Faça as Contas

Ao seguirem a instrução do Dever para com Deus de “convidar todos a virem a Cristo”, esses jovens de Immokalee, Flórida, viram seu esforço somar-se rapidamente.

Compartilhar o evangelho é algo que se trata de pessoas, não de números. O que aconteceu em Immokalee, Flórida, começou como deveria, quando Junior Reyes convidou um de seus amigos para ir à Igreja.

Ele sabia pouco sobre o que estava começando.

2+1=26

Sempre houve somente dois portadores do Sacerdócio Aarônico no Ramo Immokalee: Junior e outro rapaz chamado Jorge Cáceres. Jorge nasceu na Igreja, mas ficou desmotivado porque durante muito tempo foi o único portador do Sacerdócio Aarônico no ramo. Então Junior, um converso, era o único a ir aos serões da estaca.

“Toda vez que ia, via outros ramos e todos os jovens da estaca, mas do nosso ramo só havia eu”, disse Junior. “Finalmente disse: ‘Por que sou o único de Immokalee? Tenho que abrir minha boca’.”

“Na maneira como fui criado, fui ensinado a não ter medo”, ele continua. “Quando falo com meus amigos sobre Jesus Cristo e o evangelho restaurado, não tenho medo; fico feliz. Sei que o que estou lhes dizendo pode ajudá-los a melhorar sua vida.”

Então Junior convidou seu amigo Wedner Daly para ir à Igreja. “Eu disse: ‘Você aprende um monte de coisas e recebe várias bênçãos; vale a pena.”

Wedner aceitou.

“Não via nada de especial nisso no começo”, disse Wedner. “Pensei que seria como outras igrejas. Mas quando cheguei lá, era o dia em que todos compartilhavam seu testemunho, então senti o Espírito quando fui pela primeira vez. Aquilo foi diferente pra mim. Nunca fui a uma igreja onde as pessoas compartilham seu testemunho e gostei muito da igreja deles. É um dos motivos que me fez gostar.”

Então Wedner convidou seu amigo, Milsont Pierre. Milsont começou a ir a atividades durante a semana, depois para as reuniões de domingo e por fim os missionários começaram a ensinar sua família. Ele lembra-se muito bem: “Senti o Espírito, muitas e muitas vezes, especialmente durante as orações sacramentais. Eu sabia que essa era a Igreja verdadeira”. Milsont e seus três irmãos foram batizados e confirmados, bem como seu primo, um sobrinho e quatro amigos de Milsont.

Árvore Multiplicadora

A partir de então, o Sacerdócio Aarônico em Immokalee continuou a se multiplicar. “Foi como uma árvore”, disse Junior. “Só foi crescendo e crescendo.”

“Uma pessoa convidou outra, que convidou outra, que convidou outra”, disse Milsont.

  Alguns amigos de Junior do futebol também vieram. Outros convidaram parentes, colegas da escola ou amigos de longa data. Os missionários de tempo integral receberam muitas referências e ensinaram, ensinaram e ensinaram — geralmente acompanhados de rapazes do ramo. A presença nas noites de quarta-feira e nas atividades de escotismo era em média de 30 pessoas, e no domingo a presença era quase a mesma. Hoje há 26 rapazes ativos no ramo — e um deles é Jorge Cáceres, aquele que havia ficado desmotivado por não ter outro rapaz para fazer amizade.

“Fiquei amigo de Junior também”, disse Jorge, “E quando ele começou a convidar seus amigos para a Igreja, fiz amizade com eles também. Toda semana chegavam pessoas novas.”

E Jorge percebeu uma coisa. “Quando eles começavam a conhecer a Igreja, mudavam.” O evangelho os mudava, conhecer Cristo os mudava. “Quando percebi isso, comecei a levar a Igreja mais a sério. Trabalhei meu próprio testemunho e agora sei que a Igreja é verdadeira.”

Fator de Irmandade

O que fez a diferença em Immokalee? Algumas coisas são de se esperar.  “Uma coisa que me ajudou muito foi ler as escrituras e pensar a respeito delas, perguntando e orando”, disse Esperandieu Andfils. “Quando você faz isso e sente o Espírito, não há como negar.”

Wilnick Louis disse que presenciar o batismo de seu irmão mais velho fez a diferença para ele. O batismo foi realizado no domingo, depois das reuniões regulares, então Wilnick resolveu ir primeiro à Igreja. “Eu já tinha ido às atividades, mas foi a primeira vez que fui à Igreja no domingo”, disse. “Durante as reuniões e depois, no batismo, senti algo bom. Quando os missionários me perguntaram se iria de novo, eu disse: “Claro, vou continuar vindo”.

Sérgio Andrés disse que ouvir os testemunhos de outros rapazes de sua idade fez uma grande diferença para ele, assim como ouvir o testemunho dos missionários de tempo integral. “Você tem que compartilhar seu testemunho”, disse Sérgio, “porque se as pessoas não souberem que existe uma Igreja verdadeira, eles não vão conseguir encontrá-la.”

Nunca Foi Dividido

Mas, um dos fatores mais importantes para o crescimento da Igreja em Immokalee parece ser a atitude que os rapazes têm uns com os outros.

“Estamos sempre juntos”, disse Wedner. “Há um forte sentimento de que somos todos irmãos e amo meus irmãos.” Esperandieu compartilha do mesmo sentimento: “Posso contar com eles”.  

Foi isso que os líderes dos Rapazes perceberam também.

“Eles são amigos aonde quer que vão”, disse Michael “Bo” Browne, presidente recém apoiado dos Rapazes do Ramo Immokalee. “Não é o tipo de situação em que eles evitam o contato se estão na escola. São amigos e irmãos dentro e fora da Igreja, e acho que esse é o segredo.”

“Eles ensinaram-me muitas coisas”, disse o presidente anterior dos Rapazes, Frank Fernandez. “Mas o amor que têm um pelo outro é o melhor exemplo que tive. É o tipo de amor que devemos sentir por todos. Por causa desse amor eles não têm medo de nada. Não têm medo de abrir a boca e falar com seus amigos sobre o evangelho.”

“Somos todos aconselhados a levar nossos amigos e parentes a Cristo”, disse o presidente recém desobrigado dos Rapazes de Immokalee e líder de escotismo Clark Robinson, “e sentimos que devemos fazer isso porque ouvimos pessoas dizerem que devemos”. Mas esses rapazes o fazem porque encontraram paz aqui e estão ansiosos para que aqueles que eles amam sintam o que eles sentem e saibam o que eles sabem. Isso me lembra do sonho de Leí, quando ele partilha do fruto da árvore e imediatamente deseja compartilhar sua felicidade.

“O Senhor pediu para todos pegarmos o que temos e somarmos a isso. Faça a conta. Um espírito disposto mais os princípios corretos é igual a um quórum feliz e grande, e uma ala ou ramo da Igreja que crescem”, disse o irmão Robinson. NE    

Acrescentar o Espírito

O exemplo de Julian Vallejo está fazendo a diferença em seu próprio lar. Sua mãe, Marylou V. Navarrette, e seu irmãozinho, Sebastian, que são membros da Igreja, e seu padrasto, Antonio Navarrette, que não é membro, dizem que têm orgulho de ver Julian crescendo na Igreja e são gratos pelo exemplo que ele dá para a família.

“Gosto de ter o Espírito do Salvador em casa”, diz Julian, “e na Igreja aprendemos sobre o Salvador. Tomamos o sacramento e prometemos sempre nos lembrar Dele. Então tentamos viver como Ele viveria e isso inclui como somos em casa”. Dar o exemplo seguindo o Salvador também faz parte de convidar as pessoas a virem a Cristo, diz Julian.

O espírito cristão que Antonio sente sua esposa e enteados trazerem para a família podem ser parte do motivo pelo qual ele frequenta o Ramo Immokalee. “Sempre venho com eles para apoiá-los”, diz, “e para aprender um pouco”. Ele também ajuda os líderes do ramo, dando opiniões e sugestões quando solicitado.

É um bom motivo, diz Julian, para sentir orgulho do padrasto.

Milsont Pierre (na frente) e Junior Reyes (atrás) mostram, por meio de um diagrama, como um simples convite, depois outro e outro, fizeram seu quórum do Sacerdócio Aarônico e seu ramo crescer e continuar crescendo.

Bosques de laranjeiras e pinheiros prosperam no sudoeste da Flórida, assim como a obra missionária em Immokalee, onde o quórum do Sacerdócio Aarônico cresceu ao “convidar[em] todos a virem a Cristo”.

A grama perto de Immokalee lembra Junior Reyes (lado oposto, acima), Milsont Pierre (lado oposto, no meio) e outros rapazes e líderes que “o campo já está branco para a ceifa” (D&C 33:7).

Fotografias: Richard M. Romney