fecha
Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

A batalha contra meu espelho

Stephanie Snow A autora mora no Oregon, EUA.

Tudo o que eu conseguia ver eram minhas imperfeições. O que fazer para gostar de minha aparência?

No mundo, cada sociedade tem seus padrões de beleza. Quando não conseguimos segui-los, podemos nos sentir incapazes. Lutei contra o espelho do banheiro durante a maior parte da minha vida. Desde bem jovem, sabia bem como deveria parecer e sabia mais ainda que não tinha atingido a marca. Dieta, exercícios e examinar cada curva tornaram-se parte normal da minha vida.

Enquanto crescia e amadurecia, constantemente me comparava a minhas colegas, tentando me encontrar na escala de beleza. Sempre fui alta demais, meu cabelo era muito encaracolado e grosso, minha cintura era muito larga, havia uma fenda entre meus dentes da frente — e isso era só o começo.

A última moda nunca ficava tão bem no meu corpo como ficava no manequim da loja ou na modelo do anúncio. Tentei todas as correções, dietas, exercícios, cortes de cabelo diferentes, dicas de moda e truques das celebridades, produtos de beleza anunciados na televisão e nas revistas, mas ainda assim meu corpo se recusava a se transformar em “ideal”. Quando me dei conta de que nunca alcançaria o padrão de beleza da sociedade, minha insegurança aumentou e a autoestima despencou. O espelho continuava sendo meu inimigo. Mal sabia eu que estava sucumbindo a um dos planos de ataque mais eficientes de Satanás. Como resultado da guerra no céu, ele e seus seguidores perderam a oportunidade de receber um corpo. Ele tem bastante inveja daqueles que têm um. Usando todos os recursos ao seu alcance, Satanás tenta nos fazer odiar, maltratar e até mesmo detestar nosso corpo, “[procurando] tornar todos os homens tão miseráveis como ele próprio” (2 Néfi 2:27).

Isso é importante para Deus?

“Acham que importa para nosso Pai Celestial se sua maquiagem, suas roupas, seu cabelo, suas unhas estejam perfeitos? (…) Acham que a aparência externa, o tamanho do seu manequim ou a popularidade fazem a mínima diferença no seu valor para Aquele que criou o Universo? Ele as ama não apenas por quem vocês são hoje, mas também pela personagem de glória e luz que vocês têm o potencial e o desejo de se tornar.”

Presidente Dieter F. Uchtdorf

Satanás ensina o mundo a acreditar que nosso corpo é apenas um pacote — um enfeite que precisa cumprir proporções, formas e tamanhos específicos —, e que isso determina nosso grau de felicidade, sucesso e valor nesta vida. Ele também defende que usemos todos os meios disponíveis para estar à altura do ideal, qualquer que seja o preço a pagar por isso.

Foi só quando olhei para o Senhor e Sua palavra que comecei a encontrar paz nessa área de minha vida. Certo dia, li um versículo no livro de Mosias que citava Isaías, referindo-se ao Salvador: “Não há nele forma nem formosura; e quando o virmos, não acharemos nele beleza para que o desejemos. (…) Foi desprezado e não fizemos caso dele” (Mosias 14:2–3). Percebi que, apesar de Jesus Cristo não ter sido amplamente aceito por aqueles ao seu redor, a compreensão de Seu valor veio de Seu relacionamento com o Pai e de fazer “sempre o que lhe agrada” (João 8:29).

A beleza é mencionada várias vezes nas escrituras. Pelo que lemos, fica claro que a beleza na qual mais precisamos nos concentrar vem de dentro e é criada por meio do desenvolvimento de características cristãs. Quanto mais formos semelhantes a Cristo, mais belos seremos. A verdadeira beleza é definida como santidade (ver 1 Crônicas 16:29) e salvação para os mansos (ver Salmos 149:4). O Senhor diz também daqueles que compartilham o evangelho: “Quão belos serão sobre os montes” (1 Néfi 13:37). E Sião é chamada de “a perfeição da formosura” (Salmos 50:2). Sabemos que Sião é “o puro de coração” (D&C 97:21). O Senhor falou sobre a Sião de Enoque: “Porque eram unos de coração e vontade e viviam em retidão; e não havia pobres entre eles” (Moisés 7:18).

Nesta vida, nosso espírito habita em um corpo imperfeito e mortal. Nosso corpo não é perfeito. Vai envelhecer, desenvolver rugas, provavelmente acumular uns quilinhos a mais do que gostaríamos; vai se curvar, o cabelo vai ficar grisalho… ou pode até cair. Nosso corpo, por fim, vai se desgastar e morrer, não importa o que fizermos para tentar deter, adiar ou esconder esse processo.

No entanto, o corpo que nos foi dado pode ser a fonte de nossa maior alegria na Terra. Por meio da dádiva de nosso corpo, podemos andar, falar, ver, cheirar ou ouvir as maravilhosas criações de nosso Pai Celestial. Em parceria com Ele, nosso corpo é o instrumento para trazer nova vida à Terra. Devemos ter profunda reverência e respeito por esses dons que possuímos, cuja combinação é um templo sagrado.

Quando olhamos no espelho, prestamos atenção a todas as nossas “imperfeições”  as sardas, as pernas curtas, o nariz alongado —, mas precisamos nos lembrar de quem criou a pessoa que vemos refletida ali. Devemos nos regozijar em nossa beleza única e nos lembrar de que somos filhos de Deus e que Ele nos ama. Ele nos criou à Sua imagem para propósitos específicos e divinos. Ter isso em mente nos ajuda a fazer tudo o que for possível para cuidar de nosso corpo, apresentar o melhor de nós e amar o que o Senhor nos concedeu.

Compartilhe sua experiência

Como você comemora sua incomparável beleza e seu valor individual? Compartilhe sua experiência a seguir.

Erro no envio do formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes

25 Maneiras em 25 Dias: 1º–4 de Dezembro