fecha
Pular para a Navegação Principal
  • Imprimir

Por que as ordenanças são importantes em minha vida?

Uma ordenança é um ato sagrado e formal que tem significado espiritual. As ordenanças são realizadas pela autoridade do sacerdócio e sob a direção daqueles que possuem as chaves do sacerdócio. As ordenanças nos ajudam a lembrar de quem somos e nos recordam nosso relacionamento com Deus. Ajudam-nos a nos achegarmos a Cristo e a alcançar a vida eterna.

Preparar-se espiritualmente

Em espírito de oração, estude estas escrituras e estes recursos. O que você sente inspirada a compartilhar com as moças para ajudá-las a compreender a importância das ordenanças?

Mateus 3:13–17 (Batismo de Jesus Cristo)

Atos 19:1–6 (Paulo rebatiza pessoas que não haviam sido batizadas corretamente)

3 Néfi 11:21–26 (Jesus Cristo concede autoridade para batizar e dá instruções sobre o procedimento correto)

Morôni 8:10–12 (Mórmon ensina sobre o batismo)

D&C 84:19-21 (O poder da divindade manifesta-se nas ordenanças do sacerdócio)

Regras de Fé 1:3–5 (As ordenanças são essenciais para nossa salvação)

David A. Bednar, “Conservar Sempre a Remissão de Seus Pecados”, A Liahona, maio de 2016, p. 59

Gary E. Stevenson, “Seus Quatro Minutos”, A Liahona, maio de 2014, p. 84

Ordenanças e Bênçãos do Sacerdócio”, Manual 2: Administração da Igreja, 2010, 20.1

Ordenanças”, Sempre Fiéis, 2004, pp. 125–126

Vídeo: “Fé no Poder do Sacerdócio”

Compartilhar experiências

No início de cada aula, convide as moças a compartilhar, ensinar e testificar sobre as experiências que tiveram ao aplicar o que aprenderam na lição da semana anterior. Isso vai incentivar a conversão pessoal e ajudar as moças a ver a importância do evangelho em sua vida diária.

Apresentar a doutrina

Escolha dentre as ideias a seguir, ou crie sua própria, para apresentar a lição desta semana:

  • Escreva no quadro a palavra ordenança e peça às moças que sugiram definições dessa palavra (se precisarem de ajuda, faça com que consultem o parágrafo do início deste esboço). Como as moças reagiriam a alguém que dissesse que as ordenanças não são necessárias? (Se as moças precisarem de ideias, podem consultar a seção intitulada “O Espírito Santo e as Ordenanças do Sacerdócio” no discurso do Élder David A. Bednar “Conservar Sempre a Remissão de Seus Pecados”.)
  • Peça às moças que relacionem o maior número de ordenanças do evangelho de que se lembrem. Ajude-as a identificar quais ordenanças da lista são essenciais para a exaltação (se precisarem de ajuda, elas podem ler “Ordenanças” em Sempre Fiéis). Por que o Pai Celestial nos deu essas ordenanças?

Aprender juntos

Cada uma das atividades abaixo vai ajudar as moças a compreender por que as ordenanças são importantes. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais que serão mais adequadas para sua classe:

  • No discurso do Élder David A. Bednar “Conservar Sempre a Remissão de Seus Pecados”, a seção intitulada “Obter e Conservar a Remissão de Pecados por Meio das Ordenanças” descreve as bênçãos das ordenanças do batismo, da imposição de mãos para o dom do Espírito Santo e do sacramento. Para que as moças aprendam sobre como essas ordenanças podem nos ajudar, peça a cada moça que escolha uma ordenança e faça uma lista de tudo o que aprender a respeito dela nesta seção. Depois peça às moças que ensinem ao restante da classe o que aprenderam, de maneira criativa, talvez usando gravuras ou por meio de um jogo.
  • Convide uma oradora visitante ou uma moça, que tenha realizado algo significativo, para falar sobre os requisitos necessários para sua realização e como ela os cumpriu (talvez ela tenha recebido o certificado de Progresso Pessoal, ganhado um prêmio na escola ou tenha participado com sucesso de um teste para uma peça teatral). Depois peça às moças que leiam o parágrafo que começa com “Da mesma forma” do discurso do Élder Gary E. Stevenson “Seus Quatro Minutos”. Como as ordenanças se parecem com os requisitos que a oradora visitante mencionou? Vocês também podem ler o restante do discurso do Élder Stevenson e procurar o que mais ele ensina sobre ordenanças.
  • Examine em classe a lista das quatro exigências para a realização de ordenanças, na seção 20.1 do Manual 2. Convide as moças a ler 3 Néfi 11:21–26 e a identificar como essas exigências são satisfeitas na descrição dada pelo Salvador sobre o batismo. Peça a elas que pensem em uma ordenança que testemunharam recentemente e que descrevam como ela atendeu a essas quatro exigências. O que acontece se uma ordenança for realizada sem atender a essas exigências? Pergunte às moças por que é importante para elas conhecer essas exigências.
  • Convide as moças a imaginar que estão ensinando alguém de outra religião a respeito do batismo, então a pessoa diz: “Já fui batizada em minha igreja”. Como as moças poderiam, com tato, ajudar essa pessoa a compreender por que ela precisa ser batizada de novo? Que escrituras ou experiências pessoais elas compartilhariam? Você pode sugerir que consultem a lista de exigências da seção 20.1 do Manual 2; e que leiam Mateus 3:13–17; Atos 19:1–6; 3 Néfi 11:21–26; ou Morôni 8:10–12. Se possível, convide os missionários de tempo integral a virem à classe e contarem como eles explicam aos pesquisadores a importância das ordenanças (obtenha antes a aprovação do bispo).
  • Compartilhe com a classe a seguinte declaração do Presidente Spencer W. Kimball: “As ordenanças servem de lembrete. Esse é o real propósito do sacramento: impedir-nos de esquecer, ajudar-nos a lembrar” (Teachings of Spencer W. Kimball [Ensinamentos do Presidente Spencer W. Kimball], ed. Edward L. Kimball, 1982, p. 112). Peça às moças que listem as ordenanças do evangelho (como as que se encontram nas páginas 125–126 de Sempre Fiéis) e discutam o que cada uma dessas ordenanças nos ajuda a lembrar.

Peça às moças que relatem o que aprenderam hoje. Elas compreendem a importância da gratidão? Quais são os sentimentos ou as impressões que elas têm? Elas têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo discutindo esse assunto?

Viver o que aprendemos

Convide as moças a refletir sobre como viverão aquilo que aprenderam hoje. Por exemplo, elas poderiam: