Mensagem da Primeira Presidência

Como Enriquecer Seu Casamento


James E. Faust

Como Enriquecer Seu Casamento

Há alguns anos, quando eu trabalhava como advogado, consultou-me uma mulher que queria divorciar-se, sob uma alegação que, a meu ver, aparentemente se justificava. Após o divórcio, não a vi por muitos anos. Ao encontrá-la, por acaso, numa rua, notei que os anos de solidão e desencorajamento marcavam aquele rosto que fora belo, um dia.

Depois de conversarmos um pouco, ela mencionou que a vida lhe fora má e estava cansada de lutar sozinha. A seguir, fez-me uma surpreendente revelação: “Por pior que tenha sido, se eu pudesse voltar atrás, sabendo o que sei hoje, eu não teria procurado o divórcio. O que tenho suportado é muito pior”.

Segundo as estatísticas, é difícil evitar o divórcio. Os especialistas prevêem que cerca de metade das mulheres dos Estados Unidos desfarão o casamento em alguma época da vida. O divórcio também está aumentando em muitos outros países. Se essa taxa sempre crescente não baixar, um número ainda maior de casamentos terá esse trágico fim.

O divórcio só se justifica nas circunstâncias mais incomuns. Em minha opinião, uma “causa justa” não deve ser nada menos sério do que um relacionamento prolongado e aparentemente irreconciliável que seja destrutivo para a dignidade da pessoa como ser humano. O divórcio destroça as pessoas e destrói a felicidade familiar. Freqüentemente, perde-se muito mais do que se ganha com ele.

Poucos entendem — e talvez menos ainda levem em consideração — as experiências traumáticas por que passam os que se divorciam. Não há dúvida de que todos os que o fazem e não podem voltar atrás necessitam muito mais de nossa solidariedade e compreensão. Entretanto, os que se divorciam ainda podem esperar muito, em termos de realização e de felicidade na vida, principalmente procurando esquecer-se de si mesmos e prestando serviço ao próximo.

Perguntas Difíceis

Por que a felicidade no casamento é tão frágil e fugaz para uns e tão abundante para outros? Por que o trem de amargura e sofrimento resultante do divórcio deve ser tão longo e ter tantos inocentes a bordo?

Quais os ingredientes de enriquecimento que faltaram a esses casamentos, que começaram com tamanha felicidade e tantas esperanças?

Há muito tenho meditado sobre essas perguntas. Lido com experiências humanas há tanto tempo, que de algum modo me familiarizei com os problemas de casamentos infelizes, de divórcios e famílias amarguradas. Posso também falar sobre a felicidade no lar, porque, graças à minha querida Ruth, encontrei no casamento a maior riqueza da existência.

Razões para o Divórcio

Não há respostas simples ou fáceis para as desafiadoras e complexas perguntas sobre a felicidade no casamento. Entre as muitas possíveis razões para o divórcio estão os sérios problemas de egoísmo, imaturidade, falta de responsabilidade, comunicação inadequada e infidelidade.

Também percebi que outro motivo, não tão óbvio, para o malogro do casamento, precede todos os outros e com eles se relaciona: é a falta de um constante enriquecimento do casamento. É a ausência daquele algo mais que o torna precioso, especial e maravilhoso, sem o qual o casamento se torna enfadonho, difícil, ou até insípido.

Como Enriquecer o Casamento

Podemos perguntar: “Como um casamento pode ser enriquecido constantemente?” Edificamos nosso casamento com infinita amizade, confiança e integridade, bem como auxiliando e apoiando um ao outro nos momentos de dificuldade. Falando a respeito de Eva, disse Adão: “Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne” (Gênesis 2:23). Existem algumas perguntas — simples, mas relevantes — que todas as pessoas, casadas ou que tencionam casar-se, devem fazer-se honestamente no empenho de se tornarem “uma só carne”. São as seguintes:

Primeira: sou capaz de pensar antes nos interesses do meu casamento e do meu cônjuge antes de meus próprios interesses?

Segunda: quão profundo é o meu comprometimento com meu cônjuge, além de qualquer outro interesse?

Terceira: meu cônjuge é meu melhor amigo?

Quarta: respeito sua dignidade como pessoa importante e valiosa?

Quinta: brigamos sobre dinheiro? O dinheiro por si só parece não fazer um casal feliz, tampouco a falta dele torna o casamento infeliz. Freqüentemente, brigar por dinheiro é símbolo de egoísmo.

Sexta: existe um elo espiritualmente santificador entre nós?

Criar Pontes de Enriquecimento

Várias práticas importantes podem contribuir para enriquecer o casamento.

Oração. Uma boa comunicação enriquece o relacionamento familiar. Um meio importante é a oração em conjunto. Quando feita antes de dormir, ela poderá aplainar as diferenças que possam existir entre o casal. Não quero dar muita ênfase às diferenças, mas elas são reais e tornam as coisas interessantes. Creio que elas são as pequenas pitadas de sal que tornam o casamento mais saboroso.

Comunicamo-nos de muitas maneiras: com um sorriso, afagando os cabelos, um toque especial. Devemos lembrar-nos de dizer todos os dias “Eu te amo”. O marido deve dizer à esposa: “Você é linda”. Outra palavra importante para ser dita tanto pelo marido quanto pela esposa, no momento adequado, é “Desculpe”. Ouvir também é um excelente meio de se comunicar.

Confiança. A total confiança mútua é um dos principais fatores que enriquecem o casamento. Nada destrói o âmago da confiança mútua, tão necessária para manter um relacionamento, como a infidelidade. Nunca existirá qualquer justificativa para o adultério. Contudo, a despeito dessa experiência destrutiva, ocasionalmente pode acontecer de um casamento ser salvo e a família, preservada. Para isso, é preciso que a parte ofendida seja capaz de ter tanto amor que possibilite o perdão e o esquecimento. É preciso que a parte que errou deseje desesperadamente se arrepender e abandonar de fato o mal.

Nossa lealdade para com nosso companheiro eterno não deve ser apenas física, mas também mental e espiritual. Já que não existem flertes inocentes nem lugar para ciúmes após o casamento, é melhor evitar até a aparência do mal, como contatos questionáveis com pessoas com quem não estamos casados.

Virtude. A virtude é um ingrediente capaz de unir o casal de modo muito especial. Disse o Senhor: “Amarás tua esposa de todo o teu coração e a ela te apegarás e a nenhuma outra” (D&C 42:22).

Presença divina. Dentre todas as coisas que podem abençoar um casamento há um ingrediente especial capaz de unir um homem e uma mulher de modo muito real, sagrado e espiritual. É a presença do divino no casamento. Shakespeare, falando por intermédio da Rainha Elisabete, em Henrique V, disse: “Que Deus, o melhor Criador de todos os casamentos, combine vossos corações em um” (ato 5, cena 2, versos 67–68). Deus também é o melhor mantenedor de casamentos.

Existem muitas coisas que podem enriquecer o casamento, mas nem todas têm a mesma importância. Ter a companhia constante da presença divina e santa é o ponto central da maior felicidade no casamento. A união espiritual é a âncora. Os pequenos vazamentos na dimensão espiritual do casamento freqüentemente o levam a esvaziar-se.

Creio que os divórcios estão aumentando porque em muitos casos a união carece da bênção santificadora que resulta do cumprimento dos mandamentos de Deus. O casamento pode morrer por falta de nutrição espiritual.

Dízimo. Aprendi, nos meus vinte anos servindo como bispo e presidente de estaca, que um excelente seguro contra o divórcio é o pagamento do dízimo. O cumprimento desse mandamento facilita a recarga da bateria espiritual, habilitando-a a funcionar sem problemas, se o gerador espiritual passa a trabalhar mal ou pára de funcionar.

Nem a melhor ou mais majestosa música produz constantemente a harmonia de um grande amor. A mais perfeita música é a combinação de duas vozes para criar uma única música espiritual. O casamento é o meio proporcionado pelo Senhor para que sejam atendidas as maiores necessidades humanas, com base no respeito mútuo, maturidade, desprendimento, decência, comprometimento e honestidade. A realização no casamento e na paternidade excedem mil vezes qualquer outra felicidade.

Ser Pais. A alma do casamento é imensamente enriquecida e o processo de crescimento espiritual é muito fortalecido quando o casal tem filhos. Para esses casais, os filhos são a maior de todas as felicidades no casamento. Os homens crescem porque, como pais, precisam cuidar de sua família. As mulheres florescem porque, como mães, precisam esquecer-se de si mesmas. Ao tornar-nos pais, entendemos melhor o significado pleno do amor. Contudo, se os filhos não vierem, os casais que mesmo assim estiverem preparados para recebê-los com amor serão honrados e abençoados pelo Senhor por sua fidelidade. Nosso lar deve estar entre os mais puros santuários sobre a Terra.

No enriquecimento do casamento, é grande a importância das pequenas coisas. O apreço de um pelo outro deve ser constante, bem como uma atenciosa demonstração de gratidão. É preciso que haja encorajamento mútuo no casal, cada um ajudando o outro a crescer. O casamento é a busca comum daquilo que é bom, belo e divino.

O Salvador nos disse: “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo” (Apocalipse 3:20).

Que a presença de Deus enriqueça e abençoe cada casamento e cada lar, especialmente o de Seus santos, como parte de Seu plano eterno.

Idéias para os mestres familiares

Depois de se prepararem em espírito de oração, compartilhem esta mensagem, utilizando um método que incentive a participação daqueles a quem vocês estiverem ensinando. Seguem-se alguns exemplos.

  1. 1.

    Faça duas bolinhas de massa de modelar de cores diferentes. Explique-lhes que cada cor representa um dos cônjuges. Junte as bolas numa só. Peça a um membro da família que tente separar as duas cores. Troque idéias sobre as seis perguntas que o Presidente Faust sugeriu que os casados ou aqueles que pretendem casar-se devem fazer. Preste testemunho da importância da união no casamento.

  2. 2.

    Convide a família a formar um círculo. Faça com que cada pessoa represente uma prática importante para enriquecer o casamento. Ao trocar idéias sobre as práticas que representam, peça que cada pessoa dê o braço à pessoa ao seu lado ou segure a mão dela. Explique-lhes que o elo seria rompido se uma das pessoas da família fosse removida do círculo. Preste testemunho da importância de se manter o casamento forte.

  3. 3.

    Mostre um saleiro. Explique como o sal enriquece o sabor da comida. Leia a frase em que o Presidente Faust compara as diferenças no casamento com pitadas de sal e troque idéias sobre como as diferenças podem enriquecer o casamento. Se estiver ensinando um casal, pergunte o que eles têm feito para valorizar mais um ao outro.