Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

Correr e Não Se Cansar

Uma das maiores bênçãos que recebemos quando viemos à Terra foi a de ter um corpo físico. A Palavra de Sabedoria, que se encontra na seção 89 de Doutrina e Convênios, nos revela “a ordem e a vontade de Deus quanto à salvação física de todos os santos nos últimos dias” (v. 2). Seguem-se testemunhos a respeito da Palavra de Sabedoria, prestados por santos dos últimos dias do mundo inteiro.

Nunca Se É Jovem Demais

Tenho 13 anos e sei que se cuidarmos de nosso corpo, vamos receber as bênçãos prometidas na Palavra de Sabedoria, para podermos correr e não nos cansar (ver D&C 89:20). Sei que se eu fizer esportes, comer alimentos saudáveis e dormir o suficiente, vou crescer e ficar forte. Se eu cumprir esse mandamento, vou ficar livre de substâncias que causam dependência e não vou deixar que elas me dominem.

Sei que o Pai Celestial não nos deu a Palavra de Sabedoria para nos limitar, mas, sim, para nos ajudar a ficar saudáveis e ter uma vida feliz. Satanás tenta fazer com que acreditemos que fumar e beber são coisas que vão fazer com que sejamos populares, livres e felizes. Mas isso não é verdade. Às vezes, é difícil manter padrões elevados, especialmente na escola, mas quando procuro dar um bom exemplo, ajudo minhas amigas a compreender a importância de escolher o certo.

A maior bênção que recebemos por cumprir a Palavra de Sabedoria é a oportunidade de termos o Espírito como nosso guia constante. Minha meta é estar digna para um dia entrar no templo.

Sevil V., Plovdiv, Bulgária

Ajuda com o Diabetes

Sou uma avó de 57 anos e fiquei sabendo que tinha diabetes em junho de 2006. Além de tomar medicamentos, busquei ajuda na Palavra de Sabedoria. Aprendi o valor dos exercícios regulares e de uma dieta saudável. Perdi 40 kg e mantive esse peso. Senti-me abençoada por minha obediência à Palavra de Sabedoria, no dia em que meu médico me disse que eu poderia parar de tomar o remédio para diabetes e pressão alta. Tenho um testemunho da Palavra de Sabedoria porque as bênçãos espirituais e físicas que recebi graças à obediência a essa lei continuam a abençoar minha vida.

Beverly Rutherford, Washington, EUA

Correr Maratonas aos 73

Nasci no Brasil com raquitismo, uma doença que deforma os ossos. Aos 19 anos, eu pesava 50 quilos e tinha 1,64 m de altura. Por esse motivo, não fui aceito no serviço militar e comecei a procurar meios de melhorar minha condição física. Comecei a fazer uma série de exercícios e mantive uma dieta equilibrada.

Nessa época, encontrei os missionários. Conheci a Igreja e aprendi a respeito dos mandamentos, incluindo a Palavra de Sabedoria. Era exatamente disso que eu precisava. Ela deu-me diretrizes sobre os alimentos que eu deveria ingerir e uma lista de coisas impuras para evitar, que eram fumo e bebidas alcoolicas. Lendo Doutrina e Convênios, aprendi a respeito da necessidade de repouso e sono (ver D&C 88:124).

Adquiri forças e passei a pesar 78 kg. Tornei-me campeão de levantamento de pesos. Também fiz judô e natação. Hoje, aos 73, sou corredor de maratonas e já completei 30 maratonas. Em 2005 e 2006, fui o segundo colocado da minha faixa etária no Brasil. Tenho excelente saúde e sinto-me muito feliz.

Agradeço ao Pai Celestial por ter-nos dado leis que nos proporcionam as bênçãos de saúde, se obedecermos a elas.

Antonio Olívio de Oliveira, São Paulo, Brasil

Uma Jarra de Vinho

Quando eu estava limpando o salão de beleza depois das aulas, encontrei meia jarra de vinho que sobrara de uma festa. Perguntei ao meu patrão o que devia fazer com ela. “Despeje o conteúdo e jogue fora a garrafa”, disse ele, quando estava indo embora. Ele trancou a porta ao sair, e fiquei sozinha. Continuei minha rotina costumeira de faxina, mas a imagem daquela garrafa de vinho ficou em minha mente. Eu tinha 14 anos e nunca tinha provado vinho. Senti-me tentada.

Limpei o banheiro, higienizei as escovas de cabelo e passei um pano no chão, pensando o tempo todo naquela jarra de vinho no fundo do salão. Eu sabia que uma provada não me deixaria bêbada. Sabia também que ninguém jamais ficaria sabendo. Ao pensar nisso, dei-me conta de que eu saberia, e meu Pai Celestial também. Minha luta interna cessou, então. Eu sabia que me arrependeria se cedesse à tentação e que queria ser suficientemente forte para resistir a todas as tentações. Despejei o vinho no ralo, lavei a garrafa e a joguei no lixo.

Essa experiência pode parecer sem importância, exceto pela diferença que fez em minha vida. Tomei a decisão de guardar os mandamentos mesmo que ninguém estivesse olhando. Eu queria fazer a coisa certa pelo motivo certo. Sei agora que tenho forças para resistir à tentação e sinto-me mais confiante de que poderei trilhar o caminho que nos leva de volta à presença do Pai Celestial.

Beth M. Stephenson, Oklahoma, EUA

Forças para Perseverar

No ano em que fui batizado, tornei-me bombeiro voluntário. Eu cumpria a Palavra de Sabedoria, mesmo que meus amigos me oferecessem cigarros, bebidas alcoolicas, chá e café. Quando me perguntavam o motivo pelo qual eu recusava aquelas coisas, eu dizia que era porque eu era mórmon. A maioria deles zombava e ria de mim.

Certo dia, foi-nos exigido realizar um teste de resistência física de três horas de duração, para decidir quem continuaria a ser bombeiro. Todos estávamos vestindo um uniforme pesado, calçando botas e carregando o equipamento respiratório. Antes do teste, vi os outros fumando e rindo de mim, porque eu era apenas um adolescente, e eles achavam que eu não conseguiria passar no teste rigoroso.

Primeiro, tivemos que dar voltas em um campo, carregando mangueiras muito pesadas. Depois da primeira volta, senti dores nas pernas e no corpo, e meus colegas riram de mim. Foi então que me lembrei do que diz Doutrina e Convênios 89: “Todos os santos que se lembrarem de guardar e fazer estas coisas, obedecendo aos mandamentos, receberão saúde para o umbigo e medula para os ossos; (…) e correrão e não se cansarão” (vv. 18, 20).

Ajoelhei-me e orei ao Senhor, pedindo-Lhe fé para ver a promessa cumprida. Vários homens vieram ver se eu estava me sentindo bem, e eu disse a eles que estava bem. Então, começamos a correr de novo. Imediatamente, a dor que eu sentia nas pernas sumiu. Corri e corri e vi que os outros tinham caído no chão de cansaço, mas não senti vontade de parar. Passei no teste, ao passo que meus colegas tiveram que repetir o exercício.

Sei que foi graças a minha obediência à Palavra de Sabedoria que eu consegui passar naquele teste. Sei que Deus estava comigo naquele dia e que se obedecermos a Seus mandamentos, Ele vai abençoar-nos com Sua infinita misericórdia.

Cristian Castro Marin, Santiago, Chile

Um Compromisso Diário

Dois dias depois do enterro da minha mãe, olhei-me no espelho. Não gostei do que vi. Estava com olheiras, pálida, com má postura e pesando 5 a 7 quilos a mais do que devia. Os três últimos anos que eu passara cuidando de meus pais tinham-me deixado naquela situação. Com o estresse de ver tanto meu pai como minha mãe ficarem doentes e morrerem com um intervalo de dois anos, não era de admirar que eu parecesse não ter dormido nem me alimentado de modo equilibrado há muitas semanas.

Aos 26 anos de idade, vi-me numa encruzilhada na vida. Podia continuar como estava e arriscar-me a ficar com diabetes, doenças cardíacas ou câncer, que eram comuns em minha família, ou assumir o controle e fazer da saúde uma prioridade. Esse era um compromisso que eu precisava fazer para a vida toda, não apenas por algumas semanas. Quando encarei meu reflexo doentio, fiz uma promessa a mim mesma. Eu ia viver a Palavra de Sabedoria como nunca tinha feito até então.

Meu marido e eu começamos a nos exercitar de duas a três vezes por semana. Comecei a tomar mais cuidado com as calorias que ingeria. Acrescentei mais frutas e verduras a minhas refeições. Foi difícil, mas aprendi a ler os rótulos com informações nutritivas e passei a escolher alimentos mais saudáveis.

O verdadeiro segredo do meu sucesso foi estabelecer metas realistas. Eu queria perder um pouco de peso, aumentar meu nível de energia e parecer mais saudável. Com a ajuda do Pai Celestial e de um marido maravilhoso que me deu todo o apoio, cumpri todas as três metas.

Seis anos depois, ainda estou exercitando-me regularmente e tomando cuidado com o que como. Continuo a estabelecer metas de aptidão física e dieta, e a esforçar-me para cumpri-las diariamente. Se alguém me dissesse naquela época que eu me tornaria aficionada de exercícios físicos, sinceramente não teria acreditado. Sou uma prova viva de que podemos mudar nosso estilo de vida, se realmente desejarmos. Se você depositar sua fé no Pai Celestial, Ele vai apoiá-lo em todos os seus esforços.

Sinto-me bem comigo mesma quando procuro atingir minha melhor forma física. Desde que assumi esse compromisso, minha mente está mais clara e rápida, meu corpo está mais forte e cheio de energia. Graças a isso, consigo desfrutar as maravilhosas bênçãos que o Pai Celestial prometeu aos que cumprem a Palavra de Sabedoria. Ele disse que todos os santos obedientes “receberão saúde para o umbigo e medula para os ossos; e encontrarão sabedoria e grandes tesouros de conhecimento, sim, tesouros ocultos” (D&C 89:18–19).

Meagan Sandor, Ontário, Canadá

Fazer um Plano

Pouco depois que minha mãe e eu fomos batizados, ela começou a trabalhar como enfermeira licenciada. Tendo que cuidar da família sozinha, ela não tinha tempo para cozinhar, por isso começamos a comer mais alimentos processados e lanches rápidos. Embora eu tivesse só doze anos de idade, minha saúde começou a piorar. Não tinha mais a mesma energia que tivera. Sentia-me cansado e ansioso. Ganhei peso.

Perguntei a minha mãe como poderia melhorar minha forma física. Esperando uma resposta médica, fiquei surpreso quando ela simplesmente disse: “Siga os princípios da Palavra de Sabedoria.” Achei que ela me daria um conselho sobre calorias, carboidratos e gorduras, mas sua resposta foi exatamente o que eu precisava ouvir.

Na noite familiar da segunda-feira seguinte, estudamos Doutrina e Convênios 89 e fizemos um plano de alimentação e atividades. Nosso estilo de vida mudou drasticamente. Ambos começamos a nos sentir mais saudáveis e felizes. Percebi que havia mais paz em minha vida e que ouvia mais os sussurros do Espírito Santo.

Sinto-me grato por ter um amoroso Pai Celestial que deseja comunicar-se conosco. Sei agora que precisamos estar física e espiritualmente preparados para receber revelações pessoais e sagradas.

Eric D. Richards, Utah, EUA

Levantar Cedo

O mandamento de levantar cedo não está em Doutrina e Convênios 89, mas, sim, na seção 88: “Recolhei-vos cedo, para que não vos canseis; levantai-vos cedo, para que vosso corpo e vossa mente sejam fortalecidos” (v. 124).

Meu marido e eu nos levantamos para trabalhar às 5h50 da manhã. Antigamente, eu não me levantava com ele. Continuava dormindo e tampouco acordava quando meus filhos adolescentes se levantavam da cama. À noite, eu ia me deitar cedo, mas meu marido ficava acordado até as 11h da noite, ou mais tarde. Fiquei preocupada porque achei que ele ficaria com sono quando estivesse dirigindo. Precisávamos mudar.

Decidi levantar com meu marido e tomar o desjejum com ele. Hoje passamos um tempo juntos conversando no desjejum. Assim, estou acordada com meus filhos antes de eles saírem para a escola e posso despedir-me deles com orações e abraços.

Meu marido agora também se deita cedo. Percebi que meu sono, que costumava ser agitado, tornou-se bem mais tranquilo, por isso já não preciso dormir tanto. Parece que as coisas estão funcionando melhor porque estou esforçando-me para seguir o conselho de “levantar cedo”.

Linda Davis, Utah, EUA

Erro no envio de formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes