As barras de menu do LDS.org mudaram. Saiba mais. fecha
Pular para a Navegação Principal

Linguagem

Encontre respostas sobre perguntas a respeito dos padrões da Igreja Escolha um tema acima para ver mais.

  • Como posso me livrar de palavrões e piadas sujas depois que já ouvi na escola?

    “A mente é como um palco”, disse o Presidente Boyd K. Packer. “A não ser quando dormimos, a cortina desse palco está sempre aberta. (…) Nesse palco, sempre há algo sendo encenado.

    Já notaram como pequenos pensamentos duvidosos conseguem insinuar-se pelos bastidores e atrair sua atenção, bem no meio de qualquer espetáculo que esteja em cena e sem qualquer intenção de sua parte? (…) Se permitirem que eles entrem, todos os pensamentos bons se afastarão. Por terem consentido isso, vocês serão abandonados à influência dos maus pensamentos” (That All May Be Edified, 1982, p. 38).

    “O que vocês fazem em momentos assim? O que fazem quando maus pensamentos tentadores se apossam do palco de sua mente? (…) Deixe-me sugerir que vocês escolham dentre a música sagrada da Igreja um hino favorito. Tenho uma razão para sugerir que seja um hino da Igreja, um que tenha uma letra edificante e uma melodia reverente. Escolham um que o faça sentir-se inspirado sempre que você se lembrar dele.

    Repassem a música com toda a atenção algumas vezes. Memorizem-no. (…) Sempre que perceberem atores suspeitos querendo insinuar-se no palco de sua mente pelos bastidores, ouçam essa música em pensamento. (…) Ela modificará completamente a sua disposição. Por ser edificante e pura, a música fará os pensamentos impuros sumirem envergonhados” (That All May Be Edified, pp. 38–39).

    Fechar
  • Meus amigos e eu temos problema com mexericos. Como parar de fazer mexericos e ajudar meus amigos a fazer o mesmo?

    Você pode vencer o hábito de fazer mexericos seguindo o mesmo conselho para parar de falar palavrões que encontra-se no livreto Para o Vigor da Juventude: “Ajudem os que estão à sua volta a empregarem uma linguagem adequada por meio de seu exemplo, encorajando-os positivamente a escolher outras palavras. Afastem-se educadamente ou mudem de assunto quando quem estiver perto de vocês usar um linguajar inaceitável.

    Caso tenham desenvolvido o hábito de blasfemar [ou fofocar], vocês poderão vencê-lo. Iniciem tomando a decisão de mudar. Orem pedindo ajuda. Se começarem a empregar palavras que saibam ser erradas, fiquem em silêncio ou digam o que têm a dizer de maneira diferente” (p. 23).

    “Injúrias, calúnias, maledicência, criticismo são cupins insidiosos que destroem o lar. As mentiras e os boatos que destroem reputações são espalhados pelos quatro ventos como as sementes de um dente-de-leão florescido que uma criança segura a favor do vento. Nem as sementes nem os boatos podem ser recolhidos. O grau e a extensão dos danos causados pelos boatos são inestimáveis” (The Teachings of Spencer W. Kimball [Ensinamentos de Spencer W. Kimball], ed. Edward L. Kimball, 1982, pp. 262–63).

    Fechar
  • Qual é o padrão de boa linguagem para o Senhor?

    “Usem linguagem que edifique, incentive e enalteça aos outros. Não insultem ninguém ou o deprecie nem mesmo por brincadeira. (…) Usem sempre o nome de Deus e de Jesus Cristo com reverência e respeito. O uso indevido desses nomes é pecado. O linguajar ou os gestos profanos, vulgares ou grosseiros, assim como piadas imorais, são ofensivos ao Senhor e às outras pessoas. A linguagem obscena prejudica seu espírito e os degrada. Não permitam que outros os influenciem a usá-la” (Para o Vigor da Juventude, pp. 22–23).

    Fechar
  • É certo depreciar as pessoas mesmo se estiver apenas brincando?

    “Usem uma linguagem que edifique, incentive e enalteça aos outros. Não insultem ninguém ou o deprecie nem mesmo por brincadeira. Falem bondosa e positivamente sobre os outros, para que possam cumprir o mandamento do Senhor de amar uns aos outros” (Sempre Fiéis, p. 22).

    Fechar
  • Por que é tão importante empregar uma boa linguagem?

    “Sua maneira de falar diz muito sobre quem vocês são. Uma linguagem limpa e inteligente é evidência de uma mente brilhante e saudável.(…) Ao empregar uma boa linguagem, estão convidando o Espírito para estar com vocês” (Para o Vigor da Juventude, p. 22).

    Fechar
  • Como consigo vencer o hábito de usar linguagem imprópria?

    “Caso tenham desenvolvido o hábito de blasfemar [ou usar palavras impróprias], vocês poderão vencê-lo. Iniciem tomando a decisão de mudar. Orem pedindo ajuda. Se começarem a empregar palavras que saibam ser erradas, fiquem em silêncio ou digam o que têm a dizer de maneira diferente” (Para o Vigor da Juventude, p. 23).

    Fechar
  • O que devo fazer se meus amigos estão sempre falando palavrões?

    “Não permita que outros o[a] convençam a usar linguagem vulgar. Em vez disso, use uma linguagem limpa, que eleve e edifique as pessoas. Escolha amigos que usem uma boa linguagem. Estabeleça um exemplo que incentive os que estão ao seu redor a usar uma linguagem limpa. Caso seus amigos ou conhecidos usem palavrões, incentive-os gentilmente a escolher outras palavras. Se eles persistirem, afaste-se educadamente ou mude de assunto” (Sempre Fiéis, pp. 139–140).

    Fechar
  • Meus amigos dizem que falar palavrões só é ruim se for para ofender uma pessoa. Há ocasiões que não faz mal falar palavrões?

    O Élder Dallin H. Oaks declarou que “jamais deveríamos permitir que termos vulgares ou obscenos sujassem [nossos] lábios. A linguagem que usamos projeta a imagem de nosso coração, e este deve ser puro”. Ele ainda acrescentou que “o linguajar vulgar e obsceno (…) são pecados que nos afastam de Deus e incapacitam nossas defesas espirituais, causando o afastamento do Espírito Santo” (“Reverente e Limpa”, Conferência Geral de abril de 1986).

    Fechar