Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

A Importância de Fazer Escolhas

Mindy Raye Friedman Church Magazines

Considere o que você quer da vida e certifique-se de que suas decisões o ajudarão a alcançar suas metas.

Todos os dias você tem escolhas a fazer. Algumas dessas escolhas pouco têm a ver com sua salvação eterna (“Vou usar camisa de que cor?”) e outras têm tudo a ver (“Devo quebrar este mandamento?”). Às vezes talvez você se questione: “Será que minhas escolhas têm mesmo importância?” Ou pode até pensar: “Se ninguém souber o que estou fazendo, será que minhas decisões afetam mesmo a alguém?” A resposta é sim! As decisões importam, sim!.

Por Que Importam

A fim de entender por que suas escolhas importam, voltemos à vida pré-mortal. Quando o Pai Celestial apresentou Seu plano de salvação, nem todos concordaram. Lúcifer opôs-se ao plano e procurou “destruir o arbítrio do homem” (Moisés 4:3). Por conta disso, tornou-se Satanás, e ele e seus seguidores foram expulsos do céu, sendo-lhes negada a oportunidade de progredir vivenciando a mortalidade. O arbítrio era tão importante no plano de Deus, que quem quis destruí-lo foi expulso do céu!

O plano do Pai Celestial dá-nos a oportunidade de escolher por nós mesmos, pois essa é a única maneira de podermos aprender, crescer e nos tornarmos mais semelhantes a Ele. Um dos propósitos da vida é aprender a usar nosso arbítrio com sabedoria. Contudo, não recebemos o arbítrio apenas para agir a nosso bel-prazer. Para o Vigor da Juventude ensina: “Enquanto aqui na Terra, estarão sendo provados para verificar se usarão, ou não, seu arbítrio para demonstrar amor a Deus, guardando os Seus mandamentos” (Para o Vigor da Juventude, 2011, p. 4). Escolher guardar os mandamentos mostra a Deus que O amamos e estamos dispostos a segui-Lo. As escolhas que fazemos — inclusive nossa atitude ao tomar essas decisões — constituem boa parte do teste da mortalidade.

Escolher o Bem

Foi-lhes ensinado várias vezes que a escolha de desobedecer aos mandamentos de Deus traz consequências. Mas já pensaram que o mesmo se dá com as escolhas boas? Para o Vigor da Juventude ensina: “Embora sejam livres para escolher por si mesmos, são livres para escolher as consequências. Essas consequências podem não ser imediatas, mas sempre ocorrerão, sejam elas boas ou más” (Para o Vigor da Juventude, p. 4; grifo do autor).

Então, quais são as consequências das escolhas corretas? É bem possível que vocês consigam enumerar uma longa série de bênçãos resultantes das escolhas justas. Um bom lugar para procurar essas bênçãos é nas escrituras e no livreto Para o Vigor da Juventude. Por exemplo: “E se guardares meus mandamentos e perseverares até o fim, terás vida eterna” (D&C 14:7); “A observância do Dia do Senhor os aproximará mais Dele e de sua família” (Para o Vigor da Juventude,p. 32); ou “Se forem obedientes [à Palavra de Sabedoria], ficarão livres de vícios prejudiciais e terão controle sobre sua vida”. (Para o Vigor da Juventude, p. 36). Parecem bênçãos extraordinárias, e há muitas outras para vocês encontrarem.

“Cada um de nós tem a responsabilidade de escolher. Talvez perguntem: ‘As decisões são realmente importantes?’ Digo-lhes que as decisões determinam o destino. Vocês não podem tomar decisões eternas, sem consequências eternas.” — Presidente Thomas S. Monson

O Senhor afirmou que “os homens devem ocupar-se zelosamente numa boa causa e fazer muitas coisas de sua livre vontade”, e prometeu que podemos “realizar muita retidão”, se assim procedermos (D&C 58:27). Assim, devemos não só evitar as coisas ruins, mas também procurar ativamente fazer coisas boas.

Às vezes ficamos tão preocupados com todas as coisas que não devemos fazer, a ponto de esquecer que a obediência também inclui coisas que devemos fazer. É bem provável que vocês compreendam que a violação de mandamentos afeta negativamente sua vida, mas será que entendem que escolher fazer coisas boas pode afetar positivamente sua vida e a de outras pessoas?

Viver com Propósito

Então, como vocês podem ter certeza de estar efetuando boas escolhas? Primeiro, pensem no que querem da vida. Desejam a vida eterna? Almejam ser selados no templo? Querem servir missão de tempo integral? Planejam formar-se na faculdade e conseguir um bom emprego? Em caso afirmativo, como pretendem chegar lá? Assim como os construtores precisam de uma planta para erguer um arranha-céu, vocês precisam de um plano para edificar uma vida justa.

Escrevam algumas de suas metas e façam planos de como as alcançar. Mantenham essa lista num lugar bem visível. Então, quando precisarem efetuar uma escolha, poderão pensar nessa lista para certificarem-se de não abrir mão do que mais querem, em troca de algo que desejem no momento. Estabelecer metas também torna suas escolhas deliberadas e intencionais, e não feitas ao acaso, aleatoriamente ou ao sabor das circunstâncias.

Como isso funciona na prática? Suponhamos que uma de suas metas seja servir missão de tempo integral. A cada manhã, você tem a opção de levantar-se para o seminário diário ou dormir uma hora a mais. Qual dessas opções vai ajudá-lo a alcançar sua meta? Ou talvez você tenha a meta de ler o Livro de Mórmon até o fim do ano letivo. Então, ao voltar da escola ou antes de dormir, você tem a escolha de ler as escrituras ou fazer outra atividade, como assistir a seu programa de televisão favorito. O que escolherá? Você enfrenta escolhas assim todos os dias. O empenho para manter as metas sempre em mente vai ajudá-lo a tomar as decisões que vão conduzi-lo ao que realmente almeja.

Tomar Decisões com Antecedência

“Quando eu era jovem, aprendi que algumas decisões precisam ser tomadas somente uma vez. Fiz uma lista das coisas que eu sempre faria e das coisas que eu nunca faria. Incluía coisas como: obedecer à Palavra de Sabedoria; orar diariamente; pagar meu dízimo, e comprometer-me a nunca faltar na Igreja. Tomei essas decisões uma única vez e, depois, nos momentos de decisão, eu sabia exatamente o que fazer, porque já havia decidido antes. Quando minhas amigas da escola diziam: ‘Só um trago não faz mal’, eu ria e dizia: ‘Decidi que não faria isso desde meus doze anos’. As decisões tomadas previamente vão ajudá-las a ser guardiãs da virtude. Espero que cada uma de vocês faça uma lista das coisas que sempre farão e das coisas que nunca farão. Depois, coloquem-na em prática” (Elaine S. Dalton, ex-presidente geral das Moças, “Guardiãs da Virtude”, Ensign ou A Liahona, maio de 2011, p. 123).

Entre na Conversa

Reflexões para o Domingo

  • Qual é o papel do arbítrio no plano de salvação?
  • Como suas boas escolhas afetam sua vida e a de outras pessoas?
  • Como pequenas decisões podem ajudá-lo a alcançar seus objetivos maiores?

Coisas Que Você Pode Fazer

  • Escreva uma lista de metas que pretende alcançar agora e no futuro.
  • Olhe sua lista de metas, quando tiver uma escolha a fazer.
  • Compartilhe suas experiências na igreja, em casa ao clicar em Compartilhe sua experiência abaixo.

Este artigo foi publicado originalmente em fevereiro de 2014, na Liahona.

Erro no envio de formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes