família devem ser alterados com frequência a fim de prover cuidado constante e consistente. As pessoas com doenças irreversíveis e progressivas acabarão ficando incapazes de cuidar de suas necessidades básicas.

Voltar ao Topo


Maneiras de Ajudar

  • Procure avaliação médica e informações logo que aparecerem os primeiros sinais. Tranquilize as pessoas com perda de memória durante os momentos de ansiedade ou frustração.
  • Responda as perguntas repetidas com informações consistentes. Dê as boas-vindas aos membros da família e visitantes com os nomes, relacionamentos e títulos adequados. Ajude a pessoa a resolver pensamentos confusos.
  • Um local sossegado, seguro e organizado vai ajudar a pessoa a permanecer calma. Guarde os remédios e objetos perigosos fora de alcance. Elimine ou proteja itens que sejam potencialmente inseguros.
  • Dê estrutura para a vida diária usando listas escritas ou gravuras a fim de ajudar na realização das tarefas de rotina. Considere a possibilidade de etiquetar os itens.
  • Providencie uma programação diária completa e estimulante que possa incluir música, discursos inspiradores gravados, conversas, exercícios, jogos, artes, artesanatos e passeios.
  • Quando o comportamento for inadequado, não ameace, desafie ou confronte, mas redirecione a atenção da pessoa para outros objetos de importância ou beleza.
  • Fale mansamente com preocupação sobre o que causou o comportamento inadequado. Encontre o que está perdido, descubra o que foi esquecido, resolva o questionamento e responda a qualquer desconfiança.
  • Incentive a prática de exercícios físicos, frequência à Igreja e a participação positiva em atividades sociais para reduzir o medo de ir a lugares e estar com outras pessoas. Providencie oportunidades adequadas para que a pessoa preste serviço ou ajude os outros. Encontre o equilíbrio entre cuidar e receber cuidados.
  • Edifique a espiritualidade. Lembre-se de que o comportamento difícil é o resultado de uma doença do cérebro, não uma deficiência do espírito. Leia as escrituras para a pessoa e utilize música inspiradora. Orem juntos revezando-se para pedir bênçãos de consolo. Busque a companhia e a presença do Espírito Santo para sentir a certeza serena do amor do Pai Celestial. Frequente o templo sempre que possível e, quando adequado, peça uma bênção do sacerdócio.

Voltar ao Topo


Dicas de Ensino

  • Fale sobre os princípios básicos do evangelho. Por exemplo, lembre às pessoas de que elas são filhas de um Pai Celestial amoroso e que Ele nunca esquecerá o nome delas.
  • Use fotos de passeios da família, atividades e feriados para relembrar as boas experiências da vida. As fotos também podem ajudar a lembrar os nomes dos membros da família.
  • Ajude a pessoa a envolver-se em atividades que promovam o movimento físico ou a atividade intelectual. Tarefas simples podem recuperar a confiança.

Voltar ao Topo


Recursos Adicionais

Sites Adicionais

Os sites a seguir não são mantidos ou controlados por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mas fornecidos como recurso adicional.

Voltar ao Topo