Skip main navigation
Jovens Menu

Respostas para Minhas Perguntas

Na conferência geral de abril de 2014, os líderes da Igreja responderam a muitas perguntas relevantes para os jovens.

Por que as mulheres não são ordenadas ao sacerdócio?

“A natureza divina das limitações impostas ao exercício das chaves do sacerdócio explica um contraste fundamental entre as decisões sobre questões administrativas da Igreja e as decisões que afetam o sacerdócio. A Primeira Presidência e o Conselho da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze, que presidem a Igreja, têm o poder de tomar muitas decisões que afetam as normas e os procedimentos da Igreja — questões como a localização dos edifícios da Igreja e a idade dos que servem como missionários. Mas, embora essas autoridades presidentes possuam e exerçam todas as chaves delegadas aos homens nesta dispensação, eles não são livres para alterar o padrão divinamente decretado de que somente os homens possuem ofícios no sacerdócio. (…)

O Senhor determinou que somente os homens serão ordenados a ofícios do sacerdócio. Mas, como vários líderes da Igreja salientaram, os homens não são ‘o sacerdócio’. Os homens possuem o sacerdócio, com o sagrado dever de usá-lo para abençoar todos os filhos de Deus.”

Élder Dallin H. Oaks, do Quórum dos Doze Apóstolos, “As Chaves e a Autoridade do Sacerdócio”, A Liahona, maio de 2014, p. 49.

Por que continuar tentando quando não consigo mudar certas coisas porque é assim que eu sou?

“Depois que qualquer um de nós decidir — ‘É assim que eu sou’, desistimos de nossa capacidade de mudar. Podemos erguer a bandeira branca, depor as armas, encerrar a batalha e simplesmente nos render — perdemos toda a possibilidade de vitória. Embora alguns de nós achemos que isso não se enquadra em nossa descrição, talvez todos tenhamos pelo menos um ou dois maus hábitos do tipo ‘É assim que eu sou’.

(…) Quem somos não é quem podemos nos tornar. (…) A Expiação [de Cristo] dá a cada um de nós a capacidade de mudar — sejam quais forem nossas fraquezas, nossos defeitos ou nossos vícios. Reunimo-nos com a esperança de que nosso futuro, não importa qual tenha sido nossa história, pode ser melhor.

“Quando participamos desta reunião com a ‘real intenção’ de mudar (Morôni 10:4), o Espírito tem pleno acesso a nosso coração e a nossa mente.”

Élder Donald L. Hallstrom, da Presidência dos Setenta, “Que Tipo de Homens?”, A Liahona, maio de 2014, p. 53.

Por que os líderes da Igreja continuam falando sobre apoiar o casamento tradicional?

“Apesar de que muitos governos e pessoas bem-intencionadas tenham redefinido o casamento, o Senhor não o fez. No início, Deus determinou que o casamento fosse entre um homem e uma mulher — Adão e Eva. Ele determinou que os propósitos do casamento fossem bem além da satisfação e da realização pessoal dos adultos, enfocando coisas mais importantes, como preparar o ambiente ideal para que os filhos nasçam, sejam criados e edificados. As famílias são tesouros do céu.

Por que continuamos a falar sobre isso? Como disse o Apóstolo Paulo: ‘Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem’ [2 Coríntios 4:18]. Como apóstolos do Senhor Jesus Cristo, temos a responsabilidade de ensinar o plano do nosso Criador para Seus filhos e advertir a respeito das consequências do desprezo a Seus mandamentos.”

Élder Neil L. Andersen, do Quórum dos Doze Apóstolos, “Redemoinhos Espirituais”, A Liahona, maio de 2014, p. 18.

Como posso evitar a pornografia?

“Filtros são ferramentas úteis, mas o maior filtro do mundo, e o único que vai funcionar no final, é o filtro pessoal interno que advém de um profundo e firme testemunho do amor de nosso Pai Celestial e do Sacrifício Expiatório do Salvador por nós.”

Linda S. Reeves, Segunda Conselheira na Presidência Geral da Sociedade de Socorro, “Proteção contra a Pornografia — um Lar Centralizado em Cristo”, Liahona, maio de 2014, p. 15.

Como podemos saber a verdade?

“Em primeiro lugar, podemos conhecer a verdade observando seus frutos. (…)

Em segundo lugar, podemos encontrar a verdade experimentando a palavra por nós mesmos. …

Há um terceiro modo de conhecer a verdade, que é por revelação pessoal.”

Élder Marcos A. Aidukaitis, Dos Setenta, “Se Tendes Falta de Sabedoria”, A Liahona, maio de 2014, p.108.

Como consigo ser realmente bom em compartilhar o evangelho?

“Como é que cada um de nós se torna uma influência assim tão significativa? Precisamos nos assegurar de amar sinceramente aqueles que queremos ajudar em retidão, para que possam começar a desenvolver confiança no amor de Deus. Para muitas pessoas no mundo, a primeira dificuldade para aceitar o evangelho é desenvolver fé em um Pai Celestial que as ama perfeitamente. É mais fácil desenvolver essa fé quando temos amigos ou familiares que nos amam de modo semelhante.

Dar-lhes confiança em seu amor pode ajudá-los a desenvolver fé no amor de Deus. Então, por meio do seu amor, de uma comunicação atenciosa, a vida deles será abençoada quando você compartilhar as lições que aprendeu, as experiências que teve e os princípios que seguiu para encontrar a solução para os seus problemas. Mostre sincero interesse pelo bem-estar deles, depois compartilhe seu testemunho do evangelho de Jesus Cristo.”

Élder Richard G. Scott, do Quórum dos Doze Apóstolos, “Eu Vos Dei o Exemplo”, A Liahona maio de 2014, p. 32.

Por que os sentimentos de atração são tão fortes?

“Um dos motivos de estarmos aqui na Terra é para aprender a lidar com as paixões e os sentimentos de nosso corpo mortal. Esses sentimentos concedidos por Deus nos ajudam a querermos nos casar e ter filhos. O relacionamento íntimo conjugal entre um homem e uma mulher que traz filhos para a mortalidade também deve ser uma experiência bela e amorosa que une dois corações devotados, em corpo e espírito, proporcionando uma plenitude de alegria e felicidade, à medida que aprendemos a colocar o outro em primeiro lugar.”

Linda S. Reeves, Segunda Conselheira na Presidência Geral da Sociedade de Socorro, “Proteção contra a Pornografia — um Lar Centralizado em Cristo”, A Liahona, maio de 2014, p.15.

O que significa ser perfeito?

“A palavra perfeito nesse relato foi traduzida de uma palavra grega que significa ‘completo’. Ao procurarmos fazer o melhor que podemos para progredir no caminho do convênio, vamos nos tornar mais completas e perfeitas nesta vida.”

Linda K. Burton, Presidente Geral da Sociedade de Socorro, “Precisa-se de: Mãos e Corações para Acelerar o Trabalho”, A Liahona, maio de 2014, p. 122.

Ninguém sabe o que estou passando. Como posso encontrar ajuda?

“Não há dor física, tribulação espiritual, angústia da alma ou sofrimento, enfermidade ou fraqueza que enfrentaremos na mortalidade que o Salvador não vivenciou antes de nós. Num momento de fraqueza, podemos exclamar: ‘Ninguém sabe o que estou passando. Ninguém entende’. Mas o Filho de Deus sabe e entende perfeitamente, porque Ele sentiu e suportou os fardos de cada um de nós. E por causa de Seu infinito e eterno sacrifício (ver Alma 34:14), Ele tem perfeita empatia e pode estender para nós o Seu braço de misericórdia. Ele pode nos auxiliar, tocar, socorrer, curar e fortalecer para que sejamos mais do que jamais poderíamos ser e nos ajudar a fazer o que jamais poderíamos fazer se dependêssemos somente de nossa própria força. De fato, Seu jugo é suave e Seu fardo é leve.”

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, “Carregar Seus Fardos com Facilidade”, A Liahona, maio de 2014, p. 87.

Se o amor ao próximo é o grande mandamento, então por que simplesmente não deixamos as pessoas viverem sua vida?

“No ápice do Seu ministério mortal, Jesus disse: ‘Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei’ [João 15:12]. Para certificar-se de que eles compreendiam exatamente qual tipo de amor era aquele, Ele disse: ‘Se me amais, guardai os meus mandamentos’ [João 14:15] e ‘Qualquer (…) que violar um destes mandamentos, por menor que seja e assim ensinar aos homens, será (…) o menor no reino dos céus’. [Mateus 5:19; grifo do autor]. O amor cristão é a maior necessidade que temos neste planeta, em parte porque se supõe que ele sempre deva ser acompanhado de retidão. Portanto, se o amor for o nosso lema, como deve ser, então, de acordo com a palavra de Dele que é o amor personificado, devemos abandonar a transgressão e toda forma de promovê-la para outras pessoas. Jesus claramente compreendia o que muitos de nossa cultura moderna parecem esquecer: há uma diferença crucial entre o mandamento de perdoar pecados (algo que Ele tem a capacidade infinita de fazer) e a advertência de não tolerá-los (algo que Ele nunca fez, nem sequer uma vez)”.

Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos, “O Custo — e as Bênçãos — do Discipulado”, A Liahona, maio de 2014, p. 6.

Como posso vencer um vício?

“Saibam, em primeiro lugar, que há esperança. Procurem a ajuda de entes queridos, de líderes da Igreja e de profissionais qualificados. A Igreja oferece ajuda para se recuperar de vícios por meio dos líderes locais da Igreja, da Internet [ver, por exemplo, “Vício”] e em algumas áreas, dos Serviços Familiares SUD.

Lembrem-se sempre de que, com a ajuda do Salvador, vocês podem libertar-se do vício. Pode ser que o caminho seja longo e difícil, mas o Senhor não vai desistir de vocês. Ele os ama. Jesus Cristo sofreu a Expiação para ajudá-los a mudar, para libertá-los do cativeiro do pecado.

A coisa mais importante é continuar tentando — às vezes são necessárias várias tentativas antes que a pessoa tenha sucesso. Portanto, não desistam. Não percam a fé. Mantenham o coração próximo do Senhor e Ele lhes concederá o poder de libertação. Ele vai torná-los livres.”

Presidente Dieter F. Uchtdorf, Segundo Conselheiro na Primeira Presidência, “Vocês Estão Dormindo Durante a Restauração?”, A Liahona, maio de 2014, p. 58.

Este artigo foi publicado originalmente em maio de 2014 na revista New Era.

Erro no envio do formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes