As barras de menu do LDS.org mudaram. Saiba mais. fecha
Pular para a Navegação Principal
Jovens Menu

Por Que Casar no Templo?

Joshua J. Perkey Revistas da Igreja

Na Igreja, falamos muito do casamento no templo. Já imaginou o motivo disso?

Muito se tem falado recentemente sobre o casamento — o que é, por que o realizamos, o papel que ele tem na sociedade. Na Igreja, falamos muito do casamento no templo. Você sabe que ele é importante porque ouviu falar isso desde suas primeiras lições sobre o evangelho, seja quando você era um Raio de Sol ou um converso em sua juventude.

Mas alguns podem se perguntar: “Por quê?” Para você pode ser mais do que uma dúvida sobre o que é o casamento no templo. Você quer saber — no coração e não apenas na mente — por que precisa se esforçar tanto para casar no templo, especialmente quando o casamento como conceito e instituição parece estar se enfraquecendo nas sociedades do mundo inteiro.

Ora, tudo começa pela doutrina da família.

A Doutrina da Família

Usamos o termo doutrina para ajudar a definir muitas coisas na Igreja. Por exemplo: o Guia para Estudo das Escrituras define doutrina de Cristo como “os princípios e ensinamentos do evangelho de Jesus Cristo”. Assim sendo, o que queremos dizer quando falamos da doutrina da família ou da doutrina do casamento eterno?

“A Família: Proclamação ao Mundo” declara: “O casamento entre homem e mulher foi ordenado por Deus e (…) a família é essencial ao plano do Criador para o destino eterno de Seus filhos”. Em outras palavras, quando falamos do motivo por que estamos aqui na Terra e do que se espera que realizemos e nos tornemos, tudo está ligado ao conceito de que fazemos parte de uma família e podemos casar e estabelecer uma nova família.

A proclamação da família também declara: “O plano divino de felicidade permite que os relacionamentos familiares sejam perpetuados além da morte. As ordenanças e os convênios sagrados dos templos santos permitem que as pessoas retornem à presença de Deus e que as famílias sejam unidas para sempre”.

Mas o que acontece com nossa família quando morremos? Se você casou pela lei de seu estado ou país, essa lei terá qualquer autoridade sobre você quando morrer? Não, porque são leis feitas pelo homem e somente têm autoridade enquanto você viver sob essa autoridade. Para o relacionamento do casamento continuar depois que você morrer, esse casamento precisa ser selado no lugar certo, com autoridade que perdure pelas eternidades. Esse lugar é o templo, e essa autoridade é o sacerdócio (ver D&C 132:7, 15–19). Ao decidir casar no templo e guardar esses convênios, você decidiu poder viver para sempre com seu cônjuge.

O Motivo pelo Qual Nos Preocupamos

Talvez você já conheça essa doutrina, mas ainda se pergunta: “Mas por que isso é tão importante?” Talvez não seja uma questão de compreender a doutrina. Talvez seja uma simples dúvida em relação ao que o casamento e a família significam em seu coração. A resposta simples é que a maior felicidade e alegria ao nosso alcance nos advêm quando vivemos o evangelho e efetuamos e preservamos um casamento realizado no templo.

“O casamento entre homem e mulher foi ordenado por Deus (…). A família é essencial ao plano do Criador para o destino eterno de Seus filhos” (“A Família: Proclamação ao Mundo”).

Na Conferência Geral de abril de 2013, o Élder L. Whitney Clayton, da Presidência dos Setenta, explicou assim: “Nenhum outro relacionamento de qualquer espécie pode proporcionar tanta alegria, gerar tantas coisas boas ou produzir tamanho refinamento pessoal”.

Também sabemos que “a felicidade na vida familiar é mais provável de ser alcançada quando fundamentada nos ensinamentos do Senhor Jesus Cristo”.

Se refletir bem, você passa grande parte de sua vida preparando-se para as grandes mudanças que acontecem. Há o batismo, a formatura da Primária para as Moças ou para os Rapazes, a frequência ao templo e a participação na pesquisa de história da família e nas ordenanças do templo para seus antepassados. Para os rapazes, há o recebimento do sacerdócio e o avançamento nos ofícios do sacerdócio. Para as moças, há o avanço nas classes das Moças. Há a formatura do Ensino Médio ou equivalente. E agora os missionários podem partir com 18 ou 19 anos. Há muito para o que se preparar e pelo que ansiar.

Mas o convênio mais importante para o qual nos preparamos é o selamento no templo. Quando as pessoas de uma família vivem de acordo com o plano de felicidade e guardam seus convênios do templo, vivenciam a verdadeira alegria.

O evangelho dá significado à vida. É o grande motivo por que estamos aqui. Quando seguimos o caminho do evangelho, ele nos conduz à alegria. E esse caminho nos leva ao casamento no templo, quer nesta vida ou na vida futura. Nenhuma bênção será negada aos filhos fiéis do Pai.

O Élder Bruce R. McConkie (1915–1985), do Quórum dos Doze Apóstolos, aconselhou: “A coisa mais importante que um santo dos últimos dias pode fazer neste mundo é se casar com a pessoa certa, no lugar certo, pela autoridade certa”.

As Alegrias do Casamento

Algumas das alegrias do casamento incluem:

Confiança e Apoio. Quando você se casa, tem alguém que vai animá-lo e encorajá-lo a fazer o que é certo, que vai elevá-lo a cada dia, que vai compartilhar todas as suas alegrias e tristezas.

“A coisa mais importante que um santo dos últimos dias pode fazer neste mundo é se casar com a pessoa certa, no lugar certo, pela autoridade certa.” — Élder Bruce R. McConkie (1915–1985)

Filhos. É algo que traz grande alegria ser-nos confiados filhos do Pai Celestial para cuidarmos deles e os criarmos.

Compartilhar. É uma imensa bênção poder compartilhar a vida de outra pessoa e um dia a vida dos filhos também. O sucesso que você e seu cônjuge tiverem será o sucesso de toda a família. As lembranças criadas em conjunto acrescentam um significado mais profundo à vida.

Conselhos. O cônjuge pode dar conselhos bons e sinceros, e você pode confiar neles porque sabe que provêm de alguém que de coração deseja apenas o melhor para você.

Força. Dois são mais fortes que um. Vocês podem fortalecer e ajudar um ao outro a viver o evangelho de modo mais pleno.

Risos. Quando vocês conhecem alguém tão bem assim e realmente confiam um no outro, vocês desfrutam a vida com risos e bom humor.

Amor. Ouvir todos os dias alguém dizer que ama você é algo maravilhosamente revigorante e reanimador.

Serviço. Há grande alegria em servir um ao outro e muito mais quando vocês o fazem por alguém a quem amam.

Amizade.Vocês terão alguém a seu lado nos momentos bons e nos momentos difíceis.

Confiança. É reconfortante saber que estão com alguém que sempre deseja o melhor para vocês e em quem podem confiar sem temor.

Intimidade Física e Emocional. O casamento é um relacionamento especial no qual o Senhor une duas pessoas em um vínculo eterno, cujas metas incluem a unidade, a união e a alegria.

Entre na Conversa

Durante o mês de agosto, vocês estudarão sobre o casamento e a família em seus quóruns do sacerdócio e classes das Moças e da Escola Dominical. Uma das doutrinas importantes da família é a de que, por meio do casamento no templo, a família pode ser selada e continuar sendo uma família depois da ressurreição.

Depois de ler este artigo, pense em como sua vida é diferente porque você pode ser selado a um cônjuge no templo. Além disso, pense em como isso afeta suas escolhas atuais e o que está fazendo para se preparar para o casamento no templo. Anote seus sentimentos e pense na possibilidade de compartilhá-los com outros, prestando testemunho em casa para sua família, na Igreja no domingo ou nas redes sociais.

Erro no envio do formulário. Certifique-se de que todos os campos estejam preenchidos corretamente e tente novamente.

 
1000 caracteres restantes