fecha
Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

A chave para perdoar a mim mesma

Madison Child

Eu não precisava continuar me punindo porque Jesus Cristo já havia expiado meus pecados.

Já haviam se passado cinco meses e eu ainda não conseguia me perdoar. Desde que cometi um erro e fiz algo do qual me envergonhava, sentia como se estivesse numa descida em espiral. Minha vergonha continuava aumentando sempre que eu fazia outra coisa que achava estar errada. Não conseguia sentir paz.

Eu tinha orado pedindo perdão e tinha até sentido que Deus havia me perdoado. Mas simplesmente não conseguia me perdoar. Como eu poderia, já que havia pecado? Eu continuava me culpando excessivamente, o que me impedia de progredir.

Enquanto me sentia assim, fui a uma conferência de jovens na qual concentramos a maior parte de nossos estudos na Expiação do Salvador. Um dia me deparei com uma passagem no livro de Enos que dizia:

Já haviam se passado cinco meses e eu ainda não conseguia me perdoar. Desde que cometi um erro e fiz algo do qual me envergonhava, sentia como se estivesse numa descida em espiral. Minha vergonha continuava aumentando sempre que fazia outra coisa que achava estar errada. Não conseguia sentir paz.

“Enos, perdoados são os teus pecados e tu serás abençoado.

E eu, Enos, sabia que Deus não podia mentir; portanto, a minha culpa foi apagada” (Enos 1:5–6).

Aquilo foi profundamente marcante para mim. Percebi que, como eu, Enos tinha feito algo errado e precisava do perdão. Ele até descreveu seu esforço para buscar o perdão como uma luta perante Deus (ver Enos 1:2). Mas, por fim, depois de orar durante o dia inteiro e a noite, Enos sentiu paz. E quando ele perguntou: “Senhor, como isso aconteceu?”, o Senhor respondeu: “Por causa da tua fé em Cristo” (Enos 1:7, 8).

Então era isso! Enos tinha fé em Jesus Cristo. Se Enos conseguiu deixar o Salvador apagar sua culpa, por que não posso deixá-Lo trazer essa mesma paz para minha vida? Daquele momento em diante, toda vez que sentia que não conseguia me perdoar, pensava no amor e perdão de Jesus Cristo. Orei para conseguir abandonar meus sentimentos ruins e parar de me sentir tão envergonhada. Demorou um pouco, mas, depois de muitas orações, parei de me sentir tão horrível o tempo todo. Finalmente senti paz.

Essa experiência me ensinou muito sobre a graça de Cristo. Depois que pequei, senti tristeza segundo Deus, orei, arrependi-me e senti a confirmação de que Deus havia me perdoado. No entanto, continuava me punindo. Por fim, percebi que não precisava continuar sofrendo por cometer esse pecado, pois Jesus Cristo já havia pago por ele por meio de Sua Expiação. Deve ter sido difícil e doloroso para Ele, mas Ele ainda estava disposto a sofrer para que eu não tivesse de sofrer.

A partir daí, aprendi a confiar em Jesus Cristo e deixar Sua paz preencher minha vida, fortalecendo meu relacionamento com Ele e o Pai Celestial. Tento orar e ler as escrituras, principalmente o Livro de Mórmon, todos os dias. Tento participar de atividades inspiradoras e de boas mídias sociais.

Ainda cometo erros, mas sei que, se me arrepender e continuar fazendo o melhor que puder, Jesus Cristo vai me abençoar com Sua graça. Quando confio Nele e no Pai Celestial, a culpa e a vergonha desaparecem. Agora conheço a paz que advém da fé em Jesus Cristo e me sinto mais forte por causa dela.

Compartilhe sua experiência

Você já teve dificuldade para perdoar a si mesmo? Compartilhe sua experiência abaixo.

Erro no envio do formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes

25 Maneiras em 25 Dias: 1º–4 de Dezembro