fecha
Pular para a Navegação Principal
  • Imprimir

Como posso tornar minhas orações mais significativas?

O Pai Celestial nos ama e deseja que nos comuniquemos com Ele por meio da oração. Quando oramos, devemos dizer ao Pai Celestial o que sentimos no coração. Não devemos repetir palavras ou frases sem sentido. Por meio da oração fervorosa e sincera, podemos sentir a proximidade de nosso Pai Celestial.

Preparar-se espiritualmente

Ao preparar-se, estude estes recursos em espírito de oração. O que você gostaria que os rapazes descobrissem a respeito da oração?

Lucas 22:41–42; Helamã 10:5; D&C 46:30–31 (Devemos buscar a vontade de Deus ao orar)

3 Néfi 14:7; D&C 9:7–8 (A oração deve vir sempre acompanhada de esforço diligente)

3 Néfi 17–19 (Jesus Cristo ora com os nefitas e ensina sobre a oração)

Morôni 10:3–5 (Orar com fé, com um coração sincero e real intenção)

Guia para estudo das escrituras, “Oração

Carol F. McConkie, “O desejo sincero da alma”, A Liahona, novembro de 2016, p. 25

Juan A. Uceda, “O Senhor Jesus Cristo nos ensina a orar”, A Liahona, novembro de 2016, p. 30

Henry B. Eyring, “O sacerdócio e a oração pessoal”, A Liahona, maio de 2015, p. 84

Cumprir meu dever para com Deus, 2010, p. 38

Oração”, Sempre fiéis, 2004, pp. 120–125

Vídeos: “Cara a cara com o Presidente Eyring e o Élder Holland: Como posso melhorar minhas orações?” e “Cara a cara com o Presidente Eyring e o Élder Holland: O que a frase ‘não duvidando’ significa em Tiago 1:6?”

Deixar os rapazes liderar

Um membro da presidência do quórum dirige a reunião do quórum. Ele lidera os rapazes ao reunirem-se em conselho para tratar dos assuntos do quórum, ensina-lhes os deveres do sacerdócio (usando as escrituras e o livreto Dever para com Deus) e convida um consultor ou outro membro do quórum para ensinar uma lição do evangelho. Ele pode preparar-se preenchendo a agenda da reunião do quórum durante a reunião de presidência.

Iniciar a experiência de aprendizado

Escolha entre as seguintes ideias, ou crie sua própria, para revisar a lição da semana passada e apresentar a desta semana:

  • Conte a história contida no discurso do Élder Juan A. Uceda, “O Senhor Jesus Cristo Nos Ensina a Orar”. O que os rapazes acharam comovente nessa história? Que experiências sobre oração você ou os rapazes poderiam compartilhar? 
  • Peça aos rapazes que façam um desenho que represente algo que aprenderam na lição da semana passada e convide-os a mostrá-lo. O que eles fizeram para viver o que aprenderam? Eles têm dúvidas ou ideias adicionais sobre o que aprenderam?

Aprender juntos

Cada uma das atividades a seguir ajudará os membros do quórum a entender como tornar suas orações mais significativas. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:

  • Escreva o nome dos membros da Trindade no quadro: Diga aos rapazes que usem o discurso “O desejo sincero da alma”, da irmã Carol F. McConkie, para descrever como cada membro da Trindade está presente ao fazermos uma oração. Peça-lhes que procurem no discurso da irmã McConkie as respostas para as seguintes perguntas: “Por que oramos ao Pai Celestial? O que significa orar em nome de Jesus Cristo? Como o Espírito Santo pode influenciar nossas orações?” Oriente-os a fazer uma lista de coisas que eles podem fazer para tornar suas orações mais significativas. Eles poderiam colocar essa lista em um lugar visível em casa e escolher toda semana um item sobre o qual se esforçar para colocar em prática. 
  • Escolha histórias e breves citações do discurso do Presidente Henry B. Eyring, “O sacerdócio e a oração pessoal”, que você acredita que seriam mais significativas para os rapazes do quórum. Escreva essas histórias ou citações em tiras de papel. Peça aos rapazes que escolham uma das tiras de papel, leiam o conteúdo para o quórum e liderem um debate sobre aquele ensinamento. Como a oração pode ajudá-los em seu serviço no sacerdócio? Você poderia compartilhar uma experiência em que seu serviço no sacerdócio foi abençoado pela oração ou convidar os rapazes para compartilhar experiências semelhantes. 
  • Convide os rapazes a encontrar nas escrituras um exemplo de oração que achem inspirador (se necessário, sugira que leiam as escrituras relacionadas neste esboço). Peça a eles que relatem o que encontraram e o que aprenderam sobre a oração com o exemplo.
  • Convide os rapazes a ler uma escritura a respeito da oração (como as sugeridas neste esboço). Peça a eles que escrevam um princípio sobre a oração que aprenderam com a escritura e um exemplo desse princípio em sua vida ou na vida de outros. Convide-os a compartilhar com outro membro do quórum o que escreveram. O que os rapazes aprenderam uns com os outros que pode ajudá-los a tornar suas orações mais significativas? Os rapazes podem adquirir mais compreensão assistindo aos vídeos “Cara a cara com o Presidente Eyring e o Élder Holland: Como posso melhorar minhas orações?” e “Cara a cara com o Presidente Eyring e o Élder Holland: O que a frase ‘não duvidando’ significa em Tiago 1:6?”
  • Dê a cada rapaz a atribuição de estudar um dos princípios da oração discutidos em Sempre fiéis, páginas 120–125 ou o verbete sobre a oração no Guia para estudo das escrituras. Peça-lhe que ensine ao quórum o que aprendeu. Incentive os rapazes a utilizar exemplos pessoais ao ensinar.
  • Com o quórum, faça a primeira atividade de aprendizado da página 38 do livro Dever para com Deus. Dê tempo aos rapazes na reunião do quórum para escrever ou revisar seu plano para estabelecer o hábito de orações regulares (ver as páginas 15, 39 ou 63).

Convide os rapazes a dizer o que aprenderam hoje. Eles compreendem como tornar as orações mais significativas? Quais são os sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto?

Convidar a agir

O membro da presidência do quórum que dirige a reunião encerra a lição. Ele pode:

  • Compartilhar seu plano para criar o hábito de orações regulares.
  • Relatar experiências pessoais que lhe ensinaram o poder da oração.