Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

Encontros

JeaNette G. Smith

Aproveite ao máximo para sair com pessoas do sexo oposto durante seus anos de adolescência sem envolver-se em um relacionamento sério.

Vejamos se você é capaz de responder as seguintes perguntas: Com quantos anos os jovens santos dos últimos dias podem começar a sair com uma pessoa do sexo oposto?

Com certeza você deve ter dito: “Dezesseis”, mostrando que leu com atenção o livreto Para o Vigor da Juventude assim como ouviu atentamente seus pais e líderes da Igreja.

Muito bem, então, responda a próxima: Com quantos anos você pode ter um namorado ou uma namorada?

Você deve estar pensando: “Bem, dezesseis. Mas, eu já não respondi essa pergunta?”

Bem, se esta foi sua resposta, embora tenha respondido corretamente a primeira pergunta, você errou a segunda. Não é por que você pode sair com uma pessoa do sexo oposto aos 16 anos que você deve imediatamente buscar um compromisso sério.

Há várias décadas, os profetas têm exortado que os jovens que ainda não estão em fase de casamento não devem ter um namoro sério. Por exemplo, o Presidente Hinckley (1910–2008) disse: “Enquanto jovens, não se envolvam em namoro firme. Quando atingirem a idade de pensar em casamento, essa é a época de envolver-se seriamente. Mas vocês, rapazes que estão no ensino médio, não precisam disto, e tampouco as moças” (“Algumas Considerações a Respeito de Templos, Retenção de Conversos e Serviço Missionário”, A Liahona, janeiro de 1998, p. 63; grifo do autor).

Portanto, o que esse conselho realmente significa? Por quê?

Dois Tipos de Namoro

Para começar, em termos gerais, o significado da palavra namoro pode ser um pouco confuso já que atualmente ela parece implicar algo mais sério do que esperamos que signifique para os jovens da Igreja. Há dois tipos diferentes de namoro: os encontros e o namoro firme (ou sério). A diferença entre os dois está na exclusividade.

Encontros Nos encontros, não há exclusividade. Os dois não são um casal e não se referem um ao outro como “namorado” ou “namorada”. Eles não são exclusivos um do outro. Quando apenas saímos com uma pessoa do sexo oposto, somos simplesmente amigos. Esse é o tipo de namoro que a Igreja incentiva que os jovens tenham depois dos dezesseis anos. Vocês têm que esquecer a ideia de encontrar um “namorado só seu” ou uma “namorada só sua”. Quando você “sai” com uma pessoa do sexo oposto, você não espera que o relacionamento vire uma relação romântica. Vocês se divertem, fazem coisas diferentes com pessoas diferentes.

Namoro Firme Por outro lado, o namoro firme implica que o casal é exclusivo um do outro. Eles não têm encontros com outras pessoas do sexo oposto, e não se envolvem emocional ou fisicamente com outras pessoas. Os casais que estão namorando sério planejam o futuro, pois há uma grande possibilidade de ficarem juntos. Esse é o tipo de namoro que a Igreja incentiva os jovens adultos (em geral, em seus vinte anos) a assumir, pois nessa fase eles já devem estar pensando em casamento.

Evitem ter um namorado ou namorada fixo(a) enquanto são adolescentes porque um relacionamento assim exige um alto grau de comprometimento de ambas partes. Nessa fase, os adolescentes ainda não estão prontos para assumir um compromisso emocional e físico e nem prontos para planejar um futuro juntos.

Como o Presidente Boyd K. Packer, Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos, disse aos jovens: “Evite o namoro firme. O namoro firme inclui planos para o casamento e isso sem dúvida deve ser adiado até você ter saído da adolescência” (“Você Está no Banco do Motorista”, A Liahona, junho de 2004, p. 30).

Intimidade Emocional

O problema é que a maioria dos adolescentes pula etapas. Eles acham que relacionamentos que só envolvem amizade são apenas para crianças e eles acabam mergulhando direto em compromissos sérios, que são mais adequados para os jovens adultos (pessoas em seus vinte anos), pois eles estão na fase de pensar sobre casamento.

O compromisso sério é composto por duas partes: o envolvimento físico e o envolvimento emocional. Em geral, os garotos estão em busca da parte física mais do que as garotas, e as garotas estão em busca da parte emocional mais do que os garotos. Como os rapazes não se interessam tanto por ter uma proximidade emocional, geralmente eles acabam controlando o grau de envolvimento emocional que haverá no relacionamento. Da mesma forma, como as garotas não se interessam tanto por ter uma proximidade física, geralmente elas acabam controlando o grau de envolvimento físico que haverá no relacionamento. No casamento esses dois elementos se unem de uma maneira harmoniosa e perfeita.

Embora os jovens SUD geralmente conheçam o tipo de contato físico que devem evitar (as transgressões sexuais e contatos íntimos), com frequência eles ficam em dúvida quando devem abraçar, beijar ou fazer outras coisas. Mas estas questões negligenciam a outra metade da equação, a parte emocional.

O problema não é simplesmente onde você coloca a mão, mas sim, onde coloca o coração. Com frequência o relacionamento entre dois adolescentes, especialmente entre jovens SUD que conhecem os mandamentos do Senhor, irá tornar-se mais físico somente se eles já tiverem estabelecido o tipo de relacionamento que permita isso — um relacionamento que já atingiu um nível de proximidade e de compromisso emocional.

Após o ensino médio (e a missão, para os rapazes), se os jovens adultos se envolverem emocionalmente e quiserem avançar para a intimidade física, eles terão que tomar uma decisão: eles podem se casar. Porém, se adolescentes se envolverem emocionalmente e quiserem avançar para a intimidade física, eles não podem tomar a mesma decisão. Eles não estão na fase de se casar. Assim sendo, eles irão quebrar a lei da castidade ou quebrar o coração um do outro ao terminar o namoro.

O Presidente Hinckley disse: “O namoro firme entre pessoas de pouca idade costuma acabar em tragédia. Há estudos que mostram que quanto mais tempo um menino e uma menina namoram, maior é a probabilidade de fazerem coisas que não deveriam. É melhor (…) sair com várias pessoas diferentes até vocês estarem prontos para casar” (“Conselhos e Oração do Profeta para os Jovens”, A Liahona, abril de 2001, p. 30).

Nutrir Amizades

Os relacionamentos têm diferentes estágios de proximidade emocional (ver a ilustração em “A Teoria do Funil”). Os estágios essenciais para os adolescentes experimentarem em seus relacionamentos são a amizade e os encontros.

Amizade é quando duas pessoas descobrem que possuem interesses e opiniões semelhantes — coisas em comum. Eles conversam, valorizam a opinião um do outro e escolhem passar tempo juntos. Eles provavelmente saem com os mesmos grupos de amigos, estudam juntos ou participam de atividades que os dois gostam. Durante a adolescência, amizades entre garotos e garotas devem ser apenas amizades, com uma atitude de inclusão, ou seja, “quanto mais melhor”. Os encontros têm praticamente as mesmas características básicas de uma amizade, com a única diferença que os amigos podem sair como casal para ir a um evento ou uma atividade.

Se você decidir namorar depois dos dezesseis, a Igreja incentiva que vocês saiam com um ou mais casais. A coisa boa do encontro com mais casais é que evita que você fique muito apegado a uma única pessoa do sexo oposto. Também permite que você conheça muitas pessoas e que interaja com todos os outros do grupo, nutrindo um senso de amizade por todos. Amigos seguem a filosofia de inclusão — a amizade é casual, você não é pressionado a assumir um compromisso sério com uma única pessoa.

Quer você tenha idade para namorar ou não, lembre-se de que “boas amizades podem e devem ser desenvolvidas em todas as idades” (Para o Vigor da Juventude, pp. 24–25). E a adolescência é a melhor época para desenvolver amizades, independentemente se você sair com pessoas do sexo oposto ou não.

Se seguir os conselhos dos profetas modernos com todo o coração, você verá que os relacionamentos podem ser muito bons, sem ter que lidar com complicações (e possíveis sofrimentos) das relações românticas da adolescência.

Amizades Incríveis para Adolescentes

Seguem algumas razões por que a amizade é muito melhor para adolescentes do que a relação romântica.

Amizade tem a ver com diversão. Você acaba fazendo muito mais coisas, conhecendo mais pessoas, ganhando mais experiência e aprendendo mais sobre o mundo do que se estivesse em uma relação romântica.

Amizade é menos problemática. Não dá tanto medo quando você está saindo como amigos quanto se estiver saindo como namorados. A amizade é casual. As consequências não são tão sérias.

Você pode equilibrar melhor o tempo gasto com seus amigos, tanto garotos quanto garotas. Nas amizades entre adolescentes, há menos trivialidade, ciúmes e decepções.

As amizades podem durar a vida toda. Sem as complicações de uma relação romântica, você pode desenvolver amizades saudáveis que podem acompanhá-lo(a) muito além do ensino médio.

É mais fácil para ser autêntico. Na fase da adolescência é mais fácil ser honesto com os amigos do que na relação romântica. Os amigos aceitam-se. Eles sentem-se menos pressionados a tentar mostrar-se ou impressionar a outra pessoa.

Amigos são mais prováveis de aumentar sua autoestima. Amizades entre adolescentes são fundamentadas mais em coisas como o caráter e os valores comuns do que na aparência. A amizade lhe ajudará a sentir-se melhor sobre você mesmo(a), já a relação romântica provavelmente fará com que você se sinta pior.

A amizade é um alicerce. Quando as pessoas têm maturidade para assumir um relacionamento sério, é mais provável que eles sejam bem-sucedidos se primeiramente foram amigos e desenvolveram um alicerce de confiança.

Você pode encontrar compatibilidade real. Amigos podem decidir o que eles realmente gostam um no outro (caráter, personalidade, senso de humor) em vez de ter que lidar com as complicações da relação romântica.

A amizade vai prepará-lo(a) para escolher um(a) bom(a) companheiro(a) para se casar. Os jovens que decidirem ter uma grande gama de amigos em vez de limitar-se a um relacionamento único estarão mais bem preparados para escolher seu futuro cônjuge.

As amizades o tornam mais bem preparado para o casamento. Amigos aprendem a comunicar-se honestamente, a fazer sacrifícios pessoais, a ser independentes, confiáveis e decididos. Relacionamentos problemáticos durante a adolescência colocam as pessoas em risco de ter relacionamentos adultos problemáticos também. Relacionamentos bons e saudáveis durante a adolescência, ou seja, amizades, é a melhor preparação para relacionamentos adultos saudáveis e sem sofrimentos.

A Teoria do Funil

O seguinte diagrama mostra os estágios dos relacionamentos com pessoas do sexo oposto. Os primeiros três estágios podem ser classificados como estágios de “amizade”. A maior parte dos relacionamentos ficarão nos estágios de Conhecimento e Amizade. Os três últimos estágios pertencem à categoria “romance”. À medida que você passa de um estágio para outro em direção ao casamento, o número de pessoas do sexo oposto com quem você se relaciona vai ficando menor e o envolvimento em um relacionamento sério vai ficando maior.

Primeiro Estágio: Conhecimento—Você conhece ou acabou de conhecer a pessoa.

Segundo Estágio: Amizade—Vocês têm coisas em comum e decidem fazer coisas juntos.

Terceiro Estágio: Encontros—A mesma coisa que amizade só que vocês saem como casal para participar de uma determinada atividade.

Quarto Estágio: Namoro Sério—Vocês estão na fase de casamento e comprometem-se a sair exclusivamente um com o outro.

Quinto Estágio: Noivado—Vocês decidiram se casar.

Sexto Estágio: Casamento—Vocês fazem um convênio sagrado juntos e são selados para a eternidade.

Se está saindo com uma pessoa do sexo oposto, você não espera que esse relacionamento torne-se uma relação romântica. Vocês se divertem, fazem coisas diferentes com pessoas diferentes.

Os relacionamentos têm estágios diferentes de proximidade emocional. Os estágios essenciais de relacionamentos na adolescência são os de amizade e de encontros.

Os encontros têm basicamente as mesmas características da amizade. É casual, você não é pressionado a assumir um compromisso sério com uma única pessoa.

Erro no envio de formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes