As barras de menu do LDS.org mudaram. Saiba mais. fecha
Pular para a Navegação Principal
  • Imprimir

Por que minhas escolhas são importantes?

O Pai Celestial nos deu o arbítrio, a capacidade de escolher e agir por nós mesmos. Embora sejamos livres para fazer nossas próprias escolhas, não podemos escolher as consequências delas. As boas escolhas conduzem à felicidade duradoura e à vida eterna. Se Lhe pedirmos, o Pai Celestial nos ajudará a fazer escolhas sábias.

Preparar-se espiritualmente

Em espírito de oração, estude as escrituras e os recursos a seguir. A seu ver, o que vai ajudar os rapazes a compreender a importância de fazerem escolhas sábias?

Josué 24:15 (Podemos decidir servir ao Senhor)

João 14:15 (Nossas boas escolhas demonstram nosso amor pelo Pai Celestial e nosso desejo de fazer Sua vontade)

2 Néfi 2:16, 27; Helamã 14:30–31 (Somos livres para escolher e agir por nós mesmos)

Morôni 7:14–15 (É dado a nós julgar entre o bem e o mal).

Thomas S. Monson, “Escolhas”, A Liahona, maio 2016, p. 86

Dallin H. Oaks, “A Parábola do Semeador”,   A Liahona, maio de 2015, p. 32

Russell M. Nelson, “Decisões para a Eternidade”, A Liahona, novembro de 2013, p. 106

D. Todd Christofferson, “Livres para Sempre, para Agirem por Si Mesmos”, A Liahona, novembro de 2014, p. 16

Randall L. Ridd, “A Geração das Escolhas”, A Liahona, maio de 2014, p. 56

Arbítrio”, Sempre Fiéis, 2004, pp. 17–18

Arbítrio e Responsabilidade“ e “Música e Dança”, Para o Vigor da Juventude (2011), p. 2, p. 22

Vídeos: “Permanecer Dentro dos Limites”, “Sem Arrependimentos”

Deixar os rapazes liderarem

Um membro da presidência do quórum dirige a reunião do quórum. Ele lidera os rapazes ao reunirem-se em conselho para tratar dos assuntos do quórum, ensina-lhes os deveres do sacerdócio (usando as escrituras e o livreto Dever para com Deus) e convida um consultor ou outro membro do quórum para ensinar uma lição do evangelho. Ele pode preparar-se preenchendo a agenda da reunião do quórum durante a reunião de presidência.

Iniciar a experiência de aprendizado

Escolha dentre as seguintes sugestões, ou crie suas próprias, para revisar a lição da semana passada e apresentar a desta semana:

  • Cole em uma extremidade de uma vareta a etiqueta “Escolha” e na outra, “Consequência”, e use-a para mostrar que cada decisão que tomamos tem uma consequência correspondente (às vezes positiva, às vezes negativa). Peça que um rapaz que segure a vareta enquanto você descreve uma escolha com a qual ele poderá se deparar. O rapaz pode descrever as consequências dessa escolha. Conversem sobre as maneiras pelas quais as escolhas afetam nossa vida, nossa família e nosso serviço no sacerdócio.

Aprender juntos

Cada uma das atividades a seguir ajudará os membros do quórum a compreender a doutrina do arbítrio. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais das que serão mais adequadas para seu quórum:

  • Convide um membro do quórum a ensinar uma parte desta lição. Ele poderia fazer isso como parte de seu Dever para com Deus para aprender e ensinar sobre o arbítrio (ver “Entender a Doutrina”, páginas 18, 42 ou 66).
  • Convide cada rapaz a fazer uma leitura silenciosa de “Arbítrio e Responsabilidade” em Para o Vigor da Juventude e a compartilhar o que o impressionou. Em seguida, os membros do quórum podem selecionar outro padrão do livreto e relatar algumas escolhas que fizeram em relação a esse padrão e as bênçãos resultantes de suas escolhas. Podem, por exemplo, ler “Música e Dança” em Para o Vigor da Juventude e discutir com a classe as bênçãos que eles receberam por seguir os conselhos de evitar músicas e danças impróprias.
  • Dê a cada rapaz partes do discurso do Élder Dallin H. Oaks, “A Parábola do Semeador”, ou do discurso do Presidente Thomas S. Monson “Escolhas”. Peça aos rapazes que leiam sozinhos e compartilhem as reflexões que mais os impressionaram. Pode-se fazer isso em pequenos grupos ou com todo o quórum. O que eles aprenderam sobre as consequências de nossas crenças e ações? Convide-os a debater sobre como os conselhos estudados podem ajudá-los a fazer melhores escolhas. 
  • Use fita adesiva ou barbante para criar um “V” no chão da sala de aula. Convide um jovem a começar onde a fita adesiva ou o barbante se junta e a caminhar pelo “V” mantendo um pé em cada lado. Eventualmente, ele terá que escolher andar em um dos lados da fita adesiva. Convide os rapazes a explicar o que aprenderam com essa experiência. Convide os rapazes a ler o primeiro parágrafo do discurso “Decisões para a Eternidade”, do Élder Russell M. Nelson, e a identificar as frases que gostariam de lembrar. Convide os jovens a compartilhar o que pensam sobre as “decisões determinam o destino” ou os resultados de outras frases do discurso do Élder Nelson.
  • Peça a cada rapaz que encontre um exemplo de alguém das escrituras que tenha feito uma escolha (pode, por exemplo, comparar as escolhas feitas por Néfi, Lamã e Lemuel em 1 Néfi 3:1–8 e em outras partes de 1 Néfi). Quais foram as consequências daquelas escolhas? Como as escolhas afetaram outras pessoas?
  • Mostre um dos vídeos (ou os dois) sugeridos neste esboço. Convide os membros do quórum a ver as consequências das escolhas que os rapazes do vídeo fizeram. Convide-os a compartilhar o que encontraram. Convide-os a compartilhar experiências pessoais nas quais eles fizeram uma escolha que teve consequências de longo alcance. Convide cada rapaz a ler uma das escrituras deste esboço e a compartilhar como ela pode ajudá-lo a fazer escolhas certas no futuro.

Convide os rapazes a contar o que aprenderam hoje. Eles entendem melhor a doutrina do arbítrio? Quais são os sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo discutindo esse assunto?

Convidar a agir

O rapaz que está dirigindo encerra a reunião. Ele pode:

  • Citar exemplos de boas escolhas que tenha feito e descrever como elas afetaram sua vida e a vida de outras pessoas, inclusive de familiares. Também pode convidar outros membros do quórum a fazer o mesmo.
  • Pedir que os membros do quórum avaliem individualmente as escolhas que estão fazendo que afetam sua capacidade de ser fiéis portadores do sacerdócio. Ele pode incentivá-los a planejar maneiras de melhorar continuamente.