Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

Educação na Vida Real

Presidente Henry B. Eyring Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência

Por que se preocupar com os estudos? Porque ao aprender estamos nos preparando para servir tanto nesta vida como na eternidade.

“Desde a época de Joseph Smith até os nossos dias, é possível ver a evidência de que a conversão ao evangelho de Jesus Cristo traz um desejo de aprender. Joseph Smith, ainda jovem, traduziu o Livro de Mórmon das placas cujo idioma ninguém na Terra entendia. Ele fez isso pelo dom divino da revelação. Mas, mais tarde ele contratou um professor particular para ensinar idiomas antigos a ele e aos líderes da Igreja. Joseph Smith não tinha basicamente nenhuma formação acadêmica. Ainda assim o efeito do evangelho fez com que ele quisesse aprender mais para que pudesse ser mais útil para Deus e para os filhos Dele.

Quando os santos dos últimos dias foram expulsos do Missouri pelas turbas, eles construíram uma cidade às margens do Rio Mississipi chamada Nauvoo. Mesmo em meio à pobreza e morando bem na fronteira, ainda assim eles estabeleceram uma universidade, “para o ensino das artes, ciências e profissões cultas” [citado em H.S. Salisbury, “History of Education in The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints,” Journal of History, julho de 1922, p. 269].

“O primeiro ano acadêmico em Nauvoo foi de 1841–1842. A universidade era provavelmente uma das primeiras universidades municipais dos Estados Unidos [ver Wendell O. Rich, Distinctive Teachings of the Restoration, 1962, p. 10]. (…) O currículo incluía os idiomas (alemão, francês, latim, grego e hebreu) e as matérias matemática, química, geologia, literatura e história.(…)

(…) A permissão para a criação da Universidade da Cidade de Nauvoo serviu como base para a fundação da Universidade Deseret (atualmente a Universidade de Utah), fundada por Brigham Young, em Salt Lake City, em 1850. Certa vez ele disse aos diretores de ensino dessa escola que ‘o conhecimento é o poder de pensar claramente, o poder para agir de maneira correta no mundo profissional e o poder para apreciar a vida’ [ver Miton Lynn Bennion, Mormonism and Education, 1939, p. 115]” (em Daniel H. Ludlow, ed., Encyclopedia of Mormonism, 5 vols., 1992, vol. 2, pp. 442–443).

Quando os santos em Utah ainda estavam lutando para produzir alimento suficiente, eles fundaram escolas. Eles sentiram-se motivados a estimular seus filhos em direção à luz e maior utilidade devido à instrução. Esse impulso é mais do que uma tradição cultural. É o fruto natural de se viver o evangelho de Jesus Cristo. Podemos ver isso em todo o mundo à medida que os missionários voltam para casa depois da missão. Aqueles que plantaram a semente da boa palavra de Deus e serviram de modo fiel, invariavelmente, despertaram neles um grande desejo de autoaperfeiçoamento. E, juntamente com isso, eles têm um desejo de aprender cada vez mais e obter aptidões cada vez melhores.

O propósito das criações de Deus, e isso inclui a vida que Ele nos concedeu, é o de permitir que tenhamos as experiências de aprendizado necessárias para voltar a viver com Ele na eternidade. Isso só será possível caso consigamos mudar nossa natureza por meio da fé no Senhor, Jesus Cristo, no verdadeiro arrependimento e ao fazermos e cumprirmos os convênios que Ele preparou para todos os filhos do Pai Celestial por intermédio de Sua Igreja. O verdadeiro aprendizado é composto de uma poderosa força espiritual. Esse elemento espiritual, quando eficaz, refina e enaltece os objetivos de nossa instrução total.

Procurar Aprender para Servir a Deus

Dependendo do que nos motiva a buscar conhecimento, o estudo torna-se uma bênção ou uma condenação. Se procurarmos conhecimento a fim de servir melhor a Deus e Seus Filhos, será uma bênção de grande valor. Se buscarmos conhecimento a fim de nos exaltarmos, nos tornaremos orgulhosos e egoístas.

É por isso que sempre devemos colocar a busca pelo conhecimento espiritual em primeiro lugar. Por isso a Igreja possui os institutos de religião em todo o mundo onde há um número suficiente de jovens. A instrução espiritual adquirida no instituto irá auxiliá-los a planejar e a acelerar o estudo acadêmico.

O Senhor disse:

“Também vos dou um mandamento de que continueis em oração e jejum a partir de agora.

E dou-vos um mandamento de que vos ensineis a doutrina do reino uns aos outros.

Ensinai diligentemente e minha graça acompanhar-vos-á, para que sejais instruídos mais perfeitamente em teoria, em princípio, em doutrina, na lei do evangelho, em todas as coisas pertinentes ao reino de Deus, que vos convém compreender;

Tanto as coisas do céu como da Terra e de debaixo da Terra; coisas que foram, coisas que são, coisas que logo hão de suceder; coisas que estão em casa, coisas que estão no estrangeiro; as guerras e complexidades das nações e os julgamentos que estão sobre a terra; e também um conhecimento de países e reinos —

Para que estejais preparados em todas as coisas, quando eu vos enviar outra vez para magnificardes o chamado com o qual vos chamei e a missão com a qual vos comissionei” (D&C 88:76–80).

O Senhor e Sua Igreja sempre incentivaram a educação para aumentarmos nossa capacidade de servir a Ele e aos filhos do Pai Celestial. Sejam quais forem nossos talentos, há serviço para todos. E para que isso seja bem feito o aprendizado é sempre necessário, não uma vez ou por um tempo limitado, mas continuamente.

Na escritura mencionada, o Mestre explica o processo claramente. Por meio de oração, jejum, trabalho árduo e com o objetivo de servi-Lo, Sua graça estará conosco. Por experiência própria, posso garantir que isso não significa que sempre seremos os melhores. Significa que aprenderemos com mais rapidez e desenvolveremos nossas aptidões além do que desenvolveríamos, caso contássemos apenas com nossas habilidades inatas.

Encontramos, assim, algumas respostas bem visíveis a respeito do que tudo isso significa para nós e, portanto, o que devemos fazer.

O Estudo Espiritual Nos Dá Propósito para o Estudo Secular

Nossa prioridade deve sempre ser a instrução espiritual. Para nós, a leitura das escrituras deve ser feita antes da leitura dos livros de história. A oração deve ser feita antes de decorar os verbos do espanhol. Uma recomendação para o templo deve ser mais importante do que ser o primeiro da classe. Entretanto, é preciso ficar claro que o estudo espiritual não deve substituir o estudo secular.

Com certeza o Senhor dá valor aos ensinamentos do livro de história. Ele valoriza não somente os verbos do espanhol, mas também a geografia. Ele nos ensina nas escrituras que devemos ter “um conhecimento de países e reinos” (D&C 88:79). Também nos incentiva a estudar questões científicas. Fica claro para nós que, priorizar o estudo espiritual não nos desobriga do estudo acadêmico. Muito pelo contrário, o estudo espiritual nos dá um propósito para aprender e nos motiva a termos mais empenho em obter o conhecimento secular.

Para que o estudo espiritual esteja sempre em primeiro lugar, teremos algumas decisões difíceis com relação ao uso do tempo. Contudo, nunca devemos deixar o estudo espiritual ficar em segundo plano. Nunca. Será uma tragédia. Lembre-se, seu interesse é instruir-se não apenas para a vida mortal, mas para a vida eterna. Quando você enxergar claramente com a visão espiritual, colocará o aprendizado espiritual em primeiro lugar, mas sem negligenciar o aprendizado secular. De fato, você trabalhará mais arduamente em seu aprendizado secular do que faria sem a visão espiritual.

Deus Sabe o que Você Precisa Saber

Parte da tragédia que você deve evitar é descobrir, tarde demais, que perdeu a oportunidade de se preparar para um futuro conhecido apenas por Deus. Um exemplo doloroso para mim foi a oportunidade de aprender um outro idioma. Meu pai nasceu no México. Cresceu falando espanhol como língua materna. Morei com ele durante mais de 20 anos. Infelizmente, nunca pedi que ele me ensinasse uma palavra em espanhol. Contudo, em minhas designações da Igreja, já tive que manter contato com o México, a América Central, a Colômbia, a Venezuela e o Equador. Não foi por acaso que nasci num lar cujo pai falava espanhol.

Ele era um grande professor e químico. Ele mantinha até um quadro no porão para ensinar os filhos. Ele adorava ensinar-me matemática e também passou horas tentando me ajudar a resolver problemas de física. Pedia constantemente que eu pensasse mais sobre aquelas coisas que, naquele tempo, me pareciam tão chatas e sem importância. Anos mais tarde, o Senhor me chamou para trabalhar no Bispado Presidente da Igreja e eu era responsável pelos sistemas de comunicação e computação. Que bênção teria sido se eu tivesse obedecido meu pai e seguido esse conselho que hoje também dou a vocês.

Alguém observa sua vida atentamente, como observava a minha. O Senhor sabe não só o que Ele precisa que vocês façam como também o que vocês precisam saber para fazê-lo. Podem ter certeza que Ele preparou oportunidades de aprendizado para vocês. Não conseguirão reconhecê-las perfeitamente, como aconteceu comigo. Entretanto, ao colocar as coisas espirituais em primeiro lugar na vida, vocês serão abençoados, orientados a estudar certas coisas e sentirão o desejo de trabalhar com mais empenho. Mais tarde, vocês reconhecerão que seu poder para servir aumentou e se sentirão gratos por isso. Talvez seu trabalho não seja reconhecido como uma grande contribuição para o mundo. Mas, lembrem-se de que, quando o verdadeiro valor do trabalho, com base nos julgamentos de Deus, for totalmente compreendido, algumas pessoas que trabalharam no silêncio do anonimato serão os verdadeiros heróis.

Nunca Devemos Parar de Aprender

Um grande professor está sempre aprendendo. O ambiente de trabalho de todas as profissões está mudando tão rápido que o que sabemos hoje não será suficiente amanhã.

Nunca devemos parar de estudar. Se nosso estudo acaba na porta da sala de aula no dia da formatura, vamos fracassar. E precisaremos da ajuda do céu para saber quais coisas, dentre as infinitas que podemos estudar, seria mais sábio aprender. Isso também significa que não podemos desperdiçar nosso tempo nos entretendo, quando temos a chance de ler ou ouvir algo que vai nos ajudar a aprender uma coisa verdadeira e útil. A curiosidade insaciável será nossa marca registrada.

Às vezes podemos sentir que temos que escolher entre o aprendizado espiritual e o secular. Esse é um falso conflito para a maioria de nós, principalmente para os jovens. Antes de formarmos uma família, temos tempo livre até mesmo nos dias mais ocupados. Muitas vezes usamos muito tempo para nos divertir, alegando que “preciso recarregar as baterias”. Esse tempo poderia ser gasto lendo e estudando para obter mais conhecimento, habilidades e cultura.

Não precisamos de tecnologia moderna nem de muito dinheiro a fim de aproveitar para aprender durante esse tempo que agora desperdiçamos. Podemos apenas ter um livro, papel e lápis. Já é o suficiente. Mas, precisamos de determinação para não deixar esse tempo escapar.

Deus Pode Multiplicar a Eficiência de Nosso Tempo

Alguns de vocês talvez se sintam sobrecarregados por falta de tempo. Mas há uma outra forma de olhar para esse problema. Olhem-no como uma oportunidade para testar sua fé. O Senhor os ama e cuida de vocês. Ele é onipotente e prometeu: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33).

Essa promessa é verdadeira. Quando colocamos as coisas de Deus em primeiro lugar, Ele opera milagres. Se orarmos para saber o que Ele deseja que façamos, Ele multiplicará nossa capacidade de tal maneira que o tempo parecerá maior. Ele provavelmente agirá de forma diferente com cada pessoa, mas sei por meio de várias experiências que Ele é fiel a Sua palavra.

Há alguns anos, fui aceito para fazer mestrado em um curso para o qual estava muito pouco preparado. A competição era acirrada. No primeiro dia, o professor disse, “Olhem para a pessoa sentada a sua esquerda e a sua direita. Um de vocês três não chegará até o final do curso”. Os horários das aulas tomavam os cinco dias da semana desde cedo até tarde. Eu ficava fazendo as lições para as aulas do dia seguinte até quase meia-noite, ou mais tarde. Na sexta-feira à tarde, recebíamos trabalhos muito importantes que tinham que ser feitos e entregues até as 21h do sábado.

Ainda me lembro das horas frenéticas de estudo escrevendo trabalhos naqueles sábados. À medida que o prazo final se aproximava, grupos de alunos se amontoavam na frente da biblioteca para comemorar quando o último aluno corria desesperado para entregar o trabalho antes que a biblioteca fechasse. Os alunos, então, voltavam para casa ou dormitório e comemoravam por algumas horas antes de prepararem-se para as aulas de segunda-feira. A maioria estudava durante o domingo todo e até tarde da noite.

Para mim, não havia festas aos sábados e nem estudo aos domingos. O Senhor me deu a oportunidade de testar Sua promessa. No início daquele ano, Ele me chamou por meio de um humilde presidente de distrito para servir na Igreja. Todos os domingos, desde cedo até o final da noite, eu seguia pelas montanhas da Nova Inglaterra visitando pequenos ramos e membros espalhados por aquela área. Encontrei alegria ao visitar tais lugares, amar ao Senhor e confiar que de alguma maneira Ele cumpriria Sua promessa. Ele sempre o fez. Na segunda-feira pela manhã, durante os poucos minutos que eu tinha para me preparar para as aulas daquele dia, ideias e conhecimento surgiam em minha mente que iam exatamente de encontro com o que os outros tinham feito durante o domingo de estudo.

Não posso prometer sucesso em seus estudos e nem posso dizer como Ele irá honrar Sua promessa de derramar bênçãos sobre vocês. Mas posso prometer que se achegarem-se a Ele em oração, perguntarem o que Ele deseja que façam e prometerem que colocarão o Seu reino em primeiro lugar, Ele responderá suas orações e cumprirá Sua promessa de derramar bênçãos sobre sua cabeça, bastante e de sobra. As aparentes paredes da prisão da “falta de tempo” começarão a ruir, mesmo quando tivermos mais responsabilidades.

A Verdadeira Vida é A Vida Eterna

A verdadeira vida para a qual estamos nos preparando é a vida eterna. O conhecimento secular tem significado eterno para nós. Nossa convicção é de que Deus, nosso Pai Celestial, quer que tenhamos a vida que Ele tem. Toda verdade que pudermos aprender nesta vida ressurgirá conosco na Ressurreição. E tudo o que pudermos aprender aumentará nossa capacidade de servir. Esse destino não está reservado apenas para os que são brilhantes, que aprendem rápido ou que possuem as mais respeitadas profissões. Será concedido àqueles que são humildemente bons, que amam a Deus, que O servem com toda sua capacidade, não importando quão limitada ela seja — já que toda nossa capacidade, quando comparada à de Deus, é limitada.

Oro para que sintam que têm uma dívida de gratidão com nosso Professor Mestre, nosso Senhor Jesus Cristo. Oro para que percebam o grande trabalho que um Pai Celestial amoroso espera que vocês façam a Seus filhos e que vejam as oportunidades de aprender que Ele preparou para vocês.

Ver, Sentir e Escrever

“A maior parte dos indivíduos limita seu aprendizado primariamente ao que ouvem ou lêem. Sejam sábios. Desenvolvam a habilidade de aprender pelo que veem e, particularmente, pelo que o Espírito Santo os inspira a sentir. (…) Anotem as coisas importantes que aprenderem com o Espírito, em um lugar seguro. (…) Expressem gratidão pela ajuda recebida e obedeçam-na. Esta prática reforçará sua capacidade de aprender pelo Espírito. Permitirá que o Senhor guie sua vida e dê maior significado ao uso de todas as suas habilidades latentes”.

Élder Richard G. Scott do Quórum dos Doze Apóstolos, “Obter Conhecimento e a Força para Aplicá-lo com Sabedoria”,A Liahona, agosto de 2002, pp. 12, 14.

Toda verdade que pudermos aprender nesta vida surgirá conosco na ressurreição.

Nossa prioridade deve ser a instrução espiritual. Para nós, a leitura das escrituras deve ser feita antes da leitura dos livros de história.

Por isso a Igreja possui os institutos de religião em todos lugares do mundo onde há um número suficiente de jovens.

Sejam quais forem nossos talentos, o Senhor tem serviço para todos. E para que isso seja bem feito o aprendizado é sempre necessário, não uma vez ou por um tempo limitado, mas continuamente.

Nunca devemos parar de estudar. Se ele acaba na porta da sala de aula no dia da formatura, vamos fracassar. E precisaremos da ajuda do céu para saber quais coisas, dentre as infinitas que podemos estudar, seria mais sábio aprender. (…)

Erro no envio de formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes