Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

Não está namorando? Você Não É o Único

Para os jovens da Igreja, a situação dos relacionamentos atuais pode parecer complicada. Eis alguns pensamentos e dicas para melhor compreender essas coisas.

Se você é um jovem da Igreja que tem 16 anos de idade ou mais, você pode começar a namorar, desde que saia em grupo (ver Para o Vigor da Juventude, 2011, p. 4). Mesmo assim, por algum motivo, você está dentre os muitos nessa faixa etária que não namoram ou vão para tais encontros. Por quê? Bem, os motivos podem ser definidos em duas categorias básicas: “Simplesmente, não quero namorar” ou “Eu gostaria de namorar, mas há obstáculos”. Vamos atentar a esses dois grupos.

Simplesmente, Não Quero Namorar

Os que fazem parte desse grupo tem vários motivos para não querer um relacionamento — por exemplo, eles estão se preparando para servir missão e não querem ter distrações ou simplesmente não se sentem à vontade ou prontos para namorar. O fato é que o namoro não é algo que todo adolescente necessita ter.

Mas tenha em mente que o namoro pode ter benefícios. Como Para o Vigor da Juventude diz: “Pode ajudar você a aprender e praticar habilidades sociais, desenvolver amizades, [e] divertir-se” (p. 4).

Mesmo que não deseje namorar, você não deveria evitar completamente os membros do sexo oposto. Procure outras maneiras de fazer amizade com eles e desenvolva as habilidades sociais associadas ao namoro (por exemplo: a Mutual, a conferência de jovens e outras atividades que o ajudarão a conhecer pessoas em um ambiente sadio), porque futuramente, “quando se tornar adulto”, você deve “[fazer] do namoro e do casamento uma grande prioridade” (Para o Vigor da Juventude, p.5).

Eu Gostaria de Namorar, mas Há Obstáculos

Sempre existiram obstáculos para o namoro; alguns são mais recentes e possuem especificidades culturais. Vamos atentar a sete obstáculos comuns e avaliar se há quaisquer soluções para eles.

1. Não há ninguém para ter um encontro ou namorar por aqui.

É claro, a menos que você more sozinho em um local inóspito ou algo semelhante, isso não deve ser literalmente verdadeiro. Então, o que realmente está acontecendo?

Bem, por exemplo, se você percebe a falta de pessoas para essas atividades, ou seja, aqueles “que tenham altos padrões morais e em cuja companhia você possa manter seus padrões” (Para o Vigor da Juventude,, p. 4). Embora isso seja improvável, se for a sua realidade, então você provavelmente está certo em não sair para encontros ou namorar.

“Quando tiver idade suficiente, você deve começar a sair em grupos. “É bom que os rapazes e as moças aprendam a se conhecer e a se apreciarem mutuamente. É bom que participem de esportes, bailes e piqueniques e que façam todas as coisas que os jovens gostam de fazer. Incentivamos vocês, jovens, a namorar. Incentivamos vocês a estabelecerem padrões elevados de namoro.” — Presidente Boyd K. Packer

Uma ideia bastante comum para muitos jovens SUD é que as únicas pessoas que eles podem chamar para encontros são outros adolescentes SUD de sua área, porque os jovens não membros podem interpretar mal suas intenções (ver obstáculos nº 2 e nº 3) e isso acarretaria em explicações muito embaraçosas e certas explicações para ajudá-los a compreender e aceitar o tipo de namoro que jovens SUD são aconselhados a ter. Se você está nessa situação, você pode lidar com isso de uma das seguintes maneiras: (1) fazer esforço para planejar alguns encontros em grupo com as boas pessoas que conhece, sendo cuidadoso em assegurar-se de que todos tenham expectativas iguais, ou (2) não ter encontros com ninguém, mas ainda assim buscar amizades e diversão saudável com várias pessoas. Ao aconselharem-se com seus pais, líderes e o Pai Celestial, você será orientado a tomar boas decisões.

2. Onde moro, o “namoro” implica em um relacionamento físico, e não quero tal reputação.

Em muitos lugares pelo mundo, jovens andam pelos corredores de suas escolas e veem alguns de seus colegas de classe abraçar-se, beijar-se e assim por diante. Para os jovens que estão de passagem, pode ser um pouco constrangedor. Mas para os adolescentes SUD, isso também torna o ato de namorar constrangedor porque esse tipo de comportamento é muitas vezes o que é esperado de “casais que estão tendo encontros constantes ou namorando”. Por exemplo, se você fosse dizer às pessoas que você está saindo com alguém, eles podem supor que você e esse alguém começaram um relacionamento físico.

O que fazer? A melhor coisa é deixar que os outros saibam sobre seus padrões, para que ninguém tenha uma impressão errada sobre você ou a pessoa com quem você está saindo. Não sair/namorar também é uma opção, mas mesmo assim as pessoas deveriam saber quais são seus padrões. (Ver também obstáculo nº 3)

3. O namoro ao “estilo Mórmon” (sair com pessoas diferentes) não é algo comum por aqui. Apenas há o relacionamento entre rapazes e moças ou namorado e namorada. Você terá uma má reputação se sair com muitas pessoas.

Isso é difícil, porque a cultura de grande parte do mundo está seguindo uma tendência em que as interações dos adolescentes, especialmente entre rapaz e moça giram em torno de “relacionamentos”. Então se você falar para as pessoas que foi a um encontro com a pessoa 1 naquela semana e depois foi a um outro com a pessoa 2 duas semanas mais tarde, eles podem pensar que você está traindo a pessoa 1 ou até supor que você é promíscuo. Então, o que fazer?

Bem, você pode tentar instruir as pessoas e mudar suas atitudes e julgamentos (talvez compartilhar com eles a seção de “Namoro” em Para o Vigor da Juventude), ou você poderá prosseguir e sair com outros jovens/namorar da forma que já foi aconselhado a fazer e simplesmente ignorar os comentários dos outros. Uma coisa é certa: você deve certificar-se de que todos saibam quais são seus padrões, independentemente de você sair em encontros, namorar ou não fazer essas coisas. Não deve haver nenhuma dúvida sobre seu caráter. Então, se você decidir namorar, as pessoas serão menos propensas a espalharem rumores ou fofocas.

4. Ninguém nunca me convida para sair.

Esta é uma situação muito comum para as moças, que ouvem seguinte: “Os rapazes geralmente tomam a iniciativa de convidar para um encontro e planejá-lo” (Para o Vigor da Juventude, p. 4). Às vezes, parece que não há muitos de vocês que estão convidando as moças para encontros ou que somente certas garotas estão sendo convidadas. Independentemente do que fizer, nunca deixe que esses pensamentos afetem seu valor. Não ser convidada para encontros pode ser algo difícil, mas não é um reflexo de seu valor como filha de Deus. Alguns jovens simplesmente não querem namorar, então se eles não a convidarem para sair você não deve considerar isso como algo pessoal. É claro que as moças podem ocasionalmente convidar os rapazes para sair também, portanto, leve em consideração a possibilidade de reunir-se com outras moças para organizar um encontro em grupo — para que exista interesse nessas atividades mútuas entre rapazes e moças. Haja o que houver, seu valor como filha de Deus é eterno e não tem nenhuma ligação com o fato de não estar sendo convidada para encontros.

“Decida sair apenas com pessoas que tenham altos padrões morais e em cuja companhia você possa manter seus padrões. Planejem encontros que sejam seguros, positivos e não dispendiosos, e que os ajudem a conhecer melhor um ao outro.” — Para o Vigor da Juventude

5. Sou muito tímido.

A timidez é muito real e às vezes bloqueia a ação de muitas pessoas. Se você estiver interessado em vencer sua timidez para que possa ter a confiança necessária a ponto de começar a sair com outras pessoas ou namorar, há algumas coisas que você pode fazer. Lembre-se que você é filho de Deus e que pode pedir-Lhe ajuda. Lembre-se também de ter tempo para se recompor e de sorrir para as pessoas. Você também deve estar disposto a sair de sua zona de conforto e interagir-se socialmente. À medida que tomar pequenos passos e se não desistir, você pode aprender a ser mais extrovertido.

6. Sair para encontros custa caro.

Para o Vigor da Juventude incentiva a “planejar encontros que sejam não dispendiosos” (p. 4). No entanto, uma cultura parece ter surgido em alguns lugares na qual a situação esperada é que os encontros sejam formais e sofisticados, portanto sendo bastante caros. Isso não precisa ser o caso (ver obstáculo nº 7).

O Élder H. Dallin. Oaks, do Quórum dos Doze Apóstolos, deu alguns conselhos aos jovens adultos solteiros que também se aplicam aos adolescentes que namoram: “o significado e a importância que um 'encontro' tem, mudou de tal maneira que é como se o preço tivesse inflacionado à valores irreais. Vi essa tendência começar entre nossos filhos mais novos. Por algum motivo, rapazes do ensino médio sentiram que precisavam fazer algo elaborado ou exagerado para convidar as moças, especialmente para um evento como um baile, e as meninas sentiram que tinham que fazer o mesmo para aceitar. Além disso, o encontro tinha que ser algo de elaboração dispendiosa. …

“Tudo isso tornou o namoro mais difícil. E quanto mais elaborados e caros forem os encontros, menos namoros existirão. ... Foi-se o telefonema desajeitado e barato que seus pais, avós e eu costumávamos fazer. ... Encontros baratos podem ser frequentes e convidativos, pois não parecem implicar em um comprometimento contínuo“ (”Dates versus Hanging Out” [Namoro versus Encontros em Grupo], Ensign,  junho de 2006, pp. 12-13).

7. Parece ser muito trabalhoso organizar encontros em grupo — arrumar o grupo, convidar pessoas, planejar a atividade e assim por diante.

Às vezes, essa impressão vem de uma expectativa irreal sobre como o encontro deve ser (ver obstáculo nº 6). Mas, às vezes, se empenhar para que todo o esforço necessário resulte apenas na realização de um simples encontro em grupo pode parecer um pouco assustador. Não precisa ser complicado! Por exemplo, simplesmente ficar juntos para jogar jogos de tabuleiro e comer pipoca pode fazer uma grande noite. (Para mais ideias criativas e baratas para encontros, ver “Fun Dates That Don't Break the Bank” [Encontros Divertidos Que Não Quebram o Orçamento]). Se você acha que o esforço vale a pena, siga em frente. E mesmo que você não tenha tanta certeza, experimente. De alguma forma ou de outra, essas experiências irão prepará-los para o futuro, e vocês poderão ter experiências memoráveis.

Mais sobre Namoro

Para conselho, histórias, vídeos, respostas a perguntas e mais informações sobre namoro, visite a página Namoro Para o Vigor da Juventude . Você também pode obter mais informações sobre namoro nas edições de fevereiro de 2014 e de abril de 2010 em New Era.

Este artigo foi publicado originalmente na edição de fevereiro de 2014 da revista (publicação em inglês) New Era.

Erro no envio de formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes