Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

Aprender com os Profetas Vivos

Neil L. Andersen Do Quórum dos Doze Apóstolos

Será que nossa atenção aos conselhos e ensinamentos das Autoridades Gerais poderia ser mais ativa, interessada e receptiva?

É claro que amamos o Presidente Thomas S. Monson, os dois conselheiros na Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos. Mas mesmo reconhecendo nosso amor e nossa lealdade, eu perguntaria: Será que nossa atenção aos conselhos e ensinamentos dessas Autoridades Gerais pode ser mais ativa, interessada e receptiva?

Quatro Perguntas a Fazer

Pense em como responderia às seguintes perguntas:

  1. Você saberia dizer o nome dos três membros da Primeira Presidência e o nome de cada um dos membros do Quórum dos Doze Apóstolos? Trata-se dos 15 homens que você e eu apoiamos como profetas, videntes e reveladores.
  2. Ao ver uma fotografia dessas Autoridades Gerais, você reconheceria cada um deles? Raramente damos muita atenção a alguém que não conhecemos ou reconhecemos.
  3. Você saberia dizer quais foram os conselhos dados pela Primeira Presidência e pelo Quórum dos Doze Apóstolos na última Conferência Geral? E poderia identificar as preocupações do Presidente Monson, do Presidente Eyring e do Presidente Uchtdorf nas mensagens da Primeira Presidência da revista A Liahona deste ano?
  4. E talvez o mais importante de tudo, poderia me relatar uma decisão recente em que você mudou algo em sua vida por causa de conselhos recebidos de um desses 15 homens?

O Padrão do Senhor

O que torna nossas respostas a essas perguntas tão importantes é o chamado e a responsabilidade da Primeira Presidência e dos Doze Apóstolos. Sempre que estabeleceu Sua Igreja, o Senhor chamou profetas e apóstolos. O Salvador disse: “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei” (João 15:16). A esses homens a ordenação traz um poder espiritual e uma responsabilidade solene — o poder de saber e testificar, e a responsabilidade de ensinar e abençoar. Também traz uma responsabilidade e uma promessa para todos nós. Temos a responsabilidade de ouvir e seguir e temos a promessa de que receberemos bênçãos se acreditarmos e agirmos de acordo com as palavras deles.

Temos a responsabilidade de ouvir e seguir e temos a promessa de que receberemos bênçãos se acreditarmos e agirmos de acordo com as palavras deles.

Quando o Senhor chamou 12 discípulos nas Américas após a Sua Ressurreição, ensinou: “Bem-aventurados sois vós, se derdes ouvidos às palavras destes doze que escolhi dentre vós para exercer o ministério junto a vós e ser vossos servos” (3 Néfi 12:1). Em nossos dias, uma época dificílima, o Senhor prometeu aos santos: “E se meu povo der ouvidos a minha voz e à voz de meus servos que designei para guiar meu povo, eis que em verdade vos digo que não serão removidos de seu lugar” (D&C 124:45).

Esse é o padrão do Senhor. Ele chama 15 homens, tira-os das “tarefas corriqueiras da vida” e lhes confere as chaves e o poder para guiar-nos e dirigir-nos. Não somos obrigados a obedecer, não há coação. Mas, se formos atentos às palavras deles, se formos receptivos e estivermos dispostos a mudar nosso comportamento quando o Espírito Santo confirmar os conselhos deles, não seremos movidos de nosso lugar, ou seja, vamos nos agarrar à barra de ferro e permanecer para sempre em segurança no caminho que conduz à árvore da vida.

Um Fluxo Constante de Revelação

“Temos a Bíblia, o Livro de Mórmon e o livro de Doutrina e Convênios, mas todos esses livros, sem os oráculos vivos e um fluxo constante de revelação do Senhor, não levariam ninguém ao Reino Celestial de Deus. É claro que todos esses registros são de infinito valor. Todo o valor que lhes for dado ainda é pouco e todo o estudo que lhes consagrarmos será sempre insuficiente. Mas, em si mesmos, ainda que com toda a luz que irradiam, eles são insuficientes para guiar os filhos dos homens e levá-los à presença de Deus. Para serem guiados dessa forma, é preciso haver um sacerdócio vivo e revelação constante de Deus para as pessoas, de acordo com as circunstâncias em que venham a se encontrar” ( Presidente George Q. Cannon 1827–1901), Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência, Gospel Truth: Discourses and Writings of George Q. Cannon, comp. Jerreld L. Newquist (1987), p. 252.

O que você já mudou em sua vida por causa do conselho que recebeu dos profetas e apóstolos? Compartilhe sua experiência abaixo.

Saiba Mais sobre os Profetas e Apóstolos

 

Erro no envio de formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes