Quatro fortes verdades sobre a tristeza
    Notas de rodapé

    Quatro fortes verdades sobre a tristeza

    young woman comforting another young woman

    Muitos de nós vamos sentir tristeza em nossa vida. Por ser algo que pode afetar as pessoas de maneiras diferentes, é muito difícil compreender como devemos nos sentir e como podemos seguir em frente diante da tristeza. Steven Eastmond, assistente social de uma casa de repouso e membro da Igreja, conheceu muitas pessoas cujos entes queridos haviam falecido recentemente. Em um artigo chamado “O poder de cura da tristeza”, ele compartilhou as seguintes quatro verdades sobre a tristeza para nos ajudar a entendê-la melhor.

    1. A tristeza é dolorosa, mas ajuda a nos curar. “A tristeza machuca, mas pode ser o bálsamo que nos ajuda a ser curados quando permitimos que ela faça seu trabalho devidamente. O primeiro passo para tratar a tristeza é reconhecer que a dor é parte normal do processo. Precisamos reconhecê-la e não evitá-la.”

    2. Sentir tristeza não significa que temos falta de fé. “Trabalhei com muitas pessoas boas que pensavam ter perdido a fé por causa da tristeza profunda que sentiram quando perderam um ente querido. Elas pensavam, de forma equivocada, que uma pessoa com um testemunho forte não sentiria tristeza profunda com o falecimento de um ente querido — como se isso fosse sinônimo de descrença na vida após a morte ou nas promessas do Salvador.”

    3. Tristeza é um sinal de amor. “Tristeza é o preço que pagamos por amar alguém — e o preço vale a pena. Nenhuma das pessoas com as quais trabalhei disseram que desistiriam de amar um membro da família para assim evitar a tristeza que sentiriam ao perder essa pessoa.”

    4. Apesar da dor, podemos sentir paz novamente. “Pelo poder da Expiação, ‘o aguilhão da morte’ pode ser substituído pela paz (ver Alma 22:14).”

    A tristeza é uma parte natural da vida mortal, mas por causa do plano do Senhor para nós, podemos sentir consolo ao saber que nos reuniremos novamente com nossos entes queridos um dia.