Mirar o Centro do Alvo
    Notas de rodapé

    Mensagem da Primeira Presidência

    Mirar o Centro do Alvo

    Woman shooting bow and arrow

    Fotografia: © Serg Myshkovsky/Getty Images

    Recentemente, assisti a um grupo de pessoas praticando tiro com arco. Apenas observando, percebi claramente que, caso se deseje de fato dominar o arco e a flecha, é preciso despender tempo e praticar.

    Não acredito que você vá ser reconhecido como um excelente arqueiro se disparar uma flecha contra uma parede em branco e depois desenhar os círculos do alvo em torno da flecha. É necessário desenvolver a habilidade de encontrar o alvo e acertar o centro.

    Pintar os Alvos

    Atirar a flecha primeiro e desenhar o alvo depois pode parecer um tanto absurdo, mas às vezes reproduzimos esse exato comportamento em outras circunstâncias da vida.

    Como membros da Igreja, temos a tendência de nos apegarmos a programas do evangelho, a questões e mesmo a doutrinas que nos parecem interessantes, importantes ou agradáveis. Somos tentados a desenhar alvos em torno desses interesses, convencendo-nos de estar buscando atingir as coisas importantes do evangelho.

    É uma postura bastante cômoda.

    Através das eras, temos recebido excelentes conselhos e inspiração dos profetas de Deus. Também recebemos orientações e esclarecimentos nas publicações, nos guias e nos manuais da Igreja. Podemos facilmente selecionar um tópico do evangelho como nosso favorito, desenhar um alvo em volta e fazer dele a coisa mais importante do evangelho.

    O Salvador Esclarece

    Não se trata de um problema exclusivo de nossos dias. Antigamente, líderes religiosos despendiam muito tempo catalogando e classificando as centenas de mandamentos e debatendo a respeito de qual deles era o mais importante.

    Certo dia, um grupo de eruditos religiosos tentou fazer o Salvador cair em contradição. Pediram-Lhe que Se pronunciasse sobre um assunto com o qual poucas pessoas concordariam.

    “Mestre”, perguntaram, “qual é o grande mandamento na lei?”

    Todos sabemos qual foi a resposta de Jesus: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

    Este é o primeiro e grande mandamento.

    E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

    Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas”.1

    Observe a última frase: “Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas”.

    O Salvador não apenas nos mostrou o alvo, mas também identificou o centro do alvo.

    Acertar o Centro do Alvo

    Como membros da Igreja, fazemos convênio de tomar sobre nós o nome de Jesus Cristo. Implícita nesse convênio está a compreensão de que vamos nos esforçar para aprender sobre Deus, amá-Lo, aumentar nossa fé Nele, honrá-Lo, andar em Seus caminhos e permanecer firmes como testemunhas Dele.

    Quanto mais aprendemos sobre Deus e sentimos o amor que Ele tem por nós, mais percebemos que o sacrifício infinito de Jesus Cristo é um dom sublime de Deus. E o amor de Deus nos inspira a usar o caminho do verdadeiro arrependimento, que nos conduzirá ao milagre do perdão. Esse processo permite que tenhamos mais amor e compaixão pelas pessoas que nos cercam. Vamos aprender a enxergar além das aparências. Resistiremos à tentação de acusar ou julgar as pessoas por seus pecados, suas falhas, seus defeitos, suas opiniões políticas, suas convicções religiosas, sua nacionalidade ou a cor da pele.

    Veremos cada pessoa como um filho de nosso Pai Celestial — nosso irmão ou nossa irmã.

    Vamos estender a mão às pessoas com discernimento e amor — mesmo àquelas que não sejam particularmente fáceis de se amar. Vamos chorar com os que choram e consolar os que necessitam de consolo.2

    Vamos perceber que não há mais necessidade de nos preocuparmos excessivamente para saber qual é o ponto central do evangelho.

    Os dois grandes mandamentos são as coisas principais. Desses dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.3 Ao aceitarmos isso, todas as outras coisas boas serão compreendidas em sua ordem de importância.

    Se nosso foco principal, nossos pensamentos e nossos esforços estiverem voltados para que nosso amor a Deus Todo-Poderoso cresça e se oferecermos nosso coração ao próximo, poderemos saber que encontramos o alvo correto e estamos buscando atingir o ponto central do alvo: tornar-nos verdadeiros discípulos de Jesus Cristo.