Cem Anos da Noite Familiar
    Notas de rodapé

    Cem Anos da Noite Familiar

    Neste mês faz cem anos que a Primeira Presidência começou a incentivar os membros a realizarem a noite familiar. O trecho a seguir foi extraído da carta da Primeira Presidência que apresentou a noite familiar. Ela veio a público em abril de 1915 e foi publicada na revista Improvement Era de junho de 1915 (páginas 733–734). O uso das iniciais maiúsculas e da pontuação foi modernizado.

    Fotografia gentilmente cedida pela Biblioteca de História da Igreja

    Prezados irmãos,

    Exortamos os santos dos últimos dias a observarem mais atentamente o mandamento deixado pelo Senhor na seção 68 de Doutrina e Convênios:

    “E também, se em Sião (…) houver pais que, tendo filhos, não os ensinarem a compreender a doutrina do arrependimento, da fé em Cristo, o Filho do Deus vivo, e do batismo e do dom do Espírito Santo pela imposição das mãos, quando tiverem oito anos, sobre a cabeça dos pais seja o pecado. (…)

    E também ensinarão seus filhos a orar e a andar em retidão perante o Senhor” (ver D&C 68:25–28).

    Os filhos de Sião também devem cumprir mais plenamente o mandamento do Senhor dado à antiga Israel e reiterado aos santos dos últimos dias:

    “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá” (Êxodo 20:12).

    Essas revelações estão em pleno vigor para os santos dos últimos dias, e os pais e mães desta Igreja devem ensinar e aplicar esses mandamentos em casa.

    Com esse fim, aconselhamos e instamos que se inicie em toda a Igreja a prática de uma “noite familiar”, uma ocasião em que o pai e a mãe podem reunir os filhos no lar e ensinar-lhes a palavra do Senhor. Assim eles poderão inteirar-se de modo mais detalhado das necessidades e aspirações da família e ao mesmo tempo conhecer melhor os princípios do evangelho de Jesus e ensiná-los com mais eficácia aos filhos. Nessa noite familiar, deve-se orar, cantar hinos e canções, tocar música instrumental, ler as escrituras, abordar assuntos do interesse da família e passar instruções específicas sobre os princípios do evangelho e os problemas éticos da vida, assim como os deveres e as obrigações dos filhos para com os pais, o lar, a Igreja, a sociedade e a nação. Para as crianças pequenas, podem-se utilizar citações, músicas, histórias e jogos adequados. Pode-se também servir um lanche leve preparado em casa.

    Deve-se evitar ao máximo a formalidade e a rigidez, e toda a família deve participar das atividades.

    Essas reuniões criarão oportunidades para uma maior confiança mútua entre pais e filhos, entre irmãos e também para palavras de advertência, conselho e orientação dos pais para os filhos. Darão aos filhos a oportunidade de honrar o pai e a mãe e mostrar gratidão pelas bênçãos do lar a fim de que a promessa do Senhor para eles se cumpra literalmente e sua vida se prolongue e seja feliz. (…)

    Incentivamos os jovens a ficarem em casa nessa noite e a usarem suas energias para torná-la instrutiva, proveitosa e interessante.

    Se os santos obedecerem a esses conselhos, prometemos grandes bênçãos. O amor no lar e a obediência aos pais aumentarão. A fé se desenvolverá no coração da juventude de Israel, e eles adquirirão poder para combater as influências malignas e as tentações que os cercam.

    Seus irmãos,

    Joseph F. Smith

    Anthon H. Lund

    Charles W. Penrose

    Primeira Presidência